Esporte

Esporte 1500

Os primeiros desafios depois da Copa do Mundo não foram lá grandes testes para a Seleção neste início de ciclo. Um Estados Unidos em fase de reformulação e uma pouca expressiva seleção de El Salvador no começo do mês. Agora, o sarrafo já subiu com os duelos contra Argentina e Arábia Saudita em outubro. De olho na preparação para a Copa América de 2019, o plano da CBF é aumentar ainda mais o nível de dificuldade dos rivais.

Coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar falou sobre esse planejamento. Após o questionamento sobre o nível dos rivais do início deste mês, encarar euopeus na data Fifa de março - a última antes da Copa América - é um dos principais planos.

 

- A ideia é subir o nível. A dificuldade dos Europeus continua. Mas a ideia é aumentar a competitividade. Adversários europeus são mais viáveis em março do ano que vem do que em novembro agora (em função da Liga das Nações) - disse Edu.

As datas Fifa até a Copa América (que será de 14 de junho até 7 de julho):

8 a 16 de outubro

12 a 20 de novembro

18 a 26 de março

A Seleção vai treinar nos dias 8, 9 e 10 de outubro no CT do Tottenham, em Londres, que também serviu de preparação para a última Copa do Mundo. Da Europa, a delegação embarca para a Arábia Saudita, onde enfrenta os donos da casa no dia 12, em Riade. No dia 16, a adversária será a Argentina, em Jidá.

O dirigente explicou que há uma ''complexidade'' no encaixe dos duelos, mas reforçou que esse ''nível'' subirá até junho de 2019.

- Todas as negociações de jogos e amistosos são feitas antes da Copa do Mundo. Às vezes é difícil entender essa complexidade de negociar com as seleções antes do Mundial sem saber em qual posição elas vão terminar, se a eliminação será tranquila ou traumática. Todas as equipes tomam cuidados específicos para esses primeiros compromissos após a Copa - completou.

 

Fonte: globoesporte


O Tite fez nesta sexta-feira (21) sua 13ª convocação para a seleção brasileira desde que entrou no cargo, em agosto de 2016. 

Em sua nova chamada, o técnico convocou dois estreantes: o zagueiro Pablo (do Bordeaux-FRA) e o atacante Malcom (do Barcelona-ESP), atingindo a marca de 77 jogadores convocados em pouco mais de dois anos.  

Com Malcom, Tite chegou agora a 11 jogadores já dirigidos por ele em suas passagens pelo Corinthians, formando um time inteiro: Cássio, Fágner, Felipe, Gil e Fábio Santos; Marquinhos, Willian Arão, Paulinho, Rodriguinho e Renato Augusto; Malcom.

Outros jogadores que já passaram pelo clube, o meia Willian e o zagueiro Pablo, também foram convocados por Tite, mas nunca chegaram a ser comandados por ele no Corinthians. 

Como comparativo, o técnico Luiz Felipe Scolari, em sua primeira passagem pela seleção brasileira, em 2001, levou nove jogadores com quem já havia trabalhado. Entre os chamados por Felipão estavam Marcos, Roque Júnior, Júnior, Alex e Euller (ex-Palmeiras), Roger, Emerson e Jardel (ex-Grêmio) e Cris (ex-Cruzeiro).

Todos os jogadores já convocados por Tite desde 2016 nas 13 convocações da seleção brasileira:
Goleiros: 
Alisson, Marcelo Grohe, Weverton, Alex Muralha, Danilo Fernandes, Ederson, Cássio, Diego Alves e Neto; além de Hugo e Philippe (os dois sub-20)har anúncio

Laterais direitos: Daniel Alves, Fágner, Marcos Rocha, Mariano, Rafinha, Danilo, Fabinho e Éder Militão

Zagueiros: Marquinhos, Gil, Miranda, Rodrigo Caio, Thiago Silva, Geromel, Luan, Victor Hugo, David Luiz, Jemerson, Dedé, Felipe e Pablo

Laterais esquerdos: Filipe Luís, Marcelo, Wendell, Fábio Santos, Jorge e Alex Sandro

Volantes: Casemiro, Paulinho, Rafael Carioca, Fernandinho, Henrique, Willian Arão, Arthur, Fred e Walace

Meias: Renato Augusto, Giuliano, Lucas Lima, Oscar, Philippe Coutinho, Willian, Rodriguinho, Gustavo Scarpa, Diego, Camilo, Lucas Paquetá e Andreas Pereira

