Redação do Portal

Redação do Portal

Arqueólogos egípcios descobriram uma múmia enterrada em um túmulo ainda não explorado em Luxor, às margens do rio Nilo - informou o Ministério das Antiguidades neste sábado (9).

A arqueóloga alemã Frederica Kampp encontrou essa tumba e outra adjacente na década de 1990, mas não chegou a entrar nas jazidas, explicou o Ministério.

As duas tumbas foram registradas com números por Kampp e datam, possivelmente, da época do Novo Reino, há cerca de 3.000 anos.

Desde a descoberta de Kampp, "ambas as tumbas haviam permanecido intactas" até a missão arqueológica iniciar seus trabalhos.

O ministro de Antiguidades, Khaled al-Enany, foi a Luxor anunciar a descoberta na necrópole de Draa Abul Nagaa, perto do conhecido Vale dos Reis, onde foram enterrados muitos faraós. Entre eles, está Tutankamon.

Al-Enany relatou que, além dos objetos funerários, os arqueólogos encontraram "uma múmia envolvida em linho". Análises preliminares apontam para "um funcionário de alto escalão, ou uma pessoa poderosa".

O túmulo pode pertencer a "uma pessoa conhecida como Djehuty Mes, cujo nome aparece em um dos muros", ou "ao escriba Maati, já que seu nome e o nome de sua esposa, Mehi, estão inscritos em 50 cones funerários encontrados na câmara retangular da tumba".

 

 Fonte: msn


O Santos tem um novo presidente. Após muita confusão, a polêmica eleição alvinegra chegou ao fim na noite deste sábado (9). José Carlos Peres foi eleito para comandar o clube no triênio 2018/2020.

Modesto Roma Júnior tentava a reeleição no cargo. Antes da eleição, ele foi denunciado pelos opositores. A oposição alegava fraude e questionava a validade dos votos das urnas 9 e 10, compostas por torcedores que se associaram há um ano, período mínimo para estar apto a participar das eleições.

Peres terminou com 1.851 votos. Em segundo lugar ficaram Roma Júnior e Andres Rueda (cada um deles com 1.661 votos), seguido por Nabil Khaznadar (495 votos).

Cosme: José Carlos Peres quer Robinho e Gabigol

O processo eleitoral em Santos foi marcado por muita confusão, discussões e acusações da oposição. Desde o início da votação, as urnas 9 e 10 foram marcadas por muita demora. As filas se estendiam e eleitores chegaram a demorar até cinco horas para conseguirem votar.

A suspeita foi levantada por uma reportagem da ESPN, que apurou um grande aumento no número de associados do clube nos meses de novembro e dezembro do ano passado. A data limite para que o sócio tivesse direito a voto nestas eleições presidenciais era o dia 9 de dezembro, exatamente um ano antes do pleito. Foram mais de 2000 associações entre os dias 23 de novembro e 9 de dezembro, número maior que o dos meses de julho, agosto, setembro e outubro somados.

Coincidências de endereços de e-mail, residenciais e de números de telefone entre os associados recentes levantam ainda mais questões sobre a legalidade da eleição alvinegra.

Após a divulgação do fato, foi determinado que as urnas fossem divididas de acordo com a data de associação do torcedor. Portanto, as últimas urnas – 9 e 10 – contavam com os sócios mais recentes do Santos.

Durante o dia, o candidato a vice pela Chapa 1, Orlando Rollo, fez diversos vídeos ao vivo em sua rede social denunciando as confusões e o grande número de eleitores de Modesto Roma nas urnas 9 e 10. Integrantes das chapas de oposição checavam com atenção os documentos dos eleitores das urnas suspeitas e geravam uma demora maior nestas filas.

Muitas camisas amarelas, cor da chapa de Modesto, foram vistas nas filas das urnas 9 e 10. Era grande o número de eleitores do atual presidente no setor mais suspeito do pleito. Em São Paulo, um grupo de chineses e coreanos foi flagrado tentando votar. Segundo torcedores presentes no local, eles sequer sabiam o nome do candidato em quem votariam, se limitando a dizer que escolhiam a cor amarela.

