Esporte

Esporte 1159

A negativa de Renato Gaúcho para o Flamengo cria um cenário de dúvidas agora para o restante da temporada. O clube trabalhava com o nome do técnico como a principal opção para iniciar sua reformulação no departamento de futebol. Primeiro chegou o diretor de futebol, Carlos Noval. Agora, era a hora de buscar um treinador, algo que não aconteceu, devido aos esforços concentrados em Renato. Falta ainda um gerente de futebol e um coordenador técnico. O processo segue a passos lentos.

Inicialmente, Maurício Barbieri será mais observado devido a escassez que o mercado oferece. O treinador tem apoio de alguns membros da diretoria, como Carlos Noval, e dos jogadores. O trabalho vem sendo elogiado, mas não é unanimidade. O Conselho Diretor cobra respostas da diretoria e pedem por uma treinador mais cascudo, que eleve o Rubro-Negro de volta para rumo das grandes conquistas. A tendência, por agora, é que ele seja efetivado.

Cuca era um nome avaliado. Porém, não muito bem aceito na Gávea. Entre jogadores e conselheiros, o treinador não é bem visto por uma grande parte. Além disso, ele sequer foi procurado pela diretoria e vai comentar a Copa do Mundo em uma emissora de televisão. De qualquer maneira, só aceitaria neste momento assumir algum clube após o Mundial, devido ao compromisso firmado.

Luiz Felipe Scolari, que já esteve em pauta, pode voltar. Mas para isso, o clube terá que esperar mais um pouco. Ele está na Europa para compromissos pessoais - participando de alguns debates sobre Copa do Mundo - e ainda tem conversas com empresários de clubes do Oriente Médio e da China. O teçnico pentacampeão do mundo pela seleção quer voltar a trabalhar neste ano e o Rubro-Negro não é visto como má opção.

Por agora, ter um novo técnico estrangeiro não é considerado o ideal. Ainda mais depois da forma que Reinaldo Rueda deixou o clube para a assumir a seleção do Chile. O leque de opções não é grande. Mas a diretoria sabe que precisa dar uma resposta, com caráter de urgência. Seja para os torcedores e para os conselheiros.

 

Fonte: R7


A diretoria do Palmeiras divulgou na noite desta segunda-feira uma carta aberta aos torcedores do Palmeiras assinada pelo presidente Maurício Galiotte.

No conteúdo, publicado no site oficial do Verdão, o dirigente afirmou ter provas de que a arbitragem de Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza no clássico do último domingo, contra o Corinthians, sofreu interferência externa.

Aos 26 minutos do segundo tempo, o árbitro marcou pênalti para o Palmeiras após disputa entre Ralf e Dudu. Depois de muita confusão e oito minutos de paralisação, porém, Marcelo voltou atrás e marcou apenas escanteio. A diretoria do Verdão viu interferência na conversada arbitragem, com participação do quarto árbitro, para mudar a marcação.

Galiotte cobrou mudanças no departamento de arbitragem no departamento de árbitros da Federação Paulista de Futebol e a implementação do árbitro de vídeo no torneio a partir da competição do ano que vem.

– Enquanto não houver uma manifestação oficial por parte da Federação Paulista de Futebol, de que essas medidas transparentes que prezam pelo bem do esporte serão adotadas, o Palmeiras irá se manter rompido com a FPF – afirmou o clube em nota assinada por seu presidente.

Na noite desta segunda-feira, a Federação Paulista de Futebol promoveu festa de encerramento do Paulistão 2018. Em protesto contra a entidade, o Palmeiras não enviou representantes ao evento. Vice-campeão estadual, o Verdão teve oito atletas na seleção do torneio (Jailson, Marcos Rocha, Antônio Carlos, Victor Luis, Felipe Melo, Lucas Lima, Dudu e Borja), o melhor treinador (Roger Machado), o artilheiro (Borja), o craque da galera (Jailson) e o craque do campeonato (Jailson).

Confira a íntegra da carta do Palmeiras:

A Sociedade Esportiva Palmeiras entende que a instituição e seus torcedores sofreram um duro e irremediável prejuízo por uma atuação desastrosa, incompetente e irregular da comissão de arbitragem que trabalhou na partida deste domingo entre Palmeiras e Corinthians.