Atacantes: Gabriel Jesus, Gabriel, Neymar, Taison, Roberto Firmino, Douglas Costa, Diego Souza, Dudu, Robinho, Luan, Diego Tardelli, Anderson Talisca, Willian José, Éverton, Richarlison e Malcom

 

Fonte: R7


Na noite desta sexta-feira, o Fortaleza conquistou uma vitória importante na luta pelo acesso. No Castelão, o Tricolor passou pelo Vila Nova por 2 a 0 e quebrou um jejum de quatro partidas sem vencer. Agora, a equipe de Rogério Ceni chega aos 50 pontos e garante mais uma rodada na liderança. Já o time de Goiânia é o quinto, com 43.

Na próxima rodada, o Fortaleza mede forças com o São Bento, em casa. Já o Vila Nova encara o Guarani, no Serra Dourada.

O confronto

Um primeiro tempo tenso. Com o Fortaleza pressionado, a bola parecia queimar na bola dos jogadores e poucas chances eram criadas a favor do time da casa. Da arquibancada, o torcedor cobrava muito, mas dava o seu incentivo para tentar ajudar os jogadores.

Do outro lado, o Vila Nova conseguia explorar o nervosismo do rival. Com jogadas rápidas, o time vermelho criou duas grandes chances com Mateus Anderson e Alex Henrique, mas não foi efetivo.

Segundo Tempo

Na etapa final o Fortaleza partiu cima e tentou apertar o adversário no abafa. Logo aos 4 minutos, Marlon pegou de primeira e tirou tinta da trave.

A medida que o tempo passava, o Leão encontrava inúmeras dificuldades para furar a retranca. Quando parecia que o jogo ficaria sem gols, a arbitragem deu um pênalti a favor do Tricolor. Na cobrança, Éderson bateu no canto direito e balançou a rede.

Nos acréscimos o Fortaleza matou o placar no contra-ataque. Gustavo achou Éderson, que bateu cruzado, sem chances para Rafael Santos.

 

Fonte: msn


Não teve chance para equatorianos, altitude, ou qualquer lembrança da LDU. Jogando a 2.850 m acima do nível do mar, o Fluminense conquistou um importante resultado ao vencer o Deportivo Cuenca (EQU) por 2 a 0, nesta quinta-feira (20), em Quito, pela Copa Sul-Americana. A dupla Everaldo e Luciano foi responsável por balançar as redes e o Tricolor pode até perder por um gol na volta que se classifica — a próxima partida está marcada para o dia 4 de outubro.

Acorda, Digão!
Atuando a 2.850 m de altitude, o tempo de bola fica diferente e Digão foi o primeiro a sentir os efeitos. O zagueiro não acompanhou o lançamento da defesa e Rojas saiu de frente para o gol. Ele driblou Júlio César, mas se enrolou na hora de finalizar.

Primeiro chute, primeiro gol
Quando o Cuenca parecia dominar a partida, o Fluminense marcou. No primeiro chute tricolor, veio o primeiro gol. Luciano acertou uma
bela bola enfiada para Everaldo, que entrou na área e tirou do goleiro.

Travessão impede o segundo
Logo após marcar, Everaldo viu a trave impedir o seu segundo gol. Destaque do Flu na partida, o atacante fez jogada semelhante a realizada contra o Vitória, pelo Campeonato Brasileiro. Mesma posição, mesma finalização e novamente parando no travessão.

Parou, parou parou...
O Cuenca chegou ao empate no primeiro lance da segunda etapa. Preciado entrou em profundidade, cruzou e Gum marcou contra. No entanto, o bandeira marcou impedimento no lance, criando polêmica.

Júlio César aparece para salvar
Melhor no segundo tempo, o Cuenca se aproveitou da linha de impedimento mal montada do Flu. O empate só não veio graças a Julio César, que apareceu com duas grandes defesas: a primeira em escanteio, a segunda em cobrança de falta.

Luciano decide para o Flu
Com o Cuenca todo no ataque, bastou um contra-ataque bem feito para o Fluminense decidir a partida. Ayrton Lucas arrancou do campo de defesa, passou por dois marcadores e cruzou para Luciano empurrar ao gol vazio e aumentar a vantagem.