Na rua da Vila Belmiro, eleitores foram expulsos da fila após não conseguirem provar serem santistas. Em vídeo publicado nas redes sociais, apoiadores das chapas de oposição intimam um rapaz a cantar o hino do clube e ordenam que ele se retire após não saber responder. A ESPN também havia confirmado a associação de muitos torcedores de outros clubes no período investigado, algo anormal para um clube como o Santos, que não conta com instalações sociais como Palmeiras e Corinthians, por exemplo.

 

 Fonte: R7


Com pelo menos metade dos oito times de cada um dos dois potes com força e tradição suficientes para avançar até a decisão, a Uefa sorteia nesta segunda-feira, a partir de 9h (de Brasília), os confrontos das oitavas de final da Liga dos Campeões.

De um lado, entre os primeiros colocados dos grupos da primeira fase, estão os endinheirados Paris Saint-Germain e Manchester City e os tradicionais Barcelona, Manchester United e Liverpool. No conjunto dos segundos lugares de suas chaves, o atual bi Real Madrid em busca de aumentar sua coleção de troféus para 13, o penta Bayern de Munique, o finalista de duas das últimas três edições Juventus e o renascido Chelsea. Como coadjuvantes que podem estragar a festa de qualquer peso pesado, aparecem Tottenham, Roma e Besiktas levando campanhas vitoriosas. Basel, Porto, Shakhtar Donetsk e Sevilla são os azarões da vez.

São duas as restrições para o sorteio:

Times do mesmo país não podem se enfrentar

Quem saiu do mesmo grupo não duelam de novo nesta fase

As regras impedem clássicos como Barcelona e Real Madrid, por exemplo. E como a quantidade de ingleses foi a maior de times do mesmo país na história, o Chelsea fica com adversário nas oitavas restrito a PSG, Barcelona ou Besiktas - o Roma não pode ser porque era do mesmo grupo.

Então, imagine os seguintes confrontos possíveis:

PSG x Real Madrid

Barcelona x Chelsea

Manchester City x Juventus

Manchester United x Bayern de Munique

Esse último duelo, inclusive, foi final em 1998/99, aquela com virada nos acréscimos em duas cobranças de escanteio dos ingleses. Outras duas repetições de decisões que podem sair envolvem o Liverpool: de 1984/85, com a Juventus, vencida pelos italianos por 1 a 0; de 1980/81, com o Real, em que os Reds levaram a melhor, por 1 a 0.

É de esfregar as mãos à espera de uma fase bem disputada, não? Então, confira direitinho os potes e fique ligado para acompanhar o destino de cada um dos 16 melhores times da Europa no momento:

Pote 1 (primeiros colocados): Manchester United, Paris Saint-Germain, Roma, Barcelona, Liverpool, Manchester City, Besiktas e Tottenham

Pote 2 (segundos colocados): Basel, Bayern de Munique, Chelsea, Juventus, Sevilla, Shakhtar Donetsk, Porto e Real Madrid

Os primeiros colocados jogam primeiro fora de casa nas seguintes datas: 13, 14, 20 e 21 de fevereiro. Depois, decidem diante de suas torcidas, em 6, 7, 13 e 14 de março.

Fonte: globoesporte


O assessor da presidência do Fluminense, Arthur Mahmoud, foi preso na manhã desta segunda-feira, junto com outras duas pessoas, em nova fase da Operação Limpidus, que investiga repasses de ingressos por parte dos clubes de futebol do Rio de Janeiro a suas torcidas organizadas.

Além dele, também foram detidos Leandro Schilling, da empresa Imply, responsável pela tecnologia utilizada em catracas; e Alesson Galbão de Souza, presidente da torcida organizada Raça Fla.