Houve clara e evidente interferência externa na arbitragem, comprovada através de imagens indiscutíveis, e essa atribuição não consta na regra da competição. Assim sendo, visando a lisura e transparência durante as partidas de futebol, o Palmeiras entende ser inegociável que a Federação Paulista de Futebol adote as seguintes medidas:

1. Implantação do árbitro de vídeo para todas as partidas do Campeonato Paulista a partir do ano de 2019;

2. Criação de um sistema de gravação e divulgação, quando houver necessidade, de toda comunicação entre os integrantes da arbitragem durante os jogos;

3. Reavaliação criteriosa de quem dirige o Departamento de Árbitros da FPF e avaliação mais rigorosa sobre aqueles que comandam as partidas.

Enquanto não houver uma manifestação oficial por parte da Federação Paulista de Futebol, de que essas medidas transparentes que prezam pelo bem do esporte serão adotadas, o Palmeiras irá se manter rompido com a FPF.

Dentro de campo, o Palmeiras considera a partida deste domingo como uma lamentável página virada. Há outras competições pela frente e iremos fazer todo o esforço que estiver ao nosso alcance para conseguirmos conquistá-las. O torcedor palmeirense é peça fundamental nesse processo e seu conhecido engajamento será ainda mais importante.

Avanti Palestra!

Atenciosamente,

SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS
Maurício Precivalle Galiotte
Presidente

 

Fonte: globoesporte 


O encerramento do Campeonato Paulista marcou o início de uma briga para o Palmeiras. Insatisfeito com a arbitragem da final contra o Corinthians, o clube começou uma guerra contra a Federação Paulista de Futebol (FPF), com boicote, possíveis ações nos bastidores e o pedido de alguns conselheiros para não utilizar o time titular na próxima edição do Estadual. Houve ainda um comunicado oficial com exigências de novidades para o próximo ano.

O presidente Maurício Galiotte iniciou a revolta ao atacar a competição no domingo, ao chamar de campeonato "manchado" e de "Paulistinha". O estopim para a revolta foi a decisão do árbitro Marcelo Aparecido de Souza de marcar um pênalti a favor do Palmeiras e depois cancelar a marcação, após conversa com o quarto árbitro. A equipe questiona uma possível interferência externa sobre o lance.

O clube, porém, pode ir além de somente criticar. Internamente o Palmeiras analisa uma forma de marcar uma posição política nos bastidores e evidenciar o descontentamento. Por enquanto o gesto mais claro foi o de não ir à festa da noite desta segunda para a entrega do prêmio dos melhores do Campeonato Paulista.

A equipe colocou oito jogadores na seleção dos melhores e Roger Machado foi apontado como o melhor treinador. Nenhum deles compareceu à cerimônia, em um gesto organizado pelo clube para demonstrar descontentamento.

Procurada, a FPF afirmou que não iria se manifestar sobre os protestos do Palmeiras. A entidade também não pretende, inicialmente, abrir um procedimento disciplinar para punir Galiotte pelas duras críticas feitas no domingo.

MANIFESTO
Dentro do Palmeiras um grupo de 14 conselheiros quer atitudes mais enérgicas contra a FPF. Em carta que será entregue ao presidente na tarde desta terça-feira, eles pedem para o Palmeiras inscrever na competição em 2019 somente atletas das categorias de base, romper relações com a FPF e fiscalizar a atuação dos árbitros nos jogos do time com a gravação de vídeos.

O documento pede que membros do Palmeiras se afastem de possíveis cargos na FPF para não haver conflito de interesses. Caso não queiram tomar essa decisão, que renunciem ao mandato no conselho do clube.

A principal plataforma do manifesto é para o clube utilizar somente jogadores da base no próximo Estadual. A proposta, no entanto, esbarra no contrato de transmissão de TV. O acordo em vigor rende ao Palmeiras cerca de R$ 20 milhões e exige a utilização dos principais jogadores nas partidas da competição.

