Análise: Ceará engata 4º jogo sem vitórias no Brasileirão com atuação morna e liga alerta

O jogo contra o Athletico-PR na noite desta quinta-feira (8) poderia ser enxergado como uma oportunidade do Ceará para voltar a vencer no Brasileirão e subir mais posições na tabela. Apesar de maiores chances, o Vovô mostrou pouca criatividade para conseguir balançar as redes de Jandrei, e passa a ficar ligado com a proximidade do Z-4.

Na escalação, novidades apenas na zaga: Eduardo Brock fez dupla com Luiz Otávio. Mais descansados, Bruno Pacheco, Vinícius, Fernando Sobral, Ricardinho e Rafael Sobis retomaram a titularidade. Mesmo sem Charles, suspenso, a proposta é a mesma de outros jogos: forte marcação na defesa e no meio-campo e descidas rápidas em contra-ataque.

Primeiro tempo: uma bola na trave e nada mais

Athletico Ceará — Foto: Matheus Sebenello/NeoPhoto

Apesar de boa movimentação de ambos os lados, a efetividade passava longe de ser uma constante no começo da partida. Com defesa bem postada, o Ceará encontrava dificuldade em reter a bola no gramado sintético da Arena da Baixada, e o Athletico-PR dominava a posse e levava certo perigo. Aos 18 minutos, Ricardinho chutou cruzado e Jandrei defendeu, com a bola batendo na trave.

Essa foi a melhor chance do primeiro tempo para ambos os lados. As transições do Vovô mostravam precipitação e não levavam perigo real para a meta do Furacão. Rafael Sobis, praticamente isolado no ataque, esteve longe da forma ideal: não conseguiu reverter as bolas alçadas para ele em chance real de gol, e abusou de bolas aéreas.

Apesar do momento das duas equipes, o jogo dava sinais de que se encaminhava para um empate sem gols de forma sonolenta. Ao apito final do primeiro tempo, o 0 a 0 refletia a pouca capacidade de ser efetivo.

Segundo tempo: por um detalhe

Athletico-PR Ceará — Foto: Miguel Basso/Ceará SC

O rumo do jogo teve uma leve mudança de percurso na etapa final, com um Ceará mais ativo e que poderia ter saído com a vitória. Sobis começou mandando uma bola por cima da meta logo aos 4 minutos. Desde então, o time mostrou uma faceta mais ofensiva com o contra-ataque, mas sem perigo real.

Com as entradas de Bergson e Mateus Gonçalves, o Alvinegro passou a ter um pouco mais de mobilidade ao ataque. A grande chance da partida veio aos 28 minutos: em escanteio cobrado por Vina, a bola desviou em Luiz Otávio e ia para o fundo das redes, mas Abner Vinícius, do Athletico, evitou o gol em cima da linha.

O detalhe, como declarou Guto Ferreira, fez falta. É verdade que o Ceará cresceu na partida após o lance do zagueiro capitão, e chegou com perigo na bola aérea com Vina e boas descidas pela esquerda com Mateus Gonçalves, mas foi insuficiente para balançar as redes. No fim, empate em 0 a 0 e alerta pela proximidade do Alvinegro com o Z-4 do Brasileirão.

Estatísticas de Athletico-PR 0 x 0 Ceará

  • Posse de bola: 61% x 39%;
  • Finalizações: 14 x 13;
  • Finalizações no gol: 1 x 4;
  • Passes: 562 x 350;
  • Passes certos: 496 (88%) x 277 (79%);
  • Desarmes: 10 x 10;
  • Interceptações: 16 x 20;
  • Cortes: 12 x 23.

Novo confronto direto

Com o resultado, o Ceará caiu para a 14ª posição, com 15 pontos, a mesma pontuação do Botafogo, primeiro time dentro do Z-4. O próximo adversário da equipe de Guto Ferreira é o Corinthians, 15º lugar. Em mais um jogo contra um concorrente direto na luta para fugir da zona de rebaixamento, o desafio do Vovô é interromper a sequência de quatro jogos sem vitórias no Brasileirão.

Fonte: Globo Esporte

Notícias Relacionadas