Não houve tentativa de socorro as vítimas, diz testemunha de tragédia em Milagres-CE

Após os disparos que fizeram as vítimas tombarem, policiais não teria buscado verificar sinais de vida. Estava clara a morte. Os adolescentes pernambucanos estão entreo os primeiros reféns mortos na ação desastrosa.

Ainda no mês de dezembro, a reportagem revelou que os corpos de cinco reféns foram empilhados na caçamba dos veículos Amarok, de propriedade do vice-prefeito da cidade, Abraão Sampaio, outros corpos dos suspeitos dos ataques, foram levados em seguida em duas ambulâncias.

Testemunhas oculares observavam que, uma vez cessados os tiros, não houve verificação de sinais vitais em qualquer das vítimas fatais. Antes do vice-prefeito, chegou ao local o tenente Georges, secretário municipal de segurança de Milagres. Um dos policiais que havia lhe pedido, minutos antes, que providenciasse veículos para “juntar os corpos”. Eram Vínicius com o pai de João Batista e Gusatvo com os pais Claudinete e Cícero. Depois os suspeitos.

Fonte: Cariri Notícias

Notícias Relacionadas