Câmara de Canindé gasta verba pública sem licitação na compra de amônia

Em meio à pademia  do coronavírus no Ceará, uma Câmara Municipal do interior  gastou dinheiro público na compra de amônia, o mesmo composto químico que causou a tragédia no Líbano com mais de 150 mortos e 60 pessoas ainda desaparecidas.

Cerca de R$ 5 mil reais foram gastos pela Câmara Municipal de Canindé para a compra do material químico com dispensa de licitação. De acordo com o Portal da Transparência, a aquisição do material teve como objetivo “a prestação de serviço de imunização e controle de pragas urbanas  e sanitização com Amônia quaternária no prédio da Câmara Municipal de Canindé do Arquivo Morto”.

A empresa contratada pela Presidência da Câmara, de acordo com o contrato  pertence ao empresário Fernando Dias Borges.

O presidente da Câmara, Francisco Alan Panta, assinou o contrato para a compra do material químico mesmo estando o prédio sem funcionamento devido a suspensão das atividades decorrente d pandemia do Covid -19.

Fonte: R7

Notícias Relacionadas