Esporte

Esporte 1426

O Santos ficou perto de contratar seu terceiro reforço para o segundo semestre, mas não será nesta sexta-feira que o anunciará. Após Carlos Sánchez e Bryan Ruiz, Derlis González foi aprovado em exames médicos em São Paulo, porém, detalhes contratuais impedem a assinatura do acordo com o Dínamo de Kiev.

Derlis chegou no Brasil às 6h30 e só foi para o hotel com o seu pai já na noite desta sexta. Ambos deixaram os representantes em negociação com o Santos e aguardam pelo desfecho positivo no fim de semana. A diferença de fuso horário entre o horário de Brasília e o de Kiev, de seis horas, foi uma das dificuldades, além do acerto pendente com Vitor Bueno, envolvido na transação por empréstimo.

A troca deve ser feita por um ano e meio, com valor de compra fixado em contrato. Entre Santos e Dínamo, está tudo certo. Resta finalizar as minutas com os atletas. Cada clube pagará integralmente os salários, que são semelhantes, de pouco mais de R$ 200 mil.

Derlis González tem 24 anos, 1,72m de altura e é polivalente. No Dínamo, jogou aberto pela esquerda. Na seleção do Paraguai, o atacante é utilizado pela direita, onde a concorrência no Santos é menor. Rodrygo e Bruno Henrique preferem o lado esquerdo do campo.

Titular da seleção paraguaia, ele costuma atuar como ponta, mas prefere a função do “segundo atacante”, atrás do centroavante, no esquema 4-4-2 ou 4-1-3-2, esquemas incomuns no futebol brasileiro.

“Eu posso jogar como media punta (um ponta no esquema 4-2-3-1, usual no futebol brasileiro) ou pelo centro (como armador), mas me sinto melhor como segundo punta (o segundo atacante, num 4-4-2)”, explicou, à Gazeta Esportiva.

Revelado pelo Rubio Ñu e com passagens pelo Benfica B, Guarani, Olimpia e Basel, o atacante tem contrato até junho de 2020. Na última temporada, atuou 33 vezes e fez três gols.

Revelação do Campeonato Brasileiro em 2016, Vitor Bueno caiu de rendimento após passar por cirurgia no joelho direito na temporada passada e só disputou 19 jogos neste ano, sem marcar gols. Seu contrato vai até 2020.

Fonte: msn 


Noite de expectativas quebradas na Arena Condá. Nesta quinta-feira (19), Chapecoense e Bahia entraram em campo precisando da vitória, mas protagonizaram um jogo truncado, que terminou com o empate em 1 a 1, resultado ruim para os dois lados.

Com o placar, a Chapecoense continua na 14ª colocação, com os mesmos 15 pontos do Fluminense, último time na zona de classificação para a Sul-Americana. Por outro lado, o Bahia, que desperdiçou a chance de vencer a primeira partida fora de casa e garantir um triunfo inédito sobre os catarinenses, segue na amarga zona de rebaixamento, com 13 pontos.

Bahia domina perigo na etapa inicial

A Chapecoense saiu com a bola, mas o Bahia não demorou para mostrar que seria um adversário complicado. Dependendo da vitória para deixar a zona de rebaixamento, o Tricolor dominou as primeiras jogadas perigosas da partida enquanto a Chapecoense, atrapalhada pelos erros, poucas vezes se aproximou da meta de Anderson.

Zé Rafael leva perigo ao gol da Chape

Na melhor chance catarinense, Wellington Paulista arrancou pela direita e cruzou na área para Bruno Silva, mas o meia não chegou a tempo. Como resposta, o Bahia, que já havia exigido Jandrei em chute de Zé Rafael, voltou a assustar com o camisa 10, que desperdiçou falta próxima da área, mas recuperou na sobra e quase encobriu o arqueiro alviverde, que subiu para segurar a bola, concluindo uma grande defesa.

Chapecoense se concentra na defesa

Em noite apagada para os meias da Chapecoense, o time manteve a dificuldade para criar jogadas na etapa inicial e não encontrou outra alternativa senão voltar o jogo para o setor defensivo, enquanto o Bahia manteve a movimentação em busca de espaços. O desespero em não levar gols por pouco não deixou os catarinenses em maus lençóis quando Gilberto driblou Thyere e entrou em velocidade na grande área, sendo derrubado por Jandrei. Enfurecidos, os jogadores do Bahia pediram pênalti, mas a arbitragem mandou seguir.

