Apontado como executor de coroinha é preso na Barra do Ceará, em Fortaleza

A Polícia Civil prendeu o suspeito de ser o executor da morte do coroinha Jefferson de Brito Teixeira, de 14 anos, na manhã deste sábado (12). O suspeito, de 19 anos, foi localizado por equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) no mercado dos peixes da Barra do Ceará, em Fortaleza, mesmo bairro onde a vítima foi executada.

O coroinha da Paróquia São Pedro foi assassinado a pauladas, pedradas e tiros no dia 18 de agosto.De acordo com os levantamentos policiais, Jefferson foi morto por ter sido confundido com um integrante de uma organização criminosa rival.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), havia um mandado de prisão preventiva contra Antônio Ivo do Nascimento Fernandes, oriundo da 3ª Vara do Júri da Comarca de Fortaleza. Outros três homens já haviam sido presos por envolvimento no crime.

Prisões

O primeiro a ser capturado foi Robson Vasconcelos, de 18 anos. Ele foi preso pela Força Tática do 20º Batalhão Policial Militar (BPM), em uma barraca de praia na Avenida José Sales, no Conjunto Vila do Mar. O suspeito confessou aos policiais que teria agredido o adolescente.

Em seguida, a polícia prendeu David Hugo Bezerra da Silva, de 24 anos, com passagens por tráfico de drogas, associação para o tráfico e porte ilegal de arma de fogo, e José Jorge de Sousa Oliveira, de 25 anos, com antecedentes por tráfico de drogas e posse de drogas. Outro homem também foi detido logo em seguida à prisão de Robson.

Com David Hugo e José Jorge, os policiais civis encontraram dois anéis com símbolos que fazem alusão a uma organização criminosa.

Os quatro suspeitos foram conduzidos para a sede do DHPP, no Bairro de Fátima. Na delegacia, após prestarem esclarecimentos sobre o crime, Robson, David e José Jorge foram autuados em flagrante por homicídio qualificado por meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima e também por integrar organização criminosa. Já o quarto suspeito conduzido para a delegacia foi ouvido como testemunha e liberado por não haver indícios da participação dele no crime.

Papa Francisco lamentou a morte do coroinha

A Paróquia São Pedro, templo que a vítima frequentava, informou que após a morte de Jefferson, o paroquiano Kilbert Amorim Maciel escreveu uma carta para o Papa Francisco descrevendo o assassinato do coroinha.

Carta do Papa Francisco para a avó de Jefferson morto no mês de agosto em Fortaleza. — Foto: Reprodução

Fonte: G1

Notícias Relacionadas