Com um jogador a menos, Athletico toma a virada do Boca em La bombonera já nos acréscimos

Com tom forte de emoção na parte final, o Athletico se mostrou firme na defesa em plena La Bombonera até os 50 minutos quando, na base da pressão, o Boca Juniors conseguiu a perseguida virada de 2 a 1 no marcador. Com isso, os argentinos é quem avançam na ponta do Grupo G com 11 unidades enquanto o Furacão, com nove, ficou com a segunda posição.

DOMÍNIO XENEIZE

Nos primeiros minutos de jogo, subiu o volume de pressão quem efetivamente precisava vencer para não depender de qualquer resultado para assegurar a classificação.

Nas oportunidades mais claras de marcar antes mesmo dos 15 minutos de partida, Zárate chutou bola perigosa da meia-lua que passou ao lado da trave direita, Darío Benedetto completou de letra um cruzamento rasteiro de Buffarini e tentou surpreender Santos sem sucesso enquanto o zagueiro Lisandro López, após cruzamento de Benedetto, bateu por cima da meta brasileira estando sozinho e de frente para o arco.

GRAMADO (E JOGO) PESADO

Antes do início do confronto, a capital argentina teve um clima bastante chuvoso o suficiente para deixar o gramado de La Bombonera, se não de maneira impraticável, com o aspecto de visível retenção da bola mais intensa em determinados setores do campo. Com isso, era possível ver que as trocas de passes não fluíam com a velocidade que os dois times gostariam, deixando o ritmo do jogo mais lento do que ele poderia se desenvolver além dos carrinhos e divididas ficarem mais ríspidos.

BATEU E SENTIU
Ao receber bola em velocidade para entrar na área lançada por Nahitán Nández, Benedetto poderia bater com firmeza, mas, já no ato do chute, fez expressão de dor. Além de finalização pouco efetiva, o atacante do Boca precisou logo ser substituído para a entrada de Ramón Ábila em seu lugar.

LIGOU A QUINTA MARCHA

Em um dos poucos momentos onde a zaga do Boca Juniors estava mal posicionada, Rony usou sua característica principal, a velocidade, e saiu em disparada na esquerda limpando toda a marcação para tocar em Lucho González. Todavia, na hora de finalizar, o camisa 3 bateu mal e a bola foi por cima da meta de Andrada.

TRABALHOU ANDRADA

Após passar um tempo inteiro sem conseguir formular uma finalização que efetivamente levasse perigo a meta de Estebán Andrada, aos dois minutos Nikão resolveu esse problema ao ter espaço para dominar e bater forte de perna esquerda. O arqueiro Xeneize caiu bem no seu canto esquerdo e fez a defesa com certa dificuldade.

PRESENTAÇO PARA O CARRASCO!
Em bola cruzada na grande área após cobrança de falta pelo lado esquerdo de Renan Lodi, Andrada saiu de maneira bastante desajeitada da meta, a bola quicou e ficou na pinta para Marco Ruben testar de peixinho para a bola correr até o fundo da meta argentina. Festa do bom contingente de torcedores do Furacão no setor de visitantes em La Bombonera.

EMPURRADO PELA TORCIDA, O EMPATE
Mesmo sem fazer um segundo tempo tão inspirado e sendo até de certa forma inferior ao Athletico em organização, o apoio das arquibancadas praticamente carregou o time Azul y Oro até o resultado de igualdade. Rodando a bola pela área do time paranaense, ela chegou ao lado esquerdo do ataque onde Zárate cruzou, Mas desviou e Lisandro López, em posição irregular, tocou para o gol sem muita força, mas suficiente para superar Santos.

SAIU DO CONTROLE
Se os nervos do Furacão pareciam bem em ordem até aqui no embate, após o gol do Boca as coisas começaram a se modificar tanto pelo aumento de volume do time Xeneize como pela clara demonstração dada por Wellington. Chegando de maneira bastante forte em dividida com Tévez, o camisa 5 acertou com as travas da chuteira o adversário e a arbitragem lhe deu o vermelho direto.

Com um jogador a menos, a proposta dos dois lados ficou clara com o Furacão se segurando na defesa enquanto o Boca, em busca do gol que lhe daria a liderança da chave, partiu quase que em sua totalidade ao ataque. E, já nos últimos suspiros, Carlitos Tévez aproveitou sobra da zaga e soltou o pé para fazer o gol da vitoria argentina.

FICHA TÉCNICA: BOCA JUNIORS X ATHLETICO

Local: La Bombonera, Buenos Aires (ARG)

Data-Hora: 09/05/2019 – 21h30

Árbitro: Carlos Orbe (EQU)

Assistentes: Byron Romero e Christian Lescano (ambos EQU)

Cartões amarelos: Mas, Izquierdoz, Nández (BOC); Nikão, Léo Cittadini, Santos (CAP)

Cartões vermelhos: Wellington (CAP)

Gols: Marco Ruben (19’/2°T) (0-1), Lisandro López (25’/2°T) (1-1) e Carlitos Tévez (50’/2°T)

BOCA JUNIORS: Estebán Andrada; Julio Buffarini, Lisandro López, Carlos Izquierdoz e Emmanuel Mas; Nahitán Nández, Iván Marcone e Ezequiel Almendra (Cristian Pavon; aos 15’/2°T); Sebastián Villa (Carlitos Tévez, aos 22’/2°T), Mauro Zárate e Darío Benedetto (Ramon Ábila, aos 40’/1°T). Técnico: Gustavo Alfaro.

ATHLETICO: Santos; Jonathan, Léo Pereira, Paulo André (Robson Bambu, aos 27’/2°T) e Renan Lodi: Wellington; Lucho González (Erick, aos 12’/2°T), Léo Cittadini, Rony e Nikão; Marco Ruben (Márcio Azevedo, aos 41’/2°T) Técnico: Tiago Nunes.

 

Fonte: msn

Notícias Relacionadas