Quatro atacantes em campo

Após ver o Bahia dominar o primeiro tempo, a Chapecoense voltou com três atacantes para a etapa final e, apesar de ter gerado um certo equilibrio nos primeiros minutos de bola rolando, logo mostrou dificuldade para bloquear os avanços do rival. Pressionado pela torcida, Gilson Kleina provomeu a entrada de Osman na vaga de Bruno Silva, mas diante de atuações travadas, o máximo que o camisa 77 conseguiu foi dar um pouco de velocidade ao jogo.

Final truncado

Apesar de ter segurado mais a posse de bola, a Chapecoense continuou sem criar jogadas perigosas e teve sua melhor chance quando Wellington Paulista rececebeu cruzamento de Eduardo e cabeceou forte no chão, mas Anderson concluiu a defesa em dois tempos. Tudo indicava para uma noite sem perigo, até que Elton invadiu a linha de fundo e cruzou a bola dentro da grande área para Gilberto subir mais que todo mundo e carimbar o fundo das redes com gol de cabeça aos 33 minutos.

Reviravolta

Quando o Bahia já comemorava o fim do jejum de quatro jogos sem vitória, a Chapecoense despertou na partida. Em disparada, Eduardo deixou os marcadores do bahia para trás e fez um belo lançamento para Osman, que garantiu o empate para os donos da casa aos 39 minutos.

Próximos compromissos

Pelo Campeonato Brasileiro, a Chapecoense volta aos gramados no próximo domingo, quando recebe o Santos, ás 19h, na Arena Condá. No mesmo dia, o Bahia tem a difícil missão de enfrentar o Vitória no clássico Ba-Vi, que acontece às 16h, na Arena Fonte Nova, em Salvador.

 

Fonte: R7


Gabigol comentou sobre a "polêmica da camisa 10" no Santos após o empate em 1 a 1 contra o Palmeiras, nesta quinta-feira, no Pacaembu. O atacante do Peixe afirmou não ter sido comunicado sobre uma possível troca de número. Explica-se: Bryan Ruiz, novo reforço do Santos, foi anunciado com a numeração na semana passada.

– Não fui comunicado, ninguém falou comigo sobre isso. Pelo que falaram, eu sou o camisa 10. Independentemente do número, o que importa é o escudo, é o jogador que vem pra somar. Estou muito ansioso para que ele chegue. É um jogador de Copa do Mundo que vai ajudar a gente. O Santos está bem servido – afirmou Gabigol.

Sobre o clássico, Gabigol disse que viu o Santos melhor em campo.

– Se formos ver os números do jogo, acho que deu mais a gente. Mas foi um jogo de igual para igual, com duas grandes equipes, as duas tiveram chances. Pelos números, acho que o Santos foi melhor – disse.

– Eu acho que a gente criou algumas chances, uma bola que quase chego. Jogamos com quatro atacantes, nenhum com característica de um meia. Gente que chega é sempre importante pra gente. O Bryan é mais um meia armador, acho que vai ajudar a gente, como todos os reforços que vierem.

O atacante ainda comentou a comemoração de Lucas Lima, que correu em direção à torcida do Santos, seu ex-clube, após marcar, e disse em entrevista que tem um gosto especial balançar as redes do Peixe.

– Não vi a comemoração. Lucas Lima é um grande jogador, joga em uma grande equipe, como nós também. Acho que isso é mais a parte da torcida. Tenho certeza que ele respeita o Santos, que foi um clube que passou e ganhou títulos, que ajudou a gente – opinou Gabigol, que ainda teve tempo para responder as duras críticas de Frank de Boer, seu primeiro treinador na Internazionale de Milão, da Itália:

– É um grande treinador, trabalhamos na Inter. Cada um tem sua opinião. Ele é bem mais velho que eu, e procuro ouvir os mais velhos. Eu respeito. Depende do modo que você leva, a gente tinha uma relação muito boa na Inter. Acho que tem críticas que é pra te ajudar – finalizou o centroavante.

O Santos se reapresenta nesta sexta-feira, no CT Rei Pelé. A próxima partida é contra a Chapecoense, no domingo, fora de casa.

 

Fonte: globoesporte


De volta após a parada para a Copa do Mundo, o Santos recebeu o Palmeirasno Pacaembu pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro e o jogo terminou empatado em 1 a 1.