 

Fonte: msn


O Corinthians conquistou o biecampeonato paulista ao vencer o Palmeiras por 1 a 0 no tempo regulamentar e por 4 a 3 nos pênaltis. 

O jogo foi cercado de polêmicas e nervosismo de ambas as equipes, como todo bom Dérbi. Com um polêmico pênalti para o Palmeiras apitado pela arbitragem, que depois voltou atrás. 

A vantagem obtida na partida de ida pelo Palmeiras naufragou logo a 2min de jogo. Mateus Vital avançou pela esquerda e tocou para Rodriguinho. O meia chutou ao gol, a bola bateu em Victor Luis e enganou Jailson. 

O Palmeiras teve oportunidade de marcar pouco depois. Aos 6min, Lucas Lima cobrou falta na área. A bola chegou em Willian que cabeceou para empatar. Mas o bandeirinha marcou impedimento. 

Atrás no placar, o Palmeiras dominava, enquanto o Corinthians se preocupava apenas em se defender, frequentemente com seus 11 jogadores atrás da linha da bola. Aos 6min, Marcos Rocha cobrou lateral dentro da área. Cássio falhou, e Borja quase empatou de cabeça. 

Aos 11min, nova oportunidade. Dudu tocou para Bruno Henrique. O volante chutou forte, no cando direito do gol corintiano. 

Novo lance gerou reclamação dos palmeirenses aos 32min. Dudu tocou para Borja, que se atirou após ser segurado por Ralf. O juiz Marcelo Aparecido de Souza mandou seguir o jogo.

Dominante durante a maior parte do primeiro tempo por conta da necessidade de empatar, o Palmeiras obteve 67% de posse de bola.

Polêmica 

A segunda etapa começou na mesma toada, com o Palmeiras dominando a posse de bola. O técnico Roger Machado colocou Keno no lugar de Willian, na tentativa de explorar mais as jogadas pelas laterais. O time, porém, não conseguia superar a forte barreira defensiva imposta pelos corintianos.

O lance mais polêmico do segundo tempo ocorreu aos 26min, quando Dudu caiu na área após corte de Ralf. A arbitragem inicialmente marcou o pênalti, que não ocorreu. No entanto, alertado pelo quarto árbitro, Marcelo Aparecido de Souza voltou atrás após 8 minutos de paralisação, causando forte reação dos palmeirenses. Na confusão, Balbuena e Moisés levaram cartão amarelo.

Depois do recomeço do jogo, o jogo retomou o ritmo que havia desde o início do segundo tempo, de ataque palmeirense contra a defesa corintiana. Aos 44min, Dudu recebeu falta na entrada da área. Na cobrança, Marcos Rocha chutou perigosamente para fora.

Quatro minutos depois, Keno fez grande jogada pela direita, passou por três adversários e cruzou. Mas Thiago Santos, que havia entrado no lugar de Bruno Henrique, não conseguiu cabecear para as redes. 

No final do jogo, o Corinthians ainda teve duas boas oportunidades. Na cobrança de um escanteio aos 50min, Lucca quase surpreendeu Jailson, que fez uma bela defesa. Dois minutos depois, foi a vez de Sidcley invadir a área pela esquerda e bater cruzado. A bola passou com perigo à esquerda do gol do Palmeiras.

Aos 54min outro lance polêmico: em cruzamento na área, a bola bateu no braço do zagueiro Henrique. O juiz nada marcou. 

Vitória do Corinthians nos pênaltis

Na decisão por pênaltis, os corintianos mostraram melhor aproveitamento. Danilo, Romero, Lucca e Maycon marcaram. Fagner chutou para fora. Pelo Palmeiras, Dudu e Lucas Lima tiveram suas cobranças defendidas por Cássio. Victor Luis, Marcos Rocha e Moisés marcaram.

Com o título, o Corinthians voltou a ser bicampeão paulista, depois de 35 anos. A última vez que isso tinha acontecido foi na Democracia Corintiana, em 1982 e 1983, no time liderado por Sócrates e Casagrande. Também foi a primeira vez que o Corinthians conquistou o título paulista jogando no Allianz Parque, estádio do Palmeiras inaugurado em 2014. 