 

Fonte: R7


Com preocupação e medidas já tomadas, porém, não reveladas, a Conmebol respondeu ao ofício enviado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em relação à polêmica expulsão do zagueiro Dedé, do Cruzeiro, no jogo de ida das quartas de final da Taça Libertadores, contra o Boca Juniors, em Buenos Aires. A carta da Conmebol, assinada pelo presidente Alejandro Domínguez, foi destinada ao diretor executivo da CBF, Rogério Caboclo, e obtida pela reportagem do GloboEsporte.com.

No documento (leia abaixo na íntegra), a Conmebol diz compartilhar da preocupação sobre a atuação da equipe de árbitros na partida entre Cruzeiro e Boca Juniors. Aos 29 minutos do segundo tempo, Dedé recebeu o cartão vermelho após o árbitro Eber Aquino, do Paraguai, consultar o VAR - árbitro de vídeo. O juiz interpretou como lance para expulsão um choque casual do zagueiro com o goleiro Andrada, do Boca. Segundo a Confederação Sul-Americana, uma conclusão será comunicada imediatamente após os relatórios técnicos da partida serem analisados.

"(...) Nesse sentido, desde a CONMEBOL compartilhamos sua preocupação sobre a atuação da equipe de árbitros na partida mencionada anteriormente. Da mesma forma, afirmamos que a administração já tomou medidas a esse respeito e, uma vez que tenhamos os elementos necessários, que forem feitos os relatórios técnicos, e que tenhamos uma conclusão a respeito, a mesma lhe será comunicada imediatamente.(...)"

No ofício enviado à Conmebol, a CBF pediu reparação de danos ao Cruzeiro e a Dedé. Além disso, a entidade brasileira solicitou que haja uma investigação sobre o VAR, utilizado de maneira errada no caso, segundo o órgão que coordena o futebol brasileiro.

Também nesta quinta-feira, o presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, esteve na sede da Conmebol, no Paraguai, para manifestar insatisfação quanto à expulsão de Dedé. O clube mineiro protocolou uma representação solicitando a anulação da suspensão de Dedé, de forma que o zagueiro possa atuar no jogo de volta contra o Boca, dia 4 de outubro, no Mineirão.

Confira na íntegra a resposta da Conmebol:

"Luque, 20 de setembro de 2018

Senhor
Rogério Caboclo, Diretor Executivo de Gestão
Confederação Brasileira de Futebol

Ao cumprimentá-lo, me dirijo a você em relação a sua nota datada de hoje, referente ao Desempenho da arbitragem na partida das quartas de final da Copa Libertadores de América entre Cruzeiro Esporte Clube e Club Atlético Boca Juniors.

Nesse sentido, desde a CONMEBOL compartilhamos sua preocupação sobre a atuação da equipe de árbitros na partida mencionada anteriormente. Da mesma forma, afirmamos que a administração já tomou medidas a esse respeito e, uma vez que tenhamos os elementos necessários, que forem feitos os relatórios técnicos, e que tenhamos uma conclusão a respeito, a mesma lhe será comunicada imediatamente.

Como parte de nossos pilares de Regras Clara e Fazer Justiça, consideramos que a implementação do VAR é uma ferramenta fundamental para o desenvolvimento da arbitragem na América do Sul e, ao mesmo tempo, um instrumento que visa garantir a transparência e integridade de nossas competições.

Além das situações com as quais possamos nos deparar neste processo de implementação, nosso compromisso de melhorar a arbitragem sul-americana permanece intacto e continuaremos trabalhando no seu desenvolvimento.

Sabemos que a boa gestão da Confederação Brasileira de Futebol e seu futebol em particular, gozam de grande prestígio em todo o mundo, por isso, como membro da família do futebol sul-americano, para a CONMEBOL é de fundamental importância trabalhar de forma conjunta para que o nosso futebol se desenvolva em um quadro de maior esportividade e justiça.

Sem outro particular, renovamos protestos de elevada consideração.

Atenciosamente,

Alejandro Domínguez"

 

Fonte: globoesporte


O Palmeiras venceu bem o Colo-Colo (CHI) por 2 a 0 em Santiago, e abriu caminho para chegar à semifinal da Libertadores. Bruno Henrique e Dudu fizeram os gols da equipe de Luiz Felipe Scolari.

Para chegar ao resultado, o Verdão teve um bom início, mas precisou suportar pressão por boa parte do segundo tempo, até fechar o placar. Assim, segue com campanha perfeita fora de casa na Liberta (cinco vitórias em cinco jogos) e pode até perder por um gol de diferença no Allianz Parque, dia 3/10, que mesmo assim avançará de fase.

