Técnica e perfil de Libertadores: o que faz a diretoria do Palmeiras insistir na contratação de Rony

Até aqui tímido no mercado, sem nenhum reforço contratado para a temporada, o Palmeiras já admite publicamente interesse em Rony, atacante do Athletico. Embora a negociação não seja simples, a transferência pode ocorrer.

Diferentemente do que aconteceu com outros nomes, como Michael, que acabou trocando o Goiás pelo Flamengo, o de Rony é realmente tratado como um grande desejo da diretoria e da comissão técnica agora chefiada por Vanderlei Luxemburgo.

Para a alta cúpula palmeirense, além da qualidade técnica e da velocidade, Rony tem característica fundamental para valer o esforço financeiro. Os dirigentes enxergam no ponta um jogador de luta, algo que o presidente do clube, Maurício Galiotte, cobrou em entrevista coletiva no fim do ano passado.

– Jogador para jogar no Palmeiras precisa ter qualidade, espírito de luta, respeito à camisa e coragem. Essa mudança vai ocorrer em relação também ao plantel – disse, em dezembro, no dia da demissão do técnico Mano Menezes e do diretor Alexandre Mattos.

A pessoas próximas, Galiotte comentou que vê justamente esse perfil em Rony, campeão de dois torneios mata-mata com a camisa do Athletico (Copa Sul-Americana e Copa do Brasil). Um perfil que a diretoria considera ideal para a disputa da Libertadores, principal objetivo da temporada.

Na difícil negociação, que tem como principal entrave um impasse financeiro entre o próprio jogador e seu atual clube, o Palmeiras inicialmente não tem intenção de envolver a ida de algum atleta, em especial de nenhum titular.

A ida do diretor de futebol do Palmeiras, Anderson Barros, à Curitiba fez a negociação avançar, mas ainda não há um desfecho, apesar de o executivo ter considerado produtiva a conversa. Enquanto aguarda a definição de seu futuro, Rony tem treinado com o time de aspirantes do Athletico.

Fonte: globoesporte

Notícias Relacionadas