E a “lei do ex” entrou em ação rapidamente: Lucas Lima, que veio do clube santista, abriu o placar para o time alviverde logo aos sete minutos, batendo na saída do goleiro após grande jogada de Willian pela direita. Na comemoração, o meia foi efusivo, tomou cartão amarelo, e depois explicou na saída de campo: "Bati no símbolo do maior campeão do Brasil".

Na segunda etapa, aos 29, Gustavo Henrique aproveitou o bate-rebate dentro da área e o rebote do travessão para empatar e dar números finais ao confronto.

O torcedor santista teve também duas más notícias. A primeira, antes do jogo, foi de que Vitor Bueno foi cortado da partida por estar em meio a negociações para deixar o clube. Já no segundo tempo, Rodrygo precisou ser substituído por conta de uma lesão.

Com o resultado, o Santos ficou com a 15ª posição e o Palmeiras caiu para sétimo.

O jogo teve 29 chutes, sendo a maioria dos donos da casa (16), que por outro lado acertou menos o alvo que os adversários (quatro contra sete nas finalizações certas). Além disso, um total de 31 faltas foram marcadas, sendo 16 para o clube-alviverde, que também levou seis cartões (contra quatro). A pose de bola ficou dividida igualmente.

O próximo compromisso do Palmeiras é no domingo contra o Atlético-MG, em casa. Já o Santos enfrenta a Chapecoense no mesmo dia, mas em Chapecó.

FICHA TÉCNICA - SANTOS 1 X 1 PALMEIRAS

Data: 19 de julho de 2018, quinta-feira

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo

Horário: 20 horas (de Brasília)

Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa)

Assistentes: Hélcio Araújo Neves e Heronildo Freitas da Silva

Público: 23.572 pessoas

Renda: R$ 748.458,00

Cartões amarelos: Alison, Léo Citaddini, Jean Mota e Rodrygo (SANTOS); Lucas Lima, Antônio Carlos, Gustavo Scarpa, Deyverson e Felipe Melo (PALMEIRAS)

GOL:

SANTOS: Gustavo Henrique, aos 29 minutos da etapa final

PALMEIRAS: Lucas Lima, aos cinco minutos do primeiro tempo

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, David Braz e Dodô; Alison (Léo Cittadi), Jean Motae Rodrygo (Yuri Alberto); Gabigol, Bruno Henrique e Eduardo Sasha (Copete)

Técnico: Jair Ventura

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima (Artur); Gustavo Scarpa, Hyoran (Jean) e Willian (Deyverson)

Técnico: Roger Machado

Fonte: msn


Apesar das especulações, ainda não teve nenhuma proposta oficial para que Neymar deixe o PSG. O Brasil foi eliminado da Copa do Mundo com atuações contestáveis de seu principal craque. Sempre no centro das especulações, Neymar aceitaria ficar no PSG com uma condição: ser o jogador mais importante do clube.

Segundo o 'El País', um dirigente do PSG afirmou que o pai do Neymar disse que o jogador está se sentido bem em Paris, refutando as especulações em torno de uma possível transferência para o Real Madrid. Ainda de acordo com a publicação, o único fator "inegociável" é que Neymar se sinta como o jogador mais importante do clube parisiense.

— Ele (pai) nos contou que Neymar está bem em Paris, agradece o apoio da família real do Catar e para ele a única coisa inegociável é que quer se sentir o jogador mais importante. Nisso o pai foi muito claro: sua única condição para continuar é que ninguém duvide que o centro do clube é ele - disse uma fonte próxima aos dirigentes do PSG, ao 'El País

O jornal ainda conta que o presidente do Real Madrid se encontrou com o pai de Neymar para uma possível negociação e que Florentino Pérez disse que no Real Madrid, Neymar seria "o único rei". De acordo com a fonte, o pai de Neymar teria respondido que enquanto o brasileiro "estiver no PSG, ele será o único rei".

Vale ressaltar que essa notícia surgiu logo após o final da Copa do Mundo, em que o companheiro de Neymar no PSG, o jovem Kylian Mbappe, teve atuação destacada e elogiada em âmbito mundial, que culminou, além do título da competição para a França, mas o prêmio de melhor jogador jovem para Mbappe.

Neymar, por sua vez, teve uma atuação contestável na Copa do Mundo. Com atuações irregulares, o brasileiro foi bem em alguns jogos, mas não conseguiu liderar o Brasil para seguir mais adiante na competição. Além disso, virou chacota mundial por conta de suas simulações dentro de campo.

