Análise: Santos atropela na Copa do Brasil e afasta desconfiança após goleada em Itu

Três dias depois surpreendente derrota para o Ituano no Paulista por 5 a 1, o técnico Jorge Sampaoli voltou a escalar o Santos com três zagueiros e liberdade dos volantes para frente. Venceu o Altos, em Teresina, por 7 a 1, e se classificou para a segunda fase da Copa do Brasil – o próximo adversário no torneio será o América-RN.

Tivesse mantido os dois zagueiros, como em Itu, e possivelmente nada teria acontecido de diferente no Piauí, tamanha a diferença técnica entre os dois times.

Ainda que contra um time a distância abismal do Santos, a goleada sobre o Altos tem importância pelo timing: ela trata de enterrar rapidamente as desconfianças após a derrota para o Ituano, até agora um ponto muito fora da curva neste início de trabalho de Sampaoli.

São seis jogos na temporada e 19 gols marcados – uma média de 3,1 por partida, sem contar o empate em 1 a 1 com o Corinthians em amistoso em janeiro.

A goleada sofrida em Itu é parte do ônus em ter Sampaoli no banco. Com seu estilo de jogo ofensivo, tropeços serão amplificados – um oito ou oitenta, mas de saldo ainda positivo nesta retomada do argentino após o fracasso ao comandar a seleção de seu país na Copa do Mundo da Rússia.

Tanto que ela, se muito, apenas arranhou a imagem do treinador e mal fez com que cartolas se mexessem em suas cadeiras na Vila Belmiro nesta semana.

Contra o Altos, os que se animaram em criticar o treinador durante a semana devem ter visto com satisfação os primeiros cinco minutos do jogo, quando o time do Piauí abriu o placar numa falha bisonha de Carlos Sánchez, que furou ao tentar afastar uma bola e acabou a deixando para que Luizão fizesse o gol.

Quando o primeiro tempo acabou, porém, o placar já marcava 5 a 1 para o Santos, que pouca força fez para tanto.

Sánchez, vilão no começo, marcou um golaço, por cobertura, o quarto do Santos – Luiz Felipe, Derlis González e Alison fizeram antes –, e também o quinto. No segundo tempo, em ritmo lento, Soteldo e Pituca fizeram os outros dois.

No Piauí, Eduardo Sasha, preterido no Paulista, ganhou chance. Jogou pouco mais de 25 minutos, deu assistência para Pituca no último gol, mas ainda não convenceu.

O Santos volta a campo no próximo sábado, quando enfrenta o Mirassol no Pacaembu pela sexta rodada do Paulista. Depois, na terça, estreia na Sul-Americana contra o River Plate-URU, em Montevidéu.

Fonte: G1

Notícias Relacionadas