Guto elogia estreias, aprova atuação em triunfo e prevê evolução do Ceará

O técnico Guto Ferreira manteve a postura pés no chão, mas não poupou elogios na entrevista coletiva após a vitória do Ceará sobre o CSA-AL, por 2 a 0, nesta quarta-feira, 31, na Arena Castelão, pela sexta rodada da Copa do Nordeste, e projetou evolução da equipe nos próximos jogos a partir da força do grupo.

Sem o volante Fernando Sobral, diagnosticado com Covid-19, e o atacante Jael, que sofreu lesão muscular, o Vovô contou com atuação inspirada do colombiano Steven Mendoza para assegurar os três pontos. O camisa 10 participou dos principais lances ofensivos, abriu o placar e deu assistência para Felipe Vizeu selar o resultado.

“Nós tivemos a felicidade de, na situação da criação, das várias criações que nós tivemos, conseguir, em um chute muito bom do Mendoza, ter a felicidade de fazer o gol. Uma pancada linda de fora da área. Nós tivemos, no primeiro tempo, N chances. Se tivesse terminado 3 ( a 0) estaria tranquilo, não seria nada de mais. Nós estivemos próximos disso. Tivemos uma queda no segundo tempo, normal pela temperatura, pela equipe, que está ainda em um processo de readaptação, de construção, de retomada. Teve uma marcação muito forte no primeiro tempo, teve controle da partida no primeiro tempo e no segundo tempo cedeu um pouco mais de terreno, mas controlou o jogo. Aí, a partir da hora que nós começamos a trocar, nosso time cresceu novamente e conseguiu o segundo gol. Por detalhes, não conseguiu fazer o terceiro também. O gols aconteceram buscando, nada muito diferente do que fizemos nos outros jogos, talvez a situação dessa ser uma equipe que proponha mais o jogo, que saísse mais para o jogo, em um gramado que tinha condições de jogar. Talvez tenha facilitado um pouquinho mais para a gente (…) Vamos seguir trabalhando firme e forte para que a gente possa repetir o jogo de hoje (quarta-feira) nos próximos”, disse o treinador.COPA DO NORDESTE: Guto Ferreira analisa vitória sobre o CSA e vê como normal queda de rendimento no segundo tempo: “Ainda estamosconstrução

As ausências por questões clínicas abriram espaço para as entradas de Charles e Cléber entre os titulares. No decorrer do duelo, outras peças foram acionadas, como o meia Marlon e os atacantes Rick e Vizeu. O jovem ponta participou do lance do segundo gol, mas acabou expulso, enquanto o centroavante voltou a balançar as redes e comemorou o feito. De acordo com Guto, o momento é de equilibrar as opções para o Alvinegro conseguir bons resultados.

“A gente tem que seguir tabalhando, oportunizando. Tem jogadores que dependem de estar jogando para ganhar um ritmo maior, tem jogadores que precisam de mais treinamento para chegar no melhor. Esse ano, a gente tem jogadores que conseguem ter uma proporção de jogo maior, a gente busca uma manutenção maior de posse de bola. O tempo todo trabalhando para acrescentar ao estilo de jogo que a gente já tinha no ano passado. Recuperar aquela situação de uma equipe que morde o jogo todo, que marca forte o jogo todo, transita rápido, mas quando tem espaço, também propõe o jogo. Hoje, nós fizemos um pouco disso. Nós propusemos o jogo, marcamos alto. Fizemos o gol, aí não tem necessidade de estar, o tempo todo, marcando alto e propondo jogo, até por estar ainda na retomada. Então, nós baixamos um pouquinho, eles ganharam um pouco de corpo, nós cansamos um pouco, mas não deixamos de agredir, de ter chances. Tanto é que, no início do segundo tempo, nós estivemos muito próximos de marcar nos dois ou três primeiros lances. Nos detalhes, acabamos não fazendo. Aí, houve uma queda de produção da equipe, começamos a trocar, e a equipe recuperou a estrutura e fez o segundo gol, que trouxe tranquilidade. Essa é uma busca do dia a dia, o tempo todo, durante a competição. Ano passado, a equipe que começou o Brasileiro não foi a equipe que terminou o Brasileiro, sempre tentando aproveitar o melhor momento de cada um, sempre valorizando a todos. O importante é o Ceará”, explicou o comandante.

O confronto diante do Azulão ainda marcou as estreias do lateral-direito Gabriel Dias, ex-Fortaleza, e do zagueiro Messias, que era do América-MG. Guto Ferreira aprovou o desempenho da dupla, destacando a segurança defensiva e ressaltando que alguns ajustes acontecerão com os treinamentos e um maior entrosamento.

“O Messias foi um jogador muito seguro, tranquilo na saída de bola, casou muito bem com o Luiz Otávio. E o Gabriel não foi ainda aquele jogador agressivo que ele costumava ser, mas está retomando. Ficou 15 ou 20 dias parado, quase férias, então vai demorar um pouquinho para ele ganhar ritmo. Mas é um jogador que chega muito rápido, é agressivo no último terço do campo. No defensivo, ele controlou bem o marcador, que é difícil de se jogar contra, gosta muito de ir para o um contra um. Lógico, faltou um pouquinho também de entrosamento maior, uma ou outra situação de posicionamento, que a gente vai corrigindo com o tempo. Não são dois, três treinos que vão fazer eles estarem totalmente entrosados e seguros, mas a experiência deles fez com que eles controlassem bem a partida e tivessem uma estreia muito tranquila”, ponderou.

Fonte: opovo

Notícias Relacionadas