Cabeleireira junta R$ 3 mil em moedas vendendo ‘chup-chup’ e realiza sonho

Um pacote de viagem em promoção despertou a atenção da cabeleireira Rosangela Veleda Gomes, de 49 anos. Moradora de Santos, no litoral de São Paulo, a gaúcha começou a vender chup-chup há três anos para complementar a renda, mas, até o fim de 2017, não tinha definido como o dinheiro seria gasto. No final, o que ganhava acabava sendo usado sem que ela sequer percebesse.

Rosangela durante cruzeiro que partiu do porto de Santos e seguiu até Balneário Camboriú (SC) — Foto: Arquivo Pessoal

Determinada a gastar em viagens, ela conseguiu juntar quase R$ 3 mil em moedas em pouco mais de um ano. Segundo ela, o segredo é ‘esquecer’ o dinheiro no cofre. A receita deu certo e a quantia foi investida em um cruzeiro que seguiu do Porto de Santos até o Rio de Janeiro e Balneário Camboriú (SC), em fevereiro deste ano, e em passagens aéreas para ela e o marido rumo à Argentina – passeio que farão em abril.

Cabeleireira junta quase R$ 3 mil em moedas  — Foto: Liliane Souza/G1 Santos

A estadia do cruzeiro foi comprada no ano passado. Já as passagens para o exterior foram adquiridas em fevereiro, após o investimento que começou em maio de 2018. Na ocasião, ela e o marido foram até a agência de viagens, no bairro Ponta da Praia, com o cofre cheio de moedas. A contagem mobilizou a equipe, que levou 34 minutos para contabilizar R$ 1.617.

Responsável pela loja, o empresário Rafael Roberto disse que ficou surpreso quando ela chegou à loja com o cofre de plástico pela primeira vez. “A gente não costuma trabalhar muito com dinheiro. É mais cartão de crédito, cheque. Dinheiro é complicado, ainda mais moeda. A gente conta e acaba trocando com o pessoal do bairro para dar troco”, diz.

Direto para o cofre

No cofre, ela só guarda moedas de R$ 1 e R$ 0,50 centavos, para facilitar a contagem. “Como a gente não consegue juntar dinheiro de papel, decidi juntar em moeda porque é bem mais fácil. Ela fica meio que esquecida. E eu não queria pagar conta nem nada, eu queria alguma coisa que eu pudesse aproveitar para mim”.

Em maio de 2018, ela estava pronta para abrir o cofre pela primeira vez. Na ocasião, ela conseguiu juntar R$ 1.100, o suficiente para garantir sua estadia no cruzeiro. “No dia seguinte eu já comprei outro cofre”, conta.

A cabeleireira junta moedas com o intuito de investir em viagens desde 2017 — Foto: Liliane Souza/G1 Santos

Seja em seus trabalhos extras como cabeleireira ou nas vendas de chup-chup, cada moeda recebida vai direto para o cofre. As filhas e o marido também ajudam. “Tem cliente que dá caixinha em moeda para ajudar na viagem. Eu fico muito feliz”, conta.

O preparo dos doces é feito assim que ela chega do trabalho, no fim da tarde. Como ela fica no salão durante o dia, a entrega normalmente é feita pelas filhas. A clientela é tanta que no ano passado ela ganhou um freezer só para colocar os produtos. Ao todo, são 32 sabores diferentes, e o preço varia entre R$ 1,50 e R$ 2,50.

Rosangela chega a passar a madrugada preparando chup-chup — Foto: Arquivo Pessoal

“O campeão de vendas é o de ninho com nutella. Às vezes fico até 3h preparando chup-chup. Eu sigo à risca meu objetivo, senão a gente fica só trabalhando, pagando contas”, diz Rosangela, que fica atenta aos gostos dos clientes para inovar nos sabores. “No verão eu vendo muito chup-chup alcoólico. Tem de espanhola, saquê de morango, caipirinha, batida de amendoim. O pessoal adora”.

E não adianta pedir para trocar o dinheiro. Rosangela afirma que seu prazer é juntar moeda por moeda. “A graça é fazer a compra com as moedas, porque aí eu vejo quanto tempo eu levei juntando. Isso dá mais entusiasmo para continuar”.

Com um novo cofre, ela já vislumbra sua viagem para o ano que vem. “O próximo destino vai ser o Nordeste”, conta, entusiasmada.

Fonte: G1

Notícias Relacionadas