Brasil tem mais um dia ‘dourado’ e se isola no 2º lugar do quadro geral

Natação, judô e atletismo aumentaram a distância do país verde-amarelo para México, Canadá e Cuba, que de longe veem brasileiros com 36 ouros

Na quinta-feira (8) de Jogos Pan-Americanos Lima 2019, o Brasil viveu mais um dia com diversas medalhas de ouro, disparou no quadro geral de medalhas e se isolou na vice-liderança, à frente de potências das Américas como Canadá, Cuba e México.

Para alcançar o 36º ouro, a delegação brasileira contou com a natação, o judô e o atletismo, que renderam mais pódios ao país. Abaixo do Brasil no quadro estão México (3º lugar, com 27 ouros), Canadá (4º lugar, com 26 ouros) e Cuba (5º lugar, com 23 ouros).

Natação garante mais medalhas, sendo dois ouros

A natação brasileira teve mais uma noite vitoriosa em Lima. Na Videna (Villa Deportiva Nacional), foram duas medalhas de ouro (revezamento 4 x 100 m quatro estilos misto e Marcelo Chierighini, nos 100 m estilo livre), duas de prata (Miguel Valente, nos 800 m livre, e Guilherme Guido, nos 100 m costas) e três de bronze (Etiene Medeiros, nos 100 m costas; Viviane Jungblut, nos 800 m livre; e Larissa Oliveira, nos 100 m livre) conquistadas pelo Brasil.

O destaque da noite ficou para a equipe do revezamento 4 x 100 m quatro estilos misto, que ao fim da prova havia ficado com a prata. Uma revisão, no entanto, apontou o movimento ilegal de um dos nadadores norte-americanos, que tinham faturado o ouro, desclassificando-os da categoria. Assim, o Brasil chegou ao lugar mais alto do pódio.

No atletismo, ouro de novato e classificação direta no 4×100 m

O grande feito do atletismo brasileiro na quinta-feira foi a medalha de ouro de Alison Brendom nos 400 m com barreiras. O atleta de 19 anos começou mal a prova, mas se recuperou aos poucos e assumiu a liderança após a queda de Juander Santos Aquino, da República Dominicana, já na reta final da disputa.

Outro destaque ficou para a classificação automática de nove países à final do revezamento 4×100 m masculino. Inicialmente, seriam cinco equipes em duas baterias, brigando por oito vagas, mas a Colômbia não se apresentou e a organização dos Jogos decidiu colocar as nove restantes na decisão.

Jovens garantem dois ouros no judô

Apenas 20 anos de idade têm os judocas Renan Torres (categoria até 60 kg) e Larissa Pimenta (até 52 kg), responsáveis por duas medalhas de ouro para o Brasil no primeiro dia da modalidade em Lima 2019.

Número 90 do mundo, Renan venceu na final o equatoriano Lenin Preciado, 18º no ranking, no golden score. Já Larissa derrotou a mexicana Luz Olivera, também no golden score, após Olivera receber três advertências por falta de combatividade.

No vôlei, seleção vive situação complicada

Após a boa estreia com vitória por 3 sets a 0 diante de Porto Rico, a seleção brasileira feminina de vôlei sofreu uma dura derrota: contra a Argentina, o Brasil perdeu por 3 a 0. Agora, se quiser avançar à próxima fase, a equipe deverá vencer os Estados Unidos nesta sexta-feira (9), no ginásio Polideportivo Callao.

Fonte: R7

Notícias Relacionadas