Jeff Bezos admite que Amazon vai falir “um dia” e trabalha para adiar isso

O homem mais rico do mundo Jeff Bezos, fundador e diretor-executivo da Amazon, fez algumas afirmações surpreendentes durante uma reunião com os funcionários da companhia nesta semana. Ao ser perguntado sobre o futuro, ele admitiu que “um dia” a empresa vai falir  e complementou afirmando que a maioria dos grandes negócios tende a durar pouco mais de 30 anos e não 100 anos.

Um áudio com a fala de Bezos na reunião foi gravado por alguém que estava presente e enviado para a rede CNBC, que descreveu o que ouviu. O comentário em questão aconteceu após um dos funcionários fazer uma pergunta sobre o futuro da empresa. “A Amazon não é ‘grande demais para falhar’. De fato, eu prevejo que um dia a Amazon vai falhar. A Amazon vai falir”, afirmou.

Em seguida, ele explicou como trabalha para adiar esse momento. “Se nós começarmos a focar em nós mesmos em vez de focar nos nossos clientes, esse será o início do fim. Nós temos que tentar atrasar esse dia pelo máximo de tempo possível”, disse o executivo. Para ele, a companhia precisa estar sempre obcecada por seus próprios clientes para prolongar a própria existência.

De acordo com alguns funcionários, regulamentações governamentais seriam motivo de preocupação.

Para os funcionários da Amazon, uma das principais preocupações da diretoria da empresa em relação ao futuro envolveria regulamentações governamentais. Foi o que a CNBC descobriu ao conversar com alguns deles sob condição de anonimato, já que os trabalhadores não são autorizados a discutir esse tipo de assunto publicamente.

Conflitos com os governos dos países onde opera não são uma novidade para a Amazon. Recentemente, a companhia começou a ser investigada pela União Europeia por supostamente utilizar dados dos seus vendedores terceirizados com o objetivo de formar um monopólio. Enquanto isso, no Estados Unidos, o presidente Donald Trump já ameaçou dobrar as taxas do Serviço Postalpara prejudicar a empresa de Bezos e é um crítico notório da companhia.

Em muitos casos, essas discussões envolvem também o péssimo histórico da empresa quando o assunto é o cumprimento de leis trabalhistas. No mês passado, a Amazon anunciou que iria aumentar o salário mínimo oferecido para os funcionários como forma de amenizar as críticas às condições insalubres de trabalho nas suas fábricas, que envolvem até mesmo controlar o uso do banheiro.

Fonte: TecMundo

Related posts