Suécia reabre investigação contra Assange por suposto estupro

A Promotoria da Suécia decidiu nesta segunda-feira (13) reabrir o caso por suposto crime de estupro contra o fundador do portal WikiLeaks, Julian Assange, que tinha sido encerrado há dois anos, diante da impossibilidade de fazer avançar a investigação.

A promotora superior adjunta Eva-Marie Persson, que ativará a ordem de detenção europeia, se referiu à mudança nas circunstâncias pessoais de Assange depois que o Equador lhe retirou o asilo e à solidez das suspeitas contra o jornalista australiano.

Assange está detido em uma prisão de máxima segurança no Reino Unido, à espera de que se resolva um pedido de extradição para os Estados Unidos, onde a justiça o procura por causa dos vazamentos de documentos secretos feitas pelo seu portal, que poderiam custar-lhe uma pena de pelo menos cinco anos de prisão.

Fonte: R7

Notícias Relacionadas