FICHA DO JOGO

Palmeiras 0 x 1 Corinthians (pênaltis: 3 a 4)

Local: estádio do Allianz Parque, em São Paulo

Juiz: Marcelo Aparecido de Souza

Cartões amarelos: Cássio, Romero, Fagner, Balbuena e Rodriguinho (Corinthians); Dudu e Moisés (Palmeiras)

Gol: Rodriguinho, aos 1min do primeiro tempo

Palmeiras: Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins e Victor Luis; Bruno Henrique (Thiago Santos), Moisés e Lucas Lima; Willian (Keno), Borja (Deyverson) e Dudu. Técnico: Roger Machado

Corinthians: Cássio; Fágner, Henrique, Balbuena e Sidcley; Ralf, Maycon, Jádson (Emerson Sheik), Rodriguinho e Mateus Vital (Danilo); Romero (Lucca). Técnico: Fábio Carille

 

Fonte: R7


Mais uma negativa, um clube um tanto perdido no mercado e um ponto de interrogação sobre o futuro. A permanência de Renato Portaluppi no Grêmio vai além de mais um "não" de treinador ao Flamengo. Na semana de estreia no Brasileirão, o Rubro-Negro evidencia a falta de habilidade e convicção na definição dos rumos do futebol e segue em busca de um nome experiente, uma vez que uma nova aposta em solução caseira encontra resistência nos bastidores.

 

Internamente, a espera por Renato era vista como arriscada e outros nomes seguiram sendo discutidos na Gávea. Abel Braga foi procurado e recusou, e a lista de treinadores mapeados já vai para uma quarta opção. Isso porque Cuca, também especulado, encontra resistência interna e é tratado como carta fora do baralho.

Para a estreia no Campeonato Brasileiro, sábado, diante do Vitória, em Salvador, Maurício Barbieri será a solução. Repetir o que aconteceu com Zé Ricardo, por sua vez, é improvável. Apesar de contar com entusiastas na diretoria, a ideia está longe do consenso necessário para ser colocada em prática. Os fracassos recentes e a efervescência do ano eleitoral requerem um nome de maior bagagem.

O episódio, por sua vez, expõe a dificuldade da diretoria rubro-negra em encontrar alternativas no mercado. Além de Zé Ricardo, que comandou a equipe por mais de um ano ao assumir o lugar de Muricy Ramalho, o Flamengo recorreu a soluções caseiras também após as saídas de Reinaldo Rueda e Rodrigo Caetano.

Com a ida do colombiano para o Chile, Paulo Cesar Carpegiani, que já estava contratado para ser coordenador técnico, assumiu a função, enquanto Carlos Noval deixou as categorias de base para ser executivo do futebol. O dirigente, por sinal, é um dos favoráveis à manutenção de Barbieri, mas a falta de rodagem do treinador de 36 anos não é vista com bons olhos pela maior parte da diretoria.

Onze dias depois das demissões causadas pela eliminação precoce no Campeonato Carioca, o elenco rubro-negro se reapresenta nesta segunda-feira, no Ninho do Urubu, ainda sem um rumo definido.

 

Fonte: globoesporte


A sede da Federação Paulista de Futebol, próxima ao Allianz Parque, foi alvo de vandalismo horas depois da decisão do Paulistão entre Palmeiras x Corinthians. Indivíduos, supostamente torcedores alviverdes, depredaram o prédio da FPF.

Janelas do prédio e o carro de um dos funcionários da entidade foi atingido por pedras. Além disso, o escudo do Corinthians foi arrancado do portão da FPF, que exibe o símbolo se todos os clubes vinculados à Federação.

Além disso, um grupo de palmeirenses depredou a estação Barra Funda do Metrô, usada pelos torcedores por ser a mais próxima ao Allianz Parque. Revoltados com o Derby, vândalos quebraram janelas dos trens, usaram os extintores de incêndio e até subiram nas composições.

Essa não foi a única confusão envolvendo o Derby deste domingo. Durante a partida, um homem vestindo cinza foi agredido na torcida do Palmeiras e acabou sendo retirado por policiais. A informação inicial é de que se tratava de um corintiano infiltrado.

