Melancolia na ousadia? Como a tristeza se mistura ao batidão do funk brasileiro

G1 conversou com produtores, pesquisadores e artistas para investigar os toques melancólicos no meio dos hits sensuais do funk atual.

Por Gabriela Sarmento, G1

Em “Pique de novela” Tati Zaqui e MC Don Juan cantam: “Tá vendo esse casal, ‘mó’ pique de novela, podia ser nós dois, mas você não coopera”. Só um dedilhado que lembra caixinha de música acompanha as vozes, antes do batidão. “É meio triste, né?”, diz Tati sobre a faixa recém-lançada.

“Já recebi várias mensagens das pessoas falando que dá para chorar e rebolar a bunda ao mesmo tempo”, conta Tati Zaqui.

A música segue uma leva de funks em que a melancolia se mistura à ousadia. O próprio Don Juan se consagrou com o “não dá maaais” de “Amar, amei” no verão de 2018. “Parado no bailão” (L Da Vinte e Gury) e “Fazer falta” (Livinho) também foram nº 1 renovando a expressão “sentar e chorar”

O diretor e empresário Kondzilla apontou em entrevista a relevância da melancolia nos funks sensuais que estão entre os mais tocados hoje. O G1 analisou este elemento em hits recentes e em faixas atuais nos rankings, e falou com músicos, produtores e pesquisadores.

Entre melodias em tom menor, letras sobre relações sofridas, dissonâncias, andamentos e vocais arrastados, dá para notar que:

  • Funks têm produção cada vez mais rica – além de trazer outros instrumentos e texturas, as harmonias ficaram mais complexas e, por consequência, podem gerar diferentes sentimentos em quem ouve;
  • Há influência do trap, do emo-rap, e de um tom tristonho em geral na música atual, vide Post Malone, Lana Del Rey, Lil Uzi Vert… Ou seja: a melancolia é só mais um dos sentimentos diversos que as produções estão expressando. Essa angústia romântica não é novidade no estilo, mas é bem ressaltada. Ainda mais com o impulso dessa fase angustiada do pop global, no qual o funk está inserido.

Toque de lágrima no molho picante

Entre as 20 músicas mais tocadas no Spotify no dia 27 de julho, cinco são funks e quatro apresentam algum elemento acima citado. São elas:

  • “Evoluiu” – Mc Kevin o Chris
  • “Uma nora para cada dia” – Kevinho
  • “Quando a Vontade Bater” – PK e PK Delas
  • “Sentou e Gostou” – MC JottaPê
  • “Ela é do Tipo” – MC Kevin O Chris

Todas têm forte teor sexual. E, exceto a faixa serelepe de Kevinho, as outras quatro têm algum toque soturno em certos trechos – bem sutil e via influência do trap em “Sentou e gostou”, e mais forte na introdução de “Quando a vontade bater”.

“É uma sonoridade que acaba ficando pop. Pela melodia e pela riqueza melódica você ganha isso. Tem conteúdo melódico, tem informação, tem melodia, tem emoção”, comenta o produtor Papatinho sobre Kevin o Chris.

Kevin O Chris explodiu depois do 'Medley da Gaiola', com Dennis, ganhou projeção com 'Ela É Do Tipo' e segue no topo com 'Evoluiu' — Foto: Reprodução/Instagram/MCKevinOChrisKevin O Chris explodiu depois do 'Medley da Gaiola', com Dennis, ganhou projeção com 'Ela É Do Tipo' e segue no topo com 'Evoluiu' — Foto: Reprodução/Instagram/MCKevinOChris

Kevin O Chris explodiu depois do ‘Medley da Gaiola’, com Dennis, ganhou projeção com ‘Ela É Do Tipo’ e segue no topo com ‘Evoluiu’ — Foto: Reprodução/Instagram/MCKevinOChris

Notícias Relacionadas