 

Fonte: R7


O Flamengo segue líder do Campeonato Brasileiro, mesmo após perder por 1 a 0 para o São Paulo no Maracanã, em jogo válido pela 13ª rodada do torneio. Se a posição se manteve, a folga na ponta não. Na vice-liderança, o Tricolor Paulista reduziu a diferença para um ponto, muito por conta do erros rubro-negros nas finalizações, assim entendeu Maurício Barieri, treinador da equipe carioca.

Barbieri viu um Flamengo dominante no confronto com o São Paulo, e entendeu que a falta de pontaria na parte final do campo foi a culpada pelos três pontos perdidos no Maracanã. Essa foi a primeira partida do campeonato em que o Flamengo não fez gols.

- Acho que tivemos domínio grande do jogo. São Paulo esperou mais, buscou contra-ataque. Havíamos alertado. Mas criamos bom número de oportunidades. Paquetá na trave, bola parada. Bola do Marlos, escapou. Uribe, que finalizou mal - lembrou o técnico.

Assim como alguns dos jogadores ao deixar o gramado, Barbieri também comentou sobre a postura do time do São Paulo na partida, condenando a cera e o tempo gasto com a bola parada. O árbitro concedeu seis minutos de acréscimo no segundo tempo e, posteriormente, mais um.

- Complicado avaliar (cera). Acho que houve em excesso. Acho que árbitro poderia ter tido outra postura. Depois da placa teve mais quedas, poderia ter acrescido mais ainda. Quanto a isso não há o que fazer. São Paulo tem proposta de esperar, fizeram gol e encaixou.

O Flamengo volta as atenções agora para o clássico contra o Botafogo, pela 14ª rodada, no Maracanã. O jogo acontece sábado, às 19h, e o time poderá ter o retorno de Cuéllar e Henrique Dourado, que estavam suspensos. Por outro lado, Éverton Ribeiro levou o terceiro amarelo e não joga.

Confira outras respostas de Maurício Barbieri no Maracanã:

Derrota abala?

- De maneira nenhuma abala. Insatisfeitos com o resultado. Não é o que queríamos. Mas até pelo domínio, fizemos partida relativamente boa. Apesar da derrota. Lutamos o tempo todo, buscamos o gol, maneiras diferentes. Temos que avaliar o que errou para ajustar.

Guerrero e Uribe

- Sobre Guerrero, sentiu um pouco a marcação. Jogo bastante viril, não fez a melhor partida, tem consciência disso. Mas nos ajudou, preparou. Tentou bater de fora da área. Uribe bastante dinâmico, teve oportunidade de fazer o gol. Avalio como positiva a atuação.

Ausências de VInicius Jr. e Cuéllar

- Difícil colocar peso nisso. Normal que qualquer equipe que perde jogadores desse nível é normal demorar a encaixar. Rômulo fez bom jogo. Marlos também, mas é normal que demore a engrenar, aconteceu com Vinicius.

Matheus Sávio

- Questão de ordem física. Durante os treinos Geuvânio não foi a campo em alguns treinos. Sentiu incômodo no joelho. Sávio estava mais inteiro para conseguir mais desequilíbrio. Ele tentou, fez três jogadas.

Contra-ataques do São Paulo

- Aconteceram mais contra-ataques no primeiro tempo que no segundo. O gol deles não foi contra-ataque de forma direta. Eles tiveram mais contra-ataques de escanteio ofensivos nossos, coisas que conversamos para ajustar. Depois do escanteio, Renê tentou bola longa, mas ficou curta e vieram para cima. Mas não foi lance de velocidade, exatamente. Quando Rojas faz o cruzamento estamos montados, mas Everton conseguiu antecipar Renê. Procuramos estar equilibrados e reagir rápido.

 

Fonte: globoesporte


O Fluminense anunciou em seu site oficial a contratação por empréstimo do atacante Junior Dutra, que vai vestir a camisa 11 do clube carioca.

"O jogador de 1,84 m será uma opção versátil para o setor ofensivo Tricolor, já que pode atuar tanto pelos lados, quanto centralizado", diz o site

Aos 30 anos, o atleta que pertence ao Corinthians e já passou pelo futebol europeu e asiático, assinou para jogar pelo Flu até o final de 2018.