A diretoria do Palmeiras ordenou que nenhum jogador ou membro da comissão técnica concedesse entrevista após o Derby deste domingo. Por conta disso, o presidente Mauricio Galiotte foi o único a se manifestar na zona mista. Em seu discurso, disse para os torcedores palestrinos ignorarem o ‘paulistinha’ e afirmou que o campeonato está manchado.

Aos 26 minutos do segundo tempo, o árbitro Marcelo Aparecido anotou pênalti de Ralf em Dudu, o que iniciou uma confusão generalizada no gramado. À princípio, por mais que os corintianos argumentassem que o volante havia tocado apenas a bola, o árbitro se mostrava convicto em sua marcação. A pressão alvinegra, porém, foi forte e após uma conversa com um auxiliar que estava fora do gramado, o árbitro voltou atrás na penalidade.

Os presentes, que bateram recorde de público da história do Allianz Parque gritaram em coro: “Tem um palhaço querendo aparecer e vai morrer”, seguido de “Se o Palmeiras não ganhar olêolêolá, o pau vai quebrar” e “Vergonha”. Oito minutos depois, a partida recomeçou, mas sem emoção e apenas para seguir às penalidades.

 

Fonte: msn


A noite de Conor McGregor nesta madrugada de sexta-feira será detido pelo Departamento de Polícia de Nova York. Após causar uma grande briga na Barclays Center no início da tarde, invadindo o local com cerca de mais dez pessoas à procura de Khabib Nurmagomedov, o lutador irlandês deixou o local e foi dado como foragido, com mandado de prisão expedido. Ainda nesta noite, Conor McGregor se apresentou às autoridades locais, onde ficará sob custódia para a investigação do caso ocorrido no Brooklyn. As informações foram dadas pelo “TMZ Sports” e pela emissora americana “NBC”.

Segundo o porta-voz da Polícia de NY, George Tsourovakas, McGregor está sob custódia do departamento e a investigação está em andamento. McGregor se entregou esta noite na 78ª Delegacia em Nova York, segundo o site “MMAjunkie”. Ele ainda não foi acusado de nenhum crime, mas a “NBC-4 News” informou que o irlandês deve responder por agressão.

McGregor foi filmado invadindo a área em que os ônibus estavam estacionados e atacou os veículos com um carrinho de carga e gradeados de ferro. Michael Chiesa e Ray Borg foram atingidos por estilhaços e foram vetados do evento. Artem Lobov, amigo de McGregor e que também lutaria no evento contra Alex Caceres, foi filmado participando do ataque e foi retirado do card por Dana White.

Logo depois do incidente na arena, Dan White deu entrevista à "ESPN.com" e repudiou com veemência o ataque de Conor e seus amigos, chamando-os de "bandidos".

- Foi a coisa mais nojenta que já aconteceu na história da companhia (...). Vocês podem imaginar que ele vai ser processado além do que se imagina, e esta foi uma decisão muito ruim para a carreira dele (...). O que aconteceu aqui hoje foi que Conor e aproximadamente 20 caras receberam acesso aparentemente pelos caras do MacLife - site oficial de Conor McGregor -, que estavam credenciados. Eles abriram a porta por uma entrada, invadiram o edifício, desceram até o estacionamento de cargas onde os lutadores estavam entrando nos ônibus, e começaram o ataque, jogando latas de lixo e coisas assim. Quebraram uma das janelas e cortaram o Michael Chiesa bem feio. Ele cortou a cabeça, cortou o rosto. Rose Namajunas quase foi atingida e está muito chateada agora - ela basicamente saiu e voltou a pé para o hotel. O ataque ainda quebrou uma das juntas dos dedos de um dos nossos funcionários, e obviamente todos fiaram abalados quando 30 bandidos... Esses caras estavam todos cortando peso e se preparando para uma luta - afirmou.

