Brasil vence Paraguai nos pênaltis e aguarda adversário da semifinal

A seleção brasileira se livrou do fantasma paraguaio na Copa América. Não sem um quê de polêmica provocado pelo VAR, não sem uma dose extra de sofrimento. O time verde-amarelo venceu nos pênaltis por 4 a 3 (0 a 0 no tempo normal) nesta quinta-feira (27), na Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS), e avançou à semifinal para enfrentar Venezuela ou Argentina. Balbuena foi expulso no início do segundo tempo.

Willian, Marquinhos, Philippe Coutinho marcaram para o Brasil. Roberto Firmino teve a sua chance, mas chutou para fora. Na batida decisiva, Gabriel Jesus, que havia perdido o pênalti contra o Peru, converteu. Pelo Paraguai, Gustavo Gómez parou em Alisson e Derlis González chutou para fora.

As quartas de final da Copa América seguem nesta sexta com dois jogos: a Venezuela enfrenta a Argentina, no Maracanã, às 16 horas; e a Colômbia encara o Chile, na Arena Corinthians, a partir das 20 horas. No sábado, o Uruguai tem pela frente o Peru, na Fonte Nova.

Mas o dia já começou com alguma dificuldade para a seleção brasileira. Por um descuido da CBF, o atacante Richarlison foi diagnosticado com caxumba. O trio de ataque foi formado com Everton Cebolinha, Roberto Firmino e Gabriel Jesus. De novo, faltou maior poder de finalização.

Assim como havia feito na goleada contra o Peru, o time do técnico Tite apertou a marcação nos primeiros minutos e trabalhou para roubar a bola. Do outro lado, no entanto, estava uma defesa um tanto mais sólida e bem postada, enquanto teve Gustavo Gómez e Balbuena.

Mas como já virou tradição nesta Copa América, o VAR, mais uma vez, roubou a atenção. E em um lance, no mínimo, polêmico. Gabriel Jesus lançou Roberto Firmino, que trombou com Balbuena na área. O árbitro Roberto Tobar Vargas inicialmente marcou pênalti e, depois de cinco minutos, assinalou falta e, pior, expulsou o zagueiro paraguaio em ato contestável. Na cobrança da falta, Gatito Fernandéz colocou para escanteio.

Com um jogador a mais, mas sem o gol, Tite ainda que demorou para abrir mão de um volante e soltar o time para o ataque — Alex Sandro já havia entrado no lugar de Filipe Luís. Allan, que começou no lugar do machucado Fernandinho, deu lugar a Willian. A última alteração ficou por conta da saída de Daniel Alves para a entrada de Lucas Paquetá. E pouca gente entendeu o que estava acontecendo.

De alguma forma, o Brasil conseguiu chegar ao ataque na metada da etapa final. A organização ficou longe. Arthur chutou fraco, Alex Sandro parou em defesaça de Gatito, Willian acertou a trave e Everton chutou por cima do gol. A decisão foi para os pênaltis.

Mesmo com as eliminações diante do próprio Paraguai, também nos pênaltis, também na Copa América, o Brasil teve cabeça para converter as cobranças e garantir a classificação.

Punição por gritos homofóbicos

Pouco antes de a bola rolar, a Conmebol divulgou uma multa de US$ 15 mil (aproximadamente R$ 57 mil) para a CBF por conta de gritos homofóbicos da torcida brasileira, na vitória sobre a Bolívia, no Morumbi, ainda na abertura da Copa América.

O regulamento disciplinar prevê a punição para “insulto ou atentado contra a dignidade humana de outra pessoa ou grupo de pessoas, por qualquer meio, por motivos de cor de pele, raça, etnia, idioma, credo ou origem”.

 

Fonte: R7

Notícias Relacionadas