Presidente do Equador derruba decreto que gerou revolta no país

Depois de 11 dias de protestos, o presidente do Equador, Lenín Moreno, decidiu derrubar o decreto que encerrava um subsídio sobre o preço dos combustíveis.

Com isso, os movimentos indígenas, que eram as principais lideranças da revolta popular, decidiram encerrar os protestos.

A decisão ocorreu após uma reunião entre Moreno e líderes indígenas, no início da noite deste domingo (13), na qual foram negociadas, também, condições para o fim da repressão sobre os manifestantes, como o fim das greves no país e a criação de um comitê para analisar possíveis alternativas ao decreto 883.

Apesar disto, as aulas ainda não devem ser retomadas nesta segunda-feira (14).

Fonte: R7

Notícias Relacionadas