Esta é a segunda fase da operação deflagrada há duas semanas pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), ao lado do Ministério Público e do Juizado Especial do Torcedor.

As autoridades investigam a relação dos quatro clubes grandes do estado com torcidas organizadas, incluindo, entidades banidas dos estádios pela Justiça – apesar da punição, líderes das agremiações seguiam recebendo ingressos das equipes, que eram repassados para venda de cambistas.

No dia 1º de dezembro, Pedro Abad, presidente do Fluminense, esteve entre os alvos de condução coercitiva no Rio de Janeiro, assim como, por exemplo, Eurico Brandão, o Euriquinho, vice de futebol do Vasco e filho de Eurico Miranda; e Anderson Simões, vice-presidente de estádios do Botafogo.

Foram presos na ocasião três líderes de torcidas organizadas do Fluminense: Manuel de Oliveira Menezes, presidente da Young Flu; Luiz Carlos Torres Júnior, o Fila, vice-presidente da mesma agremiação; e Ricardo Alexandre Alves, o Pará, presidente da Força Flu. 

 

 Fonte: msn


O estado do Ceará foi condenado a pagar indenização de R$ 15 mil por danos morais a um casal após uma juíza de paz faltar à cerimônia de casamento civil contratada por ele. De acordo com o Tribunal de Justiça do Ceará, o valor deve ser pago pelo estado por ser o responsável pela atividade dos cartórios, com a qual servidora mantém vínculo empregatício. A decisão, divulgada nesta quarta-feira (6), é da 1ª Câmara de Direito Público, e ainda cabe recurso.

A celebração do casamento aconteceu no dia 17 de janeiro de 2013. Segundo o Tribunal, o casal contratou os serviços do cartório, esperando que a juíza de paz realizasse a cerimônia em um buffet da capital. No entanto, a servidora designada para o trabalho não compareceu ao evento.

Na contestação, a juíza de paz alegou que a sua ausência não impediu a realização da festa, logo, não haveria danos morais a serem indenizados. Já o estado alegou ilegitimidade para figurar na ação, argumentando que não houve comprovação dos danos materiais e morais a serem indenizados.

O juízo da 10ª Vara da Fazenda Pública de Fortaleza afastou a responsabilidade da servidora e condenou o estado a pagar a indenização pelos danos morais causados ao casal. Ambas as partes apelaram ao TJCE para reformar a sentença. O casal também pediu a condenação em danos materiais. Ao julgar o recurso, a 1ª Câmara de Direito Público negou os apelos.

 

 Fonte: G1-CE


eis pessoas - entre elas, dois policiais civis - foram presas em flagrante nesta quarta-feira (6) durante uma operação da Polícia Federal que investiga um suposto esquema criminoso de tráfico, extorsão e corrupção realizado por agentes da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), da Secretaria de Segurança Pública do Ceará. Ao todo, segundo a PF, três delegados, três inspetores e 10 escrivães da delegacia especializada são investigados. Pessoas que não são agentes públicos e colaboraram com o esquema também são investigados.

Dos três delegados investigados na operação, dois foram afastados dos cargos: Patrícia Bezerra, diretora da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas; e Lucas Aragão, delegado-adjunto da Divisão. A terceira delegada, Ana Cláudia Nery, teve busca, condução coercitiva e remoção compulsória, ou seja, foi transferida - por decisão judicial - para outro setor, na área administrativa.

O advogado Leandro Vasques, que representa os três delegados investigados, disse - por meio de nota - que somente irá se pronunciar após obter cópia integral do inquérito, mas afirma que não há qualquer comprometimento de nenhum dos delegados da polícia civil em nenhum ilícito.

"Certamente está havendo um grave equívoco de interpretação. Os três delegados não tem uma nódoa sequer em suas vidas funcionais, possuem passado inatacável, de modelares ações. Não podemos admitir acusações genéricas como as que aparentemente motivaram a presente Operação...reputações são dilaceradas, biografias de vida são vilipendiadas...lamentável estar presenciando a tudo isso", afirma o Leandro Vasques.

