Técnica de enfermagem é a primeira a ser vacinada na região do Cariri cearense

Técnica em enfermagem Maria Francineide de Brito recebeu a dose da vacina em Barbalha, segunda cidade do interior do Ceará a iniciar a vacinação.

 

A técnica de enfermagem Maria Francineide de Brito foi a primeira pessoa a ser vacinada contra a Covid-19 na região do Cariri. Ela foi imunizada na manhã desta terça-feira (19), no Caps III, antigo Centro de Saúde Materno Infantil, no município de Barbalha.

Além dela, a enfermeira Maria das Dores Felipe de Lacerda, 31 anos, coordenadora da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Covid do Hospital Maternidade São Vicente de Paulo, também foi imunizada. As vacinas foram aplicadas pelo prefeito da cidade, Guilherme saraiva, que também é médico.

Para Maria Francineide, ser a primeira pessoa vacinada na região é motivo de muita alegria e de esperança para voltar a vida normal.

“Esse momento é de grande importância, estou de uma felicidade tremenda, por que a vacina é algo esperado no mundo inteiro e nós tínhamos medo que não chegasse pra gente tão cedo. Sabemos que só com a vacina nós poderemos ter a esperança de voltar a nossa vida normal. Agora nós temos um caminho e um futuro”, afirma.

Já a enfermeira Maria das Dores vê o início da vacinação como um “momento histórico e de gratidão”.

“Chega a ser um momento histórico e de gratidão, pela representatividade com o compromisso com a instituição da qual eu faço parte. Estivemos aí desde o início do enfrentamento muito longo desse momento tão crítico da nossa sociedade e hoje renova a esperança, não só para o nosso município, como para o Estado do Ceará e o Brasil”, afirma.

Barbalha é o segundo município do interior do Estado a iniciar a vacinação. O primeiro foi Sobral, onde a agente de saúde Ana Maria do Nascimento, de 64 anos, foi a primeira pessoa na região norte do Ceará a receber a vacina contra o novo coronavírus.

A cidade recebeu recebeu 820 doses da vacina CoronaVac, desenvolvida pela chinesa Sinovac e produzida pelo Instituto Butantan. O quantitativo representa 34% do público prioritário da primeira fase de vacinação.

 

Primeira a ser vacinada no Ceará

A técnica de enfermagem Maria Silvana Souza Reis, de 51 anos foi a primeira a receber a dose da vacina contra a Covid-19 no estado do Ceará. Ela foi imunizada por volta das 19h18 no Hospital Leonardo da Vinci, em Fortaleza.

Emocionada, a profissional deixou um recado para todos os cearenses sobre o imunizante que acabara de receber.

“Não tenha medo de se vacinar de jeito nenhum. Sempre estive na linha de frente tomando de conta de todos os pacientes. Vinha e voltava de ônibus, saindo de casa 5 horas da manhã. É muita emoção”, afirmou.

A técnica de enfermagem Maria Francineide de Brito foi a primeira pessoa a ser vacinada contra a Covid-19 na região do Cariri. — Foto: Reprodução

Técnica de enfermagem foi a primeira a ser imunizada contra a doença no Ceará — Foto: Helene Santos

Técnica de enfermagem foi a primeira a ser imunizada contra a doença no Ceará — Foto: Helene Santos

Ela, outros quatro profissionais que atuam na linha de frente da pandemia de Covid-19 e um indígena compõem a lista dos seis primeiros vacinados contra a doença no estado. O avião que trazia as 218 mil primeiras doses da Coronavac ao Ceará pousou no fim da tarde desta segunda-feira (18).

 

Os primeiros vacinados em solo cearense são:

Maria Silvana Souza Reis, 51 anos, técnica de enfermagem

Maria de Jesus de Oliveira Lima, 56, serviços gerais

Francisco Adailton Alencar Braga, 55 anos, médico de intensivista.

Cristine Aparecida da Cunha, fisioterapeuta, 39 anos

Regiane Sousa Torres, enfermeira, 34 anos

Dourado Tapeba, liderança indígena do Polo Caucaia, 59 anos

 

Chegada da vacina ao Ceará

A primeira carga de Coronavac, vacina contra a Covid-19, chegou a Fortaleza na tarde desta segunda-feira. O avião da Força Aérea Brasileira (FAB) aterrissou na pista do Terminal de Aviação Táxi Aéreo, conhecido como aeroporto velho de Fortaleza.

A carga contém 218 mil doses do imunizante, suficiente para prevenir 109 mil pessoas da doença, já que cada um deve receber duas doses da vacina. O intervalo entre a primeira e a segunda aplicação deve ser entre duas e quatro semanas.

 

Fonte: G1 CE

Notícias Relacionadas