"Fui muito bem recebido por todos. Gosto muito do Rio, tenho muitos amigos aqui. Uma cidade maravilhosa, com uma energia muito boa. Mas o mais importante é dentro de campo. Jogar no Maracanã, vestir essa camisa, é uma oportunidade única. Estou muito motivado e ansioso para estar dentro de campo logo", declarou o jogador. 

Junior Dutra já trabalha com o restante do elenco, mas ainda não foi regularizado, o que deve acontecer nos próximos dias. O jogador será apresentado na sexta-feira, dia 20.

 

Fonte: msn


O Campeonato Brasileiro de 2018 recomeça nesta quarta-feira (18), após um mês de paralisação devido à Copa do Mundo, entre eles, o confronto entre o líder Flamengo, com 27 pontos, e o São Paulo, terceiro colocado na tabela, com 23. O clássico nacional, válido pela 13ª rodada do Brasileirão, está marcado para às 21h45, no Maracanã. O duelo promete ser disputado e de muita qualidade, pois as duas equipes estavam em ótima fase na primeira metade da temporada.

O time rubro-negro poderá ter a presença do atacante Fernando Uribe, de 30 anos, contratado junto ao Toluca-MEX. O colombiano, que já treina com o grupo flamenguista, teve o nome regularizado no BID da CBF e está à disposição do técnico Maurício Barbieri.

Já o peruano Paolo Guerrero está liberado pela (CAS) Corte Arbitral do Esporte e vive a expectativa de voltar a atuar pelo Flamengo — junto com Uribe, ele está na lista de relacionados para a partida. No entanto, a diretoria do clube aguarda um parecer da Fifa para reutilizar o jogador. Guerrero foi suspenso por 14 meses pela CAS, mas obteve efeito suspensivo no Tribunal Federal da Suíça que o liberou para jogar a Copa, na Rússia.

No entanto, o Flamengo perdeu jogadores importantes na última janela de transferências para o exterior. Além de Vinícius Júnior, que já estava negociado com o Real Madrid e só aguardava completar 18 anos para ir embora, o clube carioca sofreu outra baixa importante no ataque: Felipe Vizeu (Udinese-ITA).

O treinador Maurício Barbieri enfrentará problemas para escalar o Flamengo devido a suspensões, casos do centroavante Henrique Dourado e do volante colombiano Cuéllar.

"Jogo difícil e complicado. O São Paulo vem em um bom momento e tem um elenco qualificado. Nos preparamos da melhor maneira possível nesse período que tivemos. Nos recuperamos após uma sequência dura. O Flamengo chega bem preparado, mas ciente da dificuldade que vamos ter nesse jogo. Por isso contamos com a torcida nos apoiando para sermos mais fortes como equipe", analisou o técnico do Flamengo em entrevista coletiva, nesta terça.

O São Paulo também teve perdas no elenco durante a parada para a Copa do Mundo. Saíram os meias-atacantes Valdívia (Al-Ittihad-ARA), Marcos Guilherme (Al-Wehda-ARA), o lateral-esquerdo. Júnior Tavares (Sampdoria-ITA) e o volante Petros (Al-Nassr-ARA). Chegaram apenas o atacante Joao Rojas (Talleres-ARG) e o lateral-direito Bruno Peres (Roma).

Por outro lado, o técnico Diego Aguirre já poderá colocar em campo Joao Rojas, que também teve o registro confirmado no BID. O reforço está relacionado para a partida, assim como Diego Souza, Nenê e Everton, três dos mais importantes integrantes do grupo e que vivem ótima fase na competição.

No entanto, o treinador são-paulino tem sete jogadores pendurados com dois cartões amarelos e: Nenê, Sidão, Militão, Arboleda, Jucilei, Hudson e Everton. Todos precisam ter cuidado para não ficarem fora do clássico com o Corinthians, na próxima rodada do Nacional.

Ficha Técnica
18/6 – Maracanã (Rio de Janeiro)
Árbitro:
 Paulo Roberto Alves Júnior (Paraná)
FLAMENGO: Diego Alves; Rodinei, Réver, Léo Duarte e Renê; Rômulo, Lucas Paquetá e Diego; Éverton Ribeiro, Marlos e Guerrero (Fernando Uribe). Técnico: Maurício Barbieri.
SÃO PAULO: Sidão, Éder Militão, Arboleda, Anderson Martins e Reinaldo; Jucilei, Hudson e Nenê. Rojas, Éverton e Diego Souza. Técnico: Diego Aguirre.