Afastamento

Dez agentes da Polícia Civil foram afastados das funções e outros seis foram removidos para atuação em funções administrativas. A PF também não divulgou os nomes nem os cargos dos suspeitos que sofreram as medidas administrativas. Após a operação, o titular da Secretaria da Segurança Pública, delegado André Costa, anunciou a mudança no comando da DCTD.

Operação Vereda foi deflagrada na manhã desta quarta-feira (6), com a atuação de 150 policiais civis e o apoio de agentes da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). Foram 27 mandados de busca e apreensão, 25 mandados de condução coercitiva (quando o investigado é levado para depor) e 10 mandados de afastamento de funções, com recolhimento das armas e identidades funcionais.

Além dissso, foram apreendidos, durante a operação, R$ 340 mil em espécie, cédulas falsas, armas e aparelhos celulares. Todo o material está sendo examinado pela pericia técnica cientifica da PF.

Segundo o delegado federal Gilmar Santos Lima, que conduziu as investigações, um grupo de policiais lotados na DCTD é suspeito de receber dinheiro de um homem que traficava substâncias anabolizantes de outros países para o Ceará. Os suspeitos são investigados, de acordo com suas participações, pelos seguintes crimes:

Comercialização ilegal de anabolizantes;

Peculato (apropriação ilegal de recursos públicos);

Concussão (vantagem indevida exigida por servidor público);

Corrupção passiva (solicitar ou receber vantagem);

Associação criminosa;

Falsificação de moeda;

Tráfico de drogas.

CGD

Em nota, a Controladoria Geral de Disciplina (CGD) informa que já tomou as providências para instauração dos procedimentos disciplinares e que foi solicitado, à Polícia Federal, cópia do inquérito policial e o compartilhamento das investigações para a devida apuração na seara disciplinar. A CGD diz, ainda, que se comprovado o envolvimento dos policiais, a punição poderá culminar até com a demissão dos mesmos.

Delação e suspeito assassinado

O delegado Gilmar Santos informou que a Polícia Federal iniciou as investigações em 2016, quando o traficante foi preso e procurou o Ministério Público Federal (MPF) para um acordo de delação premiada. O preso contou aos investigadores que os agentes cobravam dinheiro para evitar a prisão.

"Os policiais envolvidos e os criminosos faziam acordos para livrar os flagrantes com o pagamento de valores. Os valores eram pagos para que não fossem registrados inquéritos, não houvesse o processo policial. Durante a investigação, foram pedidas medidas cautelares e através de escutas telefônicas conseguimos identificar a conduta de cada pessoa envolvida".

Santos afirmou que, além dos 16 agentes civis da DCTD, também são alvos da operação 9 pessoas que não são policiais. Um dos suspeitos, que não era policial, foi assassinado no último fim de semana. A polícia investiga essa morte.

Durante a Operação Vereda, a Polícia Federal prendeu dois policiais e uma outra pessoa que colaborava com o esquema. Foram apreendidos drogas, dinheiro falso, arma, munição, dentre outros objetos. O delegado disse que a investigação segue em andamento, agora com a análise do material apreendido.

A sede da Divisão de Combate ao Tráfico esteve fechada durante a manhã desta quarta-feira. O G1 acompanhou, do lado de fora, a movimentação de policiais federais que estiveram na delegacia realizando buscas durante a ação. Carros da Polícia Federal também estavam estacionados no local. Policiais civis que chegaram para trabalhar não puderam entrar na unidade e retornaram.

Medidas administrativas

O delegado-geral da Polícia Civil, Everardo Lima, disse que a Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública vai instaurar um processo administrativo para investigar a conduta dos policiais civis alvos da operação. Ele disse que o objetivo agora é restaurar a imagem da Divisão de Combate ao Tráfico.

