44 foragidos da Justiça do Ceará foram presos em outros estados em 2020

Alvos são suspeitos de homicídios, tráfico de drogas, estupro de vulnerável e até estelionato

Durante o ano de 2020, 44 foragidos da Justiça cearense foram capturados em outros estados do Brasil pela Polícia Civil do Estado. As ações ocorreram em parceria com outras corporações nacionais e miraram em alvos de homicídios, tráfico de drogas, roubo, estupro de vulnerável e estelionato.

Conforme a Polícia Civil, ao todo, foram 40 homens e quatro mulheres capturados durante o ano passado. Eles foram localizados em 12 estados da federação, além do Distrito Federal. Cerca de 70% deles foram capturados em estados do Nordeste.

Um deles foi Francisco Cilas de Moura Araújo, acusado de ser líder de uma facção criminosa de origem carioca na cidade de Caucaia, na Grande Fortaleza. Ele foi detido, em julho de 2020, em um apartamento na cidade de Teresina (PI). A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) chegou a oferecer recompensa de R$ 10 mil a quem indicasse a sua localização.

Do mesmo grupo criminoso e também com recompensa para quem divulgasse sua localização, Alban Darlan Batista Guerra foi localizado no Rio de Janeiro, no fim de julho do ano passado. Ele era um dos criminosos mais procurados do Estado e foi morto durante a operação policial que o havia identificado.

Recambiamento

De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil do Ceará, Marcus Rattacaso, os suspeitos identificados “preferem se ausentar do estado, pensando que, com a fuga e a mudança de domicílio, poderão agir, sem nenhuma pressão da Polícia para capturá-los.”

Contudo, ele aponta que as operações interestaduais mostram o contrário: “com o trabalho desenvolvido e a junção das forças, é possível localizar e recambiar ao Estado para que paguem pelos crimes cometidos”.

Uma das últimas prisões realizadas durante o ano de 2020, fora do Ceará, foi a de Valesca Teixeira dos Santos, de 22 anos. Ela foi localizada na cidade de Santo André, em São Paulo, e era procurada pela Polícia Civil por envolvimento em, pelo menos, dez homicídios.

Conforme as apurações policiais, os crimes cometidos por ela foram motivados por uma desavença entre ela e o ex-companheiro. Após o fim do relacionamento, ela passou a atuar em uma facção criminosa rival a do ex.

  

Fonte:  G1 CE

Notícias Relacionadas