Combate transmite o UFC 223 ao vivo e com exclusividade no próximo sábado, a partir de 19h05 (horário de Brasília). O Combate.comacompanha em Tempo Real, com vídeo ao vivo das duas primeiras lutas do card preliminar. Na sexta-feira, canal e site exibem ao vivo a pesagem cerimonial do UFC 223 às 18h55. Confira o card atualizado:

UFC 223
7 de abril de 2018, em Nova York (EUA)
CARD PRINCIPAL (23h, de Brasília):
Peso-leve: Max Holloway x Khabib Nurmagomedov
Peso-palha: Rose Namajunas x Joanna Jedrzejczyk
Peso-pena: Renato Moicano x Calvin Kattar
Peso-leve: Al Iaquinta x Paul Felder
CARD PRELIMINAR (19h15, de Brasília):
Peso-palha: Karolina Kowalkiewicz x Felice Herrig
Peso-leve: Joe Lauzon x Chris Gruetzemacher
Peso-leve: Evan Dunham x Olivier Aubin-Mercier
Peso-mosca: Bec Rawlings x Ashlee Evans-Smith
Peso-meio-pesado: Devin Clark x Mike Rodriguez
Peso-galo: Zabit Magomedsharipov x Kyle Bochniak

 

Fonte: globoesporte 


Conor McGregor se entregou na madrugada desta quinta-feira (5) devido ao ataque ao ônibus do UFC que transportava alguns dos lutadores escalados para o card deste sábado, em Nova York (EUA). As informações foram publicadas pelo site 'TMZ Sports' e confirmadas pela reportagem da Ag Fight com o '78th Precinct' do bairro do Brooklyn.

De acordo com o órgão, o irlandês não está formalmente preso, uma vez que não existem acusações formais. No entanto, as investigações continuam e ele seguirá sob custódia pelo menos até a manhã desta sexta-feira, horáriode Nova York.

De acordo com o TMZ, Conor deve responder por três acusações: duas por contravenção e uma por crime doloso. Um dos casos, por sinal, envolve a lesão aos atletas Michael Chiesa e Ray Borg, que após sofrerem danos pelos estilhaços dos vidros quebrados foram retirados do card do UFC 223. Ainda não há informações sobre uma possível negociação para o pagamento de fiança.

Sem motivação aparente, Conor McGregor invadiu o estacionamento do ginásio Barclays Center, no bairro do Brooklyn, e, acompanhado de outras seis pessoas, iniciou um ataque ao ônibus dos atletas, possivelmente à procura do rival Khabib Nurmagomedov. Passada a confusão, três lutas foram canceladas e Dana White rapidamente repudiou a atitude do atleta.

 

Fonte: msn


O Atlético Paranaense derrotou o São Paulo por 2 a 1, nesta quarta-feira (4), na primeira partida da quarta fase da Copa do Brasil, disputada na Arena da Baixada, em Curitiba. O triunfo manteve a invencibilidade do time rubro-negro curitibano sobre o São Paulo em seus domínios — a equipe paulista perdeu 13 vezes e empatou outras cinco desde a inauguração do estádio, em 1999.

O resultado também obriga o time são-paulino a bater os paranaenses no jogo da volta, marcado para o dia 19 de abril, no Morumbi. No entanto, por ter feito um gol fora, o São Paulo precisa apenas de uma vitória pelo placar mínimo (1 a 0) — se tiver a defesa vazada em casa, terá que superar os adversários por pelo menos dois gols de diferença.

Primeiro tempo

A primeira etapa começou com as equipes se estudando bastante. O São Paulo buscava o contra-ataque, enquanto o time atleticano tentava se infiltrar na defesa da equipe paulista.

A primeira oportunidade do jogo foi do São Paulo e surgiu exatamente em um contra-ataque. Aos 8 minutos, o volante Petros fez uma bela enfiada de bola para o atacante Tréllez, mas o colombiano não conseguiu chegar antes da saída do goleiro Neto.

Tréllez teve outra chance, aos 14 minutos, quando recebeu passe de Marcos Guilherme, que havia saído em disparada do campo de defesa são-paulino. O atacante girou para a esquerda e bateu forte, mas errou o alvo.

Pouco depois, o Atlético chegou forte no ataque, mas os zagueiros Arboleda e Rodrigo Caio conseguiram cortar a investida de Lucho e Guilherme para a equipe local.

