MPF pede ampliação de pena para acusados de fraude superior a R$ 50 milhões em agência bancária de Fortaleza

O Ministério Público Federal (MPF) entrou com recurso para pedir ampliação de pena e questionar as condenações aplicadas a um grupo criminoso que movimentou irregularmente dinheiro de agência bancária da Caixa Econômica em Fortaleza e causou prejuízo de mais R$ 50 milhões. Ação foi feita junto ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5), segundo o MPF informou nesta quarta-feira, 29.

22 pessoas, entre empresários e funcionários da Agência Náutico, localizada na avenida Desembargador Moreira, foram denunciadas em 2017 por esquema de operações irregulares de crédito. Recurso do MPF pede que os réus sejam condenados por gestão temerária e lavagem de dinheiro, além de reverter a absolvição pelos crimes de peculato e inserção de dados falsos. As penas já definidas, conforme a ação, devem ser mantidas.

O grupo foi condenado em primeira instância pela 32ª Vara da Justiça Federal do Ceará. O esquema funcionava com a aprovação de créditos, por funcionários do banco, em desacordo com a normas bancária e com a utilização de documentação falsa, além de proveito pessoal para os envolvidos.

O esquema criminoso envolvida empresas de fachada do ramo da construção civil, vinculadas ao grupo ACMedeiros. As transações financeiras fraudulentas se deram entre anos de 2012 e 2014. Os envolvidos foram denunciados por uma série de crimes como estelionato, corrupção passiva e ativa, organização criminosa e gestão fraudulenta.

Fonte: Opovo

Notícias Relacionadas