Pressão cedo dá resultado

O Palmeiras começou o jogo encurralando o Colo-Colo e assim abriu o placar com três minutos. De uma bola roubada por Borja na entrada da área chilena, Moisés tocou para Bruno Henrique abrir o placar. O primeiro tempo poderia ter sido até melhor, se Dudu tivesse convertido as duas outras oportunidades que teve. O time da casa só conseguiu uma chance clara antes do intervalo, na falta batida por Paredes, que Weverton rebateu e Barroso perdeu.

Saudades dos meus exs?

Dois dos principais jogadores do Colo-Colo são Valdivia e Barrios, ambos ex-Palmeiras. O Mago foi o principal organizador dos chilenos, que amassaram o Verdão no segundo tempo. O camisa 10, inclusive, por pouco não fez o gol de empate, em chute desviado por Mayke e defendido por Weverton. Valdivia pediu pênalti, só que o árbitro viu no vídeo o lateral-direito com o braço colado ao corpo. Por isso, só deu escanteio.

Já o centroavante paraguaio, pouco perigoso na primeira metade, também teve grande chance, de cabeça, mas o desviou saiu rente à trave palmeirense. Sem conseguir o empate apesar de tanta pressão, o time da casa acabou castigado.

Dudu mata o jogo

Felipão tirou Borja para fazer o Palmeiras se aproveitar de um contra-ataque, que não saía com o colombiano no ataque. Willian e Dudu tiveram duas chances mais do que claras assim, mas cometeram erros que pareciam custar caro. Pois em novo contragolpe, o tiro na trave de Willian deixou a bola livre para Dudu, enfim, matar o jogo: 2 a 0. Nos acréscimos, Pérez ainda foi expulso graças à atuação do VAR. Grande vantagem palmeirense no Chile.

FICHA TÉCNICA

COLO-COLO 0 X 2 PALMEIRAS

Local: Monumental David Arellano, Santiago (CHI)

Data-Hora: 20/9/2018 - 21h45

Árbitro: Andres Cunha (URU)

Assistentes: Nicolas Taran (URU) e Richard Trinidad (URU)

Público/renda: Não disponíveis

Cartões amarelos: Insaurralde e Baeza (COC), Bruno Henrique e Thiago Santos (PAL)

Cartões vermelhos: Damián Pérez, aos 52'/2ºT (COC)

Gols: Bruno Henrique (2'/1ºT) (0-1), Dudu (32'/2ºT) (0-2),

COLO-COLO: Orion; Zaldivia, Barroso (Pavez, aos 44'/2ºT) e Insaurralde; Opazo, Baeza (Valdés, aos 30'/2ºT), Valdivia, Carmona e Damián Pérez; Paredes e Barrios. Técnico: Héctor Tapia.

PALMEIRAS: Wéverton; Mayke, Antonio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Thiago Santos (Gustavo Gómez, aos 28'/2ºT), Bruno Henrique e Moisés; Willian, Dudu (Lucas Lima, aos 46'/2ºT) e Borja (Jean, aos 18'/2ºT). Técnico: Felipão.

 

Fonte: msn


Alvaro Dias, candidato do Podemos à Presidência, disse em entrevista ao G1 e à CBN, nesta quinta-feira (20), que voto útil é "assinar atestado de burrice". "Isso deseduca o cidadão. Sou favorável ao voto facultativo. [...] Me perdoem os defensores do voto útil. É assinar um atestado de burrice, é óbvio que o eleitor tem que escolher o melhor, e não o menos pior para evitar o péssimo", afirmou.

Ao questionar o candidato sobre o voto útil, os jornalistas lembraram que alguns adversários, como Geraldo Alckmin (PSDB), falam em suas propagandas com eleitores de partidos como o Podemos. Hoje Alvaro Dias tem 3% das intenções de voto, segundo a pesquisa Datafolha. Para Dias, o eleitor ainda não decidiu o voto, o que só deve ocorrer na última semana de campanha: "Falta informação".

Dias afirmou que há "contradição" entre as pesquisas qualitativas e quantitativas, porque o eleitor é contrário à corrupção, mas até pouco tempo atrás colocava em primeiro lugar um candidato que está preso e, em seguida, outro que "nunca abriu mão de privilégios".