 

Fonte: R7


 

Santos acertou na noite desta terça-feira os detalhes finais para contratar o volante Carlos Sánchez, da seleção uruguaia. Após reunião entre o presidente José Carlos Peres e o agente do atleta, em São Paulo, o acordo foi fechado.

Nos próximos dias, Sánchez deve vir ao Brasil para realizar exames médicos e assinar contrato até o fim de 2020 com o Santos.

No encontro, ficou definido que o Peixe pagará US$ 1 milhão (cerca de R$ 3,7 milhões) ao Monterrey, do México, clube detentor dos direitos de Sánchez, e ainda conseguiu abaixar a pedida salarial do volante, inicialmente de R$ 500 mil, para pouco menos de R$ 400 mil.

Curtindo as férias no México após a Copa do Mundo, Sánchez já havia sido avisado pelo Monterrey que não fazia mais parte da equipe para a temporada 2018/19.

Sánchez participou de três jogos do Uruguai na Rússia, apenas um como titular. Ele deu duas assistências na competição.

O que chamou a atenção da diretoria santista em Carlos Sánchez foi sua polivalência. Sánchez é segundo volante de origem, mas desempenha outras funções. Até de ponta ele já atuou. Além disso, a bola parada é uma de suas melhores qualidades.

Além do Monterrey, Sánchez já atuou no Liverpool, do Uruguai, Godoy Cruz e River Plate (onde conquistou a Libertadores), da Argentina, e Puebla, do México. Na última temporada mexicana, o uruguaio participou de 48 jogos e marcou 12 gols.

O uruguaio é a quinta contratação da gestão do presidente José Carlos Peres. Antes dele, chegaram os atacantes Eduardo Sasha e Gabigol, o lateral-esquerdo Dodô e o meio-campista Bryan Ruiz.

O Peixe ainda tenta acertar a chegada de mais um meio-campista e dois atacantes. O ponta Derlis González, do Dínamo de Kiev, da Ucrânia, é quem está mais perto de reforçar o Santos atualmente.

 

Fonte: globoesporte

 


Santos acertou a contratação de Carlos Sánchez nesta terça-feira, no segundo dia de reuniões com seu empresário, em São Paulo. O Peixe aguarda pelo uruguaio na próxima semana para exames médicos. O contrato até dezembro de 2020 foi apalavrado.

O alvinegro “driblou” o interesse do Palmeiras para contratar o meia de 33 anos. O rival ofereceu mais do que o Peixe há alguns dias, mas a oferta venceu. Depois de chutar alto e atrair o jogador, a proposta santista foi diminuída e houve o acerto após longas conversas com o agente.

Os salários e luvas pela assinatura do acordo não foram revelados, mas o Santos afirma que são semelhantes aos moldes de Bryan Ruiz, anunciado na semana passada – cerca de R$ 350 mil por mês e pouco mais de R$ 2 milhões para o atleta e seus representantes.

O Peixe convenceu o Monterrey-MEX com 1 milhão de dólares (R$ 3,7 mi) e recebeu a prioridade em caso de outras propostas. A relação entre as diretorias se estreitou após o amistoso, vencido pelos mexicanos por 1 a 0, no último dia 7, no Estádio BBVA Bancomer.

Liberado da pré-temporada com o Monterrey, Sánchez está de férias no México depois de ser quinto colocado da Copa do Mundo da Rússia com o Uruguai. Em entrevista à Gazeta Esportiva, o meio-campista falou da vontade de atuar no futebol brasileiro.

Sánchez é polivalente. Segundo volante de origem, ele tem facilidade de atuar aberto pelo lado direito do ataque. Ele é destro, tem 1,70 m de altura e foi campeão da Libertadores pelo River Plate-ARG em 2015. O atleta ainda passou por Aragua-VEN, Godoy Cruz-ARG  e Puebla-MEX.

 

Fonte: msn


Página 6 de 102

Commentários

Share on Myspace

Compartilhar

COMPARTILHAR

Previsão do Tempo em Mauriti-CE

Agenda Cultural do Cariri

  • felix.jpg
  • juazeiro.jpg
  • 13.jpg
  • 15.jpg
  • 25.jpg
  • 42.jpg
  • damiao2.jpg
  • lora.jpg
  • lovyle.jpg
  • marcio.jpg
  • moto2.jpg
  • net.jpg