Esporte

Esporte 1426

O jornal "Marca", de Madri, estampou Neymar em sua capa que vai às bancas neste sábado. Na publicação, explica-se que o Real Madrid não procurou nenhum representante do brasileiro e garantiu que o clube merengue primeiro irá falar com o PSG, caso queira contratá-lo. A manchete do diário sobre o caso ainda foi impactante: "Nunca. Nunca. Nunca".

Na última quinta-feira, o GloboEsporte.com afirmou que o Real Madrid enviou um representante para conversar com o pai de Neymar para fazer uma proposta. As informações foram divulgadas com base em fontes próximas à situação, principalmente após a transferência de Cristiano Ronaldo para a Juventus, confirmada nesta semana. Já nesta sexta-feira, o clube enviou um comunicado garantindo que não está negociando com o estafe do atleta.

O jornal ainda destaca que o treinador merengue, Julen Lopetegui, já manifestou o desejo de ter de volta James Rodríguez, que está emprestado ao Bayern de Munique.

 

Fonte: globoesporte


O penúltimo jogo da Copa do Mundo de 2018 será entre Bélgica e Inglaterra, neste sábado, a partir das 11h (de Brasília), no Estádio São Petersburgo. As duas equipes derrotadas nas semifinais disputam o terