Entenda como o Corinthians se protege para não perder Gil de graça em dezembro

A diretoria do Corinthiansgarante não ter nenhuma preocupação em perder Gil, contratado por apenas seis meses, ao término desta temporada.

Com um novo contrato de três anos apalavrado com o zagueiro para o início de janeiro de 2020, a diretoria acredita ter se protegido juridicamente.

Segundo fonte ouvida pelo GloboEsporte.com, há multa prevista em caso de descumprimento do novo contrato. Pela boa relação entre diretoria, jogador e seu empresário (Carlos Leite), porém, há o entendimento que dificilmente o zagueiro de 32 anos sairia de graça do Timão.

Como publicou o “Uol Esporte” nesta semana, a decisão de firmar um contrato de apenas seis meses com Gil partiu do departamento financeiro do clube, que tenta evitar um déficit no balanço ao final do ano.

Adiando o início do pagamento das luvas para janeiro, o clube consegue fechar o ano contábil no azul, como programado na previsão orçamentária, que espera superávit de R$ 650 mil. O valor total das luvas que serão pagas ao jogador a partir de 2020 não foi revelado.

No dia 3 de julho, data do anúncio da contratação, o Corinthians informou que o contrato de apenas seis meses foi um pedido de Gil. Por conta da repercussão do assunto entre os torcedores, o jogador fez uma publicação nas redes sociais dizendo que, ficando no país, o compromisso seria de renovar com o Timão.

No clube desde terça-feira, Gil demorou apenas um dia para conquistar a vaga de titular. Em treinamento realizado no CT Joaquim Grava, o técnico Fábio Carille barrou Henrique e apostou na escalação de uma linha de defesa com Fagner, Manoel, Gil e Danilo Avelar (veja a escalação).

Fonte: globoesporte

Notícias Relacionadas