"Teremos que aguardar o devido processo legal, pois terá a investigação. Já sabemos da isenção da PF. Após o devido processo legal, vai se aguardar a condenação ou absolvição. A partir de agora, é preciso tratar de recuperar os danos para que a Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas não sofra nenhuma ação de descontinuidade. A divisão vai receber novos policiais para repor o efetivo", afirmou o delegado.

 

 Fonte: G1-CE


A descoberta de que o faraó Tutancâmon tinha uma faca vinda diretamente do espaço, no meio do ano passado, pegou a comunidade científica de surpresa. E olha que nem tinha a ver com aliens mercadores fazendo uma visitinha ao Egito Antigo, longe disso.

Antes de a espécie humana dominar a mineração e conseguir extrair ferro da hematita, forma bruta em que o metal é encontrado na natureza, os corpos celestes pareciam a grande fonte desse mineral “exótico”. Para fazer a peixeira personalizada do chefinho, por exemplo, os aprendizes de ferreiro egípcios usaram um pedregulho caído do céu — o Kharga, meteorito que aterrissou na costa egípcia do Mediterrâneo, a 250 quilômetros de Alexandria, e foi identificado nos anos 2000.

Escolher pelos metais alienígenas não tinha a ver com escolha estética, mas sim, com facilidade de produção. Optando pelo material espacial, os egípcios conseguiam driblar a falta de domínio em processos como a fundição — já que o minério vinha quase pronto para uso, ao invés de repousar em pedras de camadas inferiores do solo.

O que uma nova pesquisa indica, no entanto, é que a prática de fazer utensílios com RG espacial não nasceu com a civilização egípcia. Muito pelo contrário. Armas e ferramentas humanas da Idade do Bronze, forjadas milhares de anos antes da queda de Cleópatra, já seguiam essa mesma técnica de fabricação.

Foi na época histórica conhecida como Idade do Bronze que os humanos dominaram a mistura de cobre e estanho que dá nome ao período. O curioso é que, embora fizessem quase tudo com essa liga metálica, resistente e maleável, nossos ancestrais já produziam também suas primeiras peças com ferro, consideradas, à época, como verdadeiras raridades — algo que mudaria somente cerca de 2 mil anos depois, com a Idade do Ferro, em que tudo começaria a teria a cor prateada.

Os artefatos analisados pelo estudo foram produzidos nesse mesmo período, mais precisamente entre 1300 e 3200 a.C. Na lista de exemplos analisados havia peças como uma pulseira feita no Egito, uma adaga produzida na Turquia e um colar e um machadomade in Síria — além de objetos chineses variados e artigos da própria tumba de Tutancâmon. 

Utilizando imagens de um espectrômetro de fluorescência de raios-x, equipamento que usa ondas eletromagnéticas para perturbar elementos químicos e, assim, determinar sua composição, os pesquisadores procuravam por sinais de níquel e cobalto — metais que poderiam mais facilmente acusar a origem extraterrestre. A comparação com amostras de ferro terrestre acusou a origem na hora: o material ferroso presente nos artefatos, na verdade, também teria vindo do espaço.

“Nossos resultados complementam análises profundas de outros estudos, que sugerem que a maioria do ferro da Idade do Bronze é derivado de meteoritos”,  comenta Albert Jambon, autor da pesquisa. “ O próximo passo é determinar quando e onde esse tipo de metal apareceu pela primeira vez”.

 

 Fonte: msn


O Flamengo fará, na semana que vem, sua última partida oficial na temporada 2017, que será a de número 85 no ano. O número é expressivo, principalmente pela quantidade de jogos do Independiente (52), rival do confronto da quarta-feira na decisão da Copa Sul-Americana.

EsportesR7 no YouTube. Inscreva-se

O desgaste poderá afetar de forma direta o time brasileiro, que conta com jogadores que já passaram dos 30 anos em seu elenco como Juan, Réver, Diego, entre outros.

Apesar de todas as viagens e da quantidade de jogos, Juan revelou após o jogo que esse fator não pode ser usado como desculpa.

"A gente não tem que se apegar a nenhum álibi, nenhuma desculpa. Os números são esses, [o Flamengo] é o time que mais jogou no mundo em uma temporada, mas temos força para reverter", disse.

De virada, Flamengo perde jogo de ida da final da Sul-Americana

O Independiente chegou mais descansado para a primeira final, já que a equipe não atuou no fim de semana passado. A decisão foi da AFA (Associação de Futebol Argentino) para que o time estivesse 100%.

Do outro lado, o Flamengo atuou contra o Vitória, em Salvador, e ainda precisou fazer a viagem até Avellaneda. 

Em entrevista coletiva, Reinaldo Rueda comentou sobre o rival mais descansado que o Rubro-negro.

"Vocês sabem que Independiente não jogou no último fim de semana. Fizemos o dobro do esforço na Bahia. A intensidade do Independiente está a 500%", afirmou.

A decisão da Copa Sul-Americana acontecerá na próxima quarta-feira (13), no Maracanã. Depois de vencer o jogo de ida por 2 a 1, os argentinos precisam apenas de um empate para ficar com a taça.

 

 Fonte: R7


O adversário da Recopa em 2018

Published in Esporte Dezembro 07 2017

Um título como o da Libertadores projeta compromissos fixos para o campeão no ano seguinte. Defender este título é o mais importante objetivo na próxima edição do torneio, mas antes haverá dois jogos para decidir a Recopa contra o campeão da Sul-Americana. Na primeira amostragem, ficou claro que o Flamengo é, individualmente, melhor do que o Independiente, que ganhou de virada por 2x1 em Avellaneda.

A questão, porém, é maior do que só jogar bola. O time argentino mostrou mais têmpera do que o brasileiro e terá o jogo da volta à feição para seu estilo intenso e marcador. Ao Flamengo, resta ser mais do que uma equipe de bons jogadores. Vinícius Júnior se impõe como titular para tentar a reversão. Um deles, Independiente ou Flamengo, enfrentará o Grêmio em fevereiro de 2018 na decisão da Recopa.

 

 Fonte: globoesporte


O Corinthians espera receber na próxima semana o pagamento da premiação pelo título do Campeonato Brasileiro. Dos R$ 18.069.300,00 que entrarão no cofre alvinegro, cerca de R$ 11 milhões serão repassados a jogadores e comissão técnica por conta da conquista.

De acordo com o diretor de finanças do clube, Emerson Piovezan, já foram acertados os pagamentos de férias e 13º salário ao elenco, que entrou de férias nos últimos dias. A pendência ainda é em relação ao pagamento combinado caso o Corinthianhas fosse campeão brasileiro.

- Já está tudo combinado, todos sabem sobre isso. Devemos receber a premiação na próxima semana - disse Piovezan, ao LANCE!.

E os R$ 7 milhões que restarão do prêmio? Assim como fizeram o presidente Roberto de Andrade e o técnico Fábio Carille, o diretor de finanças descartou grandes investimentos em reforços. Piovezan reforçou que a prioridade é jogadores com pouco custos, como Renê Júnior e Júnior Dutra, que têm contratos encerrados no fim deste mês e assinarão com o Corinthians nos próximos dias.

- Temos que avaliar as situações sempre. A comissão técnica e a diretoria sabem da situação do clube. Eles buscam jogadores, e a gente busca soluções para deixar os pagamentos em ordem- afirmou Piovezan.

Ainda segundo Piovezan, o Corinthians não precisa realizar mais vendas para equilibrar o caixa. Após o fim do Brasileirão, o clube já acertou a negociação de Guilherme Arana ao Sevilla (ESP) e receberá cerca de R$ 20 milhões.

- Nunca podemos contar com o dinheiro de alguma possível venda, só contamos com o que sabemos que vamos receber - justificou Piovezan.

 

 Fonte: msn


Página 1 de 27