Indústria musical prepara ‘blecaute’ em homenagem a George Floyd

A indústria da música está pedindo uma “terça-feira negra” em resposta à morte de George Floyd. As informações são do site The Hollywood Reporter.

De acordo com a publicação, várias empresas de música e artistas começaram a espalhar uma mensagem nas mídias sociais pedindo “um dia para se desconectar do trabalho e se reconectar à nossa comunidade” e “uma etapa de ação urgente para provocar responsabilidade e mudança”.

“Como guardiões da cultura, é nossa responsabilidade não apenas nos unir para comemorar as vitórias, mas também nos segurar durante a perda”, lê-se o comunicado que está sendo divulgado sob a hashtag #TheShowMustBePaused.

O blecaute proposto está marcado para amanhã, terça-feira (2). Entre as gravadoras que publicaram a mensagem estão a Warner Music Group, Sony / ATV, Abbey Road Studios, Ebro Darden, da Apple Music, BMG, entre tantas outras.

Já entre os artistas, estão: Mick Jagger, Steve Vai, Alejandro Sanz, The Pussycat Dolls. Peter Gabriel, um dos fundadores do Genesis e um dos maiores representantes da World Music desde o final dos anos 1970, falou sobre o assunto.

“Junto com o mundo, fiquei horrorizado com o assassinato racista de George Floyd. Esse tipo de brutalidade precisa ser confrontado diretamente com a justiça sempre e onde quer que ocorra. Nossa organização de direitos humanos tem ajudado grupos que monitoram a violência policial e espero que esses protestos não apenas levem à abordagem dos problemas na raiz disso, mas também incentivem uma visão mundial de como cada país está lidando com o racismo. e perseguição religiosa dentro de suas próprias fronteiras”, escreveu.

“Os políticos estão tentando obter apoio alimentando o nacionalismo e o racismo para seu próprio ganho. Se não gostamos do jeito que as coisas estão indo, temos que falar e agir. O mundo só pode ser o que escolhemos fazer”, acrescentou o músico.

No início desta semana, um vídeo da morte de Floyd apareceu mostrando o policial Derek Chauvin de Minneapolis ajoelhado no pescoço de Floyd por oito minutos. Chauvin foi acusado mais tarde de assassinato em terceiro grau e homicídio culposo na morte de Floyd.

Fonte: R7

Notícias Relacionadas