O Atlético chegou ao primeiro gol aos 23 minutos. A defesa do time rubro-negro roubou uma bola na intermediária são-paulina e lançou para Pablo; o atacante tentou cruzar, Arboleda interceptou, mas a bola voltou para Pablo, que chutou firme para vencer Sidão.

No final do primeiro tempo, aos 43, o lateral Carleto cobrou falta com a perna esquerda e jogou a bola na área. O meia Raphael Veiga se esticou para alcançar a bola, mas não conseguiu chegar. Mesmo assim, foi um lance de perigo para a defesa do time comandado por Diego Aguirre.

Segunda etapa

O segundo tempo foi bem mais aberto, com as equipes buscando o gol a todo o momento. Aos 9 minutos, o Atlético Paranaense — do técnico Fernando Diniz — desceu com muito perigo. Pablo recebeu e passou rapidamente para Nikão, que pegou de primeira com muita força, mas a bola à esquerda de Sidão.

Na jogada seguinte, o São Paulo desceu pela direita com Militão, mas o lateral cruzou com muita força e alto demais.

Um minuto mais tarde, o meia Guilherme recebeu de frente para o gol, na entrada da área são-paulina, tentou encobrir o goleiro do time paulista, mas chutou muito mal.

O Atlético conseguiu chegar ao segundo gol por intermédio do zagueiro André. A jogada começou em um escanteio pela direita da direita; a zaga do São Paulo se atrapalhou e deixou a bola cair no pé do defensor atleticano, que tocou para as redes. Eram passados 15 minutos da etapa final.

Porém, o São Paulo correu atrás do prejuízo. Aos 18, o lateral-esquerdo Reinaldo recebeu um longo lançamento, foi para a linha de fundo e cruzou para Tréllez, que se antecipou ao zagueiro adversário e fez o primeiro gol do time paulista no jogo.

A partida continuava aberta, com muito mais emoção, já que os dois times se lançavam para o ataque.

O meia Nikão deu outro grande susto em Sidão, aos 32 minutos, ele recebeu e bateu muito forte de perna direita, forçando o goleiro do time tricolor a se esticar para desviar pela linha de fundo e ceder o escanteio.

Aos 39 minutos, Reinaldo bateu colocado, de perna direita — que não é a melhor — para surpreender o goleiro Neto, mas errou o alvo.

Copa Sul-Americana

Antes de enfrentar o Atlético Paranaense pela vaga na competição nacional, o São Paulo entrará em campo pela Copa Sul-Americana. O time tricolor visitará o Rosário Central-ARG, no próximo dia 12, na estreia da equipe brasileira no torneio continental. O jogo está marcado para às 21h30, no estádio Gigante de Arroyito, em Rosário.

 

Fonte: R7


A virtual eliminação na Liga dos Campeões após a goleada sofrida para o Real Madrid no jogo de ida das quartas de final já faz a Juventus pensar na próxima temporada. Segundo o jornal “Corriere Dello Sport”, a equipe de Turim vai tentar a contratação de Griezmann, do Atlético de Madrid, ou Cavani, do PSG.

O atacante francês seria o principal alvo, mas a cláusula de €100 milhões (R$ 386,5 milhões) do jogador com o clube colchonero seria um entrave. Cavani seria uma espécie de plano B, com a Juventus apostando no fato de que o uruguaio estaria insatisfeito no PSG por contra do foco no clube estar sobre Neymar.

A ideia é reforçar o ataque com um nome de peso, ainda mais que Mandzukic deve ser vendido para o futebol chinês no final da temporada.

 Cavani PSG (Foto: Reuters)

Cavani PSG (Foto: Reuters)

 

Fonte: globoesporte 


Página 3 de 83

Commentários

Share on Myspace

Compartilhar

COMPARTILHAR

Previsão do Tempo em Mauriti-CE

Agenda Cultural do Cariri

  • ok.jpg
  • 13.jpg
  • 15.jpg
  • 25.jpg
  • 42.jpg
  • damiao2.jpg
  • lora.jpg
  • lovyle.jpg
  • marcio.jpg
  • moto2.jpg
  • net.jpg
  • real2.jpg