Análise: Santos sofre no segundo tempo e expõe problema na criação de jogadas

O empate entre Santos e Sport, neste domingo, na Arena Pernambuco, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi bem dividido entre dois períodos. Nos primeiros 45 minutos, o Peixe buscou mais o jogo e até teve chance de marcar o gol. Na outra metade, o time mais se livrou da bola do que buscou jogar futebol.

Sem contar com João Paulo e Léo Baptistão, Carille promoveu a estreia de Jandrei e a entrada de Raniel, que havia desencantado na derrota para o Atlético-MG, na quarta-feira. Além disso, o treinador trocou Vinícius Balieiro, que não vinha funcionando bem como zagueiro improvisado, por Danilo Boza, um atleta da posição.

Após dez minutos marcados pelo nervosismo, em que parou na forte marcação dos pernambucanos, a equipe passou a se soltar. Subiu a linha de marcação, pressionou a saída de bola do Sport, roubou bolas e criou oportunidades. E isso mesmo em uma noite na qual Carlos Sánchez e Marinho, principais jogadores da equipe, estiveram pouco inspirados.

Lucas Braga foi o jogador que desafogou o ataque. Pela esquerda, o camisa 30 fez boas jogadas individuais e teve chance de marcar o gol. Porém, parou na trave direita de Maílson. Os 45 minutos terminaram com a esperança de um Santos mais propositivo para a segunda etapa.

Informações do site GE

Notícias Relacionadas