Sem citar nomes, o candidato disse que, por falta de informação, o voto anti-PT é de "outro candidato, que estava lá segurando a placa do Lula no plenário do Congresso esse tempo todo, que estava nos partidos aliados à sombra do poder. Nunca fazendo oposição. Nunca combatendo corrupção nesses anos todos".

Parte 1: Alvaro Dias fala sobre pesquisa eleitoral e voto útil

Alvaro Dias foi o 11º e último presidenciável a participar da série de entrevistas do G1 e da CBN com os candidatos. Eles foram entrevistados pelos jornalistas Cláudia Croitor e Renato Franzini, do G1, Milton Jung e Débora Freitas, da CBN, e pelo comentarista Gerson Camarotti, do G1 e da CBN.

No dia 3, o deputado Cabo Daciolo, candidato a presidente pelo Patriota, não compareceu à entrevista marcada na rádio CBN, em São Paulo. Jair Bolsonaro, do PSL, não pôde comparecer ao estúdio da CBN no dia 12, onde ocorreria a entrevista, porque continua internado em um hospital se recuperando de um atentado.

Alvaro Dias é formado em história pela Universidade Estadual de Londrina. Foi eleito para seu primeiro cargo público em 1968, como vereador de Londrina. Ao longo de quase 50 anos de vida política, Alvaro Dias foi vereador, deputado estadual, deputado federal, governador do Paraná e senador. Atualmente está no quarto mandato como senador, que termina em 2022.

Trocas de partido e coligação com PSC

O candidato também falou por que trocou oito vezes de partido ao longo da sua carreira política. "Eu mudei várias vezes de siglas, esse foi o meu itinerário, o itinerário de um contestador, de um rebelde de alguém que é inquieto, inconformado, revoltado com o sistema vigente", disse Alvaro Dias. Ele afirmou que fez as trocas para não "mudar as convicções".

Ele foi questionado sobre coligação com o PSC, um partido cujo presidente, o Pastor Everaldo, foi acusado de envolvimento na Lava Jato. Segundo delação da Odebrecht, o pastor recebeu R$ 6 milhões, em forma de caixa dois, para favorecer o então candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, durante debate eleitoral em 2014. Na época da denúncia, Everaldo negou que tenha atuado para atender pedidos da Odebrecht. Ele negou também ter recebido qualquer doação ilegal.

Dias respondeu que, no "campo da ética, cada um responde por si". "Não houve julgamento, houve uma delação, não houve julgamento. É evidente que um partido político traz para a coligação um pouco do seu tempo de televisão, e é isso que se busca quando se faz uma coligação. Mas, em relação à questão ética, não há a transferência de responsabilidade."

Imposto de Renda

Alvaro Dias também falou sobre suas propostas em relação à carga tributária. "A reforma tributária tem que ser simplificadora. E nós temos que tributar mais na renda e menos no consumo. Aí vamos eliminar seis impostos." Segundo ele, a tributação maior sobre o consumo penaliza os mais pobres.

Dias prometeu ainda isentar de Imposto de Renda quem ganha até R$ 5 mil por mês. "São oito milhões de brasileiros, isso significará uma redução no caixa de governo de R$ 1,5 bilhão. Mas que terá compensação com receita maior para o Estado brasileiro." Sobre aumento da receita, Dias citou o corte de isenções de impostos, por exemplo, para planos de saúde.

Alvaro Dias responde a perguntas do 'pinga-fogo'

·        É a favor da prisão após condenação em segunda instância?

Sou autor de um projeto que legitima constitucionalmente ou que coloca na constituição a prisão em segunda instância exatamente para evitar esse debate.

·        Vai limitar a entrada de venezuelanos?

Olha, primeiramente combateria o regime venezuelano. Eu seria implacável contra essa ditadura corrupta, sanguinária e violenta que esmaga o seu povo na pobreza. Agora, eu tenho que ser humano, então é claro que eu acolheria com humanidade e espírito cristão aqueles que foram expulsos de lá.

·        Vai manter o Mais Médico?

Vou substituir por uma carreira típica de estado de médico federal para atender nessas localidades distantes. Não vamos mandar dinheiro para Cuba.

·        É a favor das cotas nos concursos públicos?

Sou a favor de cotas para área social.

·        Vai instituir mensalidades nas universidades federais?

Eu fui responsável pela gratuidade do ensino nas universidades federais do Paraná.

·        Vai rever o teto de gastos?

O teto de gastos explodiu, nós vamos aplicar um limitador emergencial de despesas.

