Estudo sugere que coronavírus sobrevive em ambientes por até três dias

O novo coronavírus da China (Covid-19) pode sobreviver fora do organismo humano por várias horas ou até três dias em determinadas superfícies. Essa é a conclusão de um estudo feito pelo Instituto Nacional de Saúde, agência do governo dos Estados Unidos.

O vírus pode sobreviver por mais tempo em plástico ou aço inoxidável, chegando a dois ou três dias de sobrevida. No ar, ele pode permanecer por três horas. Em cobre, resiste por quatro horas. Em papelão, por 24 horas.

Com base na tese dos cientistas, uma pessoa pode contrair o Coiv-19 apenas por compartilhar o ambiente com uma pessoa infectada – mesmo que horas mais tarde.

O estudo, porém, não é conclusivo quanto à contaminação do novo coronavírus pelo ar.

Relevância científica

Dado o curto prazo de existência do Covid-19, apesar dos esforços globais da comunidade científica, muitos estudos a respeito do novo vírus ainda são preliminares – e este novo do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos não é exceção.

A pesquisa ainda carece de uma análise da comunidade, ainda que conte com a credibilidade de uma entidade de saúde pública governamental. Com isso, o estudo ainda não pode ser levado em conta como guia para a prática clínica.

Como o conavírus entra no organismo

Em um estudo científico publicado na revista Science em caráter extraordinário, pesquisadores do Instituto para Estudos Avançados de Hangzhou, da Universidade Westlake de Hangzhou e da Universidade de Pequim, analisaram o contágio do Covi-19 no corpo humano.

A descoberta foi de que o vírus se liga a uma proteína presente na membrana celular do organismo humano. Com isso, os cientistas abrem o caminho para pesquisa de novas drogas que agem para conter o contágio do coronavírus. Agora, a expectativa é de que a comunidade científica consiga definir a estrutura completa dessa proteína para que, assim, as pesquisas avançar mais.

Apesar de já existirem algumas possíveis vacinas para o Covid-19, ainda falta cerca de um ano para que elas estejam efetivamente prontas para aplicação em ampla escala na população mundial.

A economia e o coronavírus

Como mostra a reportagem de capa da Revista EXAME desta quinzena, a OCDE, clube dos países ricos, lançou um relatório que projeta que o impacto mundial do coronavírus deve devorar de 0,5 a 1,5 ponto percentual do PIB global. Trata-se de um valor de 500 bilhões a 1,4 trilhão de dólares em geração de riqueza que simplesmente deixará de existir por causa do Covid-19.

Fonte: msn

Notícias Relacionadas