Mano Menezes pede demissão e não é mais técnico do Cruzeiro

derrota para o Internacional por 1 a 0 em pleno Mineirão, foi a “gota d’água” para encerrar a passagem de Mano Menezes no Cruzeiro. Após uma conversa no vestiário com os jogadores e membros da diretoria, o treinador comunicou a sua demissão do cargo de comandante do time celeste.

Mano sai do Cruzeiro por uma pressão que se tornou insuportável com os maus resultados dentro de campo. Nos últimos 18 jogos, o time azul venceu apenas um, sobre o Atlético-MG pela Copa do Brasil, deixando a equipe em situação periclitante no Campeonato Brasileiro e prestes a ser eliminado na Copa do Brasil pelo Internacional.

O treinador foi direto, sem firulas ou floreios ao avisar que estava deixando o comando técnico da Raposa. Mano reforçou que sua saída é para achar uma outra forma do time reagir com outro profissional e que o momento de sair é agora, para evitar uma crise ainda maior nos torneios que o Cruzeiro ainda disputa em 2019.

“O pessoal (imprensa) está com o instinto bom e gostaria de comunicar oficialmente que a gente interrompe o trabalho no Cruzeiro porque entendemos que era o momento e não poderíamos estender mais essa fase. São 18 jogos e uma vitória e no futebol isso não se sustenta. A decisão partiu de uma consciência de que as coisas podem piorar e as coisas não podem piorar”, disse Mano na entrevista coletiva ao lado do Gerente de Futebol Marcone Barbosa e do Diretor de Futebol Marcelo Djian.

O treinador demonstrou incômodo com as vaias e os gritos de “burro” que foram ouvidos na parte final do duelo contra o Colorado.

“O torcedor da gente não pode achar que somos burros. E tenho muito respeito pelo Cruzeiro e não vou permitir que isso aconteça mais. A forma como estamos perdendo mostra que é hora de fazer algo. Por isso viemos aqui fazer esse comunicado”, reforçou.

Mano Menezes enfatizou que não houve qualquer atrito ou desavença com alguém do clube ou com o elenco de jogadores, como foi especulado em alguns momentos devido aos maus resultados.

“Não tivemos briga com jogadores ou internamente. Não tenho problema com ninguém. Os atletas viram como foi a despedida que fiz com eles. O mesmo futebol que dá, o futebol tira. As causas da queda de rendimento podem ser mais complexas do que só dentro do campo. Mas dentro do campo eu sou o responsável e por isso acho que o Cruzeiro precisa reagir. Eu mesmo como técnico estive aqui duas vezes para iniciar uma reação. Hoje precisa vir outro profissional para fazer essa reação acontecer. Não tenho mais nenhuma outra justificativa. Se houvesse outras respostas e justificativas, não precisaria de eu estar aqui falando com vocês”, finalizou o agora ex-técnico da Raposa.

Trajetória de Mano no Cruzeiro

Mano Menezes estava em sua segunda passagem pelo Cruzeiro. Na primeira, em 2015, o treinador conseguiu oito vitórias, seis empates e duas derrotas (62% de aproveitamento), tirando a Raposa do fantasma do rebaixamento naquele ano. No fim de 2015, Mano foi para a China e voltou em meados de 2016, onde está até hoje, comandando o Cruzeiro.

Mano Menezes estava em sua segunda passagem pelo Cruzeiro. Na primeira, em 2015, o treinador conseguiu oito vitórias, seis empates e duas derrotas (62% de aproveitamento), tirando a Raposa do fantasma do rebaixamento naquele ano. No fim de 2015, Mano foi para a China e voltou em meados de 2016, onde está até hoje, comandando o Cruzeiro

O treinador venceu os títulos do Campeonato Mineiro de 2018 e 2019 e duas Copas do Brasil, também de forma consecutiva, 2017 e 2018, feito inédito no futebol nacional.

Fonte: R7

Notícias Relacionadas