·        Vai manter o subsídio ao diesel?

O subsídio ao diesel será discutido em outro parâmetro. Com a reforma tributária, nós vamos reduzir a carga tributária, com isso nós vamos reduzir o preço dos produtos dos preços consumidos, inclusive o diesel.

·        É favorável à taxação de igrejas?

Não.

·        É a favor da união civil de pessoas do mesmo sexo?

O Supremo Tribunal Federal já consagrou a jurisprudência e eu apoio.

·        É a favor da intervenção militar na segurança nos estados, como aconteceu no Rio de Janeiro?

Não, é incompetência. É a confissão de impotência e de incompetência. O Exército não existe para isso.

 Fonte: G1


expulsão de Cristiano Ronaldo ainda no primeiro tempo do confronto entre Juventus e Valencia revoltou não só o craque luso, mas toda a equipe da Juventus. Após a partida, diversos atletas se manifestaram sobre o incidente em que Cristiano supostamente tenta puxar o cabelo de Murillo -mas o meia Emre Can causou polêmica ao criticar a decisão do árbitro, sendo acusado de sexismo.

- Isso era para cartão vermelho? Eu ouvi que ele disse ter sido por um puxão de cabelo. Nós não somos mulheres, estamos jogando futebol. Se você dá um cartão vermelho para isso, você deve ser expulso por qualquer falta. Com 100% de certeza, isso não é para cartão vermelho - disse Emre Can ao canal alemão "DAZN".

A declaração rapidamente ganhou críticas nas redes sociais, com seguidores apontando que o alemão foi infeliz ao fazer uma afirmação sexista. O jogador não voltou a se manifestar após a polêmica.

"Emre Can recorrendo ao sexismo para defender Ronaldo"

"Total sexismo. Que vergonha, Emre Can"

A Juventus agora vive a expectativa sobre um possível desfalque de Cristiano Ronaldo em partidas importantes da fase de grupos da Liga dos Campeões. A princípio, já é certa a ausência de CR7 no duelo contra o Young Boys, no dia 2 de outubro, por conta da suspensão automática devido ao cartão vermelho. Entretanto, a Uefa pode aumentar a pena.

No dia 27 deste mês, o Comitê Disciplinar de Ética e Controle da entidade europeia se reunirá para analisar lances da rodada da Champions e pode impor um gancho maior a Cristiano Ronaldo. Caso o incidente com Murillo seja apontado como "conduta violenta", CR7 pode ser suspenso por até três partidas - o que o deixaria de fora das duas partidas contra o Manchester United, na Inglaterra, no dia 23 de outubro, e em Turim, em 7 de novembro.

 Fonte: Globo Esporte


Os últimos dias foram de cobranças e pressão interna no Flamengo. Apesar do ambiente em ebulição na Gávea, Maurício Barbieri foi mantido pela cúpula que comanda o futebol do clube e segue tendo a confiança para seguir o trabalho. Nesta quinta-feira, ele concedeu entrevista coletiva antes do treino no Ninho do Urubu. O treinador diz que tanto ele quanto os jogadores estão prontos para lidar com o momento mais delicado.

- O Flamengo tem pressão em qualquer circunstância e momento. Todo profissional aqui tem que estar preparado para lidar com isso. Desde o início é assim. Estamos fazendo o trabalho da melhor maneira possível. A vontade de entregar o trabalho da melhor forma possível é muito maior do que qualquer pressão (...) A pressão é inerente em um clube do tamanho do Fla. Quem está aqui tem que estar apto para conviver com isso. O meu objetivo e dos jogadores é entregar os resultados que a torcida espera - disse o treinador.

Barbieri também falou sobre os questionamentos que vem recebido desde que o time passou a oscilar na temporada. Reforçou a confiança que tem do grupo de jogadores. Ao ser questionado se voltaria a ser auxiliar em caso de mudanças no futebol do clube, ressaltou que se sente preparado para o cargo que exerce atualmente.

- Qualquer profissional que trabalhe num clube desse tamanho tem que estar preparado para pressão. Desde o início fui cobrado por resultados, e estou aqui porque entreguei. Temos a confiança dos jogadores (...) Hoje sou treinador do Flamengo e me sinto preparado para treinar o time e ajudar a reencontrar o caminho que desejamos - completou.

O jogo mais importante da temporada do Flamengo será na próxima quarta-feira, quando encara o Corinthians pelo jogo de volta da semifinal da Copa do Brasil - na partida de ida, resultado terminou em 0 a 0 no Maracanã. Antes, a equipe tenta uma retomada no Brasileirão, domingo, diante do Atlético-MG, no Rio. A equipe está a cinco pontos do líder São Paulo.

- Falamos muito dessa semana para trabalhar. Vinhamos de uma sequencia grande de jogos. Usamos o início da recuperar jogadores. Foi preciso. Agora foram 3 dias de trabalho. Durante o treino tentamos fazer com que os jogadores reproduzam os movimentos de forma natural. Momento importante para recuperar coisas que estávamos fazendo bem e melhorar outras - ressaltou o técnico.

Mais trechos da coletiva:

Desfalque de Diego e Paquetá adiantado
Estamos buscando soluções. Não tenho nada definido. Sabemos que não teremos o Diego, jogador fundamental. Mas temos jogadores no elenco capazes de suprir essa ausência. A equipe precisa ser forte coletivamente (...) Diego é uma liderança que vai fazer falta. Estamos avaliando soluções. Pode ser o Matheus Sávio. Outra opção é adiantar o Lucas (Paquetá).

Pressão por demissão
Minha preocupação hoje é preparar o time para o jogo contra o Atlético-MG, que é um adversário difícil. Depois do jogo não posso responder o que vai acontecer.

Sobre ter ''tamanho'' para o cargo
É sempre complicado responder de forma generalizada. Entendo a opinião das pessoas. Na rua os torcedores me elogiam e me incentivam.

Forma que o time vem jogando
A posse de bola do Flamengo é efetiva. São raros os jogos que o adversário finaliza mais. Temos sido agressivos, mas pouco eficientes. Contra o Vasco, o Arão teve a possiblidade de gol no fim. Se faz, tenho certeza que o assunto seria diferente hoje.

Vitinho
O Vinicius vinha suprindo bem a saída do Everton. O Vitinho jogou nessa função no Botafogo, com características diferentes. Ele me diz que se sente confortável. Vem crescendo de produção. Ele sabe que não está conseguindo ser efetivo e está trabalhando.

Situação no Brasileirão
Gostaria que a distância para fosse menor ou estivéssemos na liderança. Temos que encontrar a consistência para ter sequência de vitórias. Temos sido inconstantes. O campeonato é equilibrado. Certeza que vamos encostar ou passar os líderes mais à frente.

 

Fonte: Globo Esporte


"Atitude covarde". Assim Dedé definiu a decisão do árbitro Eber Aquino, do Paraguai, de expulsá-lo após o choque com o goleiro do Boca Juniors na partida de quarta-feira, primeiro duelo nas quartas de final da Libertadores.

O zagueiro do Cruzeiro publicou uma longa mensagem no Instagram, e ainda durante a madrugada respondeu a mensagens que recebeu no Twitter do Luverdense e do comentarista Caio Ribeiro, da TV Globo.

O Cruzeiro, também nas redes sociais, agradeceu às manifestações em repúdio ao cartão vermelho recebido por Dedé, especialmente a do Santos, que foi punido pela Conmebol por escalar irregularmente um jogador - o Boca Juniors também escalou um atleta de maneira irregular, o atacante Ábila, e não foi punido pela entidade.

 

 Zagueiro agradeceu, no Twitter, as manifestações do comentarista da TV Globo, Caio Ribeiro, e da Luverdense — Foto: Reprodução / Twitter

Zagueiro agradeceu, no Twitter, as manifestações do comentarista da TV Globo, Caio Ribeiro, e da Luverdense — Foto: Reprodução / Twitter

 Cruzeiro respondeu a mensagem publicada pelo Santos sobre o erro ocorrido no jogo do time mineiro contra o Boca Juniors — Foto: Reprodução/Twitter

Cruzeiro respondeu a mensagem publicada pelo Santos sobre o erro ocorrido no jogo do time mineiro contra o Boca Juniors — Foto: Reprodução/Twitter

 Fonte: Globo Esporte


Página 1 de 108

Commentários

Share on Myspace

Compartilhar

COMPARTILHAR

Previsão do Tempo em Mauriti-CE

Agenda Cultural do Cariri

  • felix.jpg
  • juazeiro.jpg
  • 13.jpg
  • 25.jpg
  • 42.jpg
  • damiao2.jpg
  • lora.jpg
  • lovyle.jpg
  • moto2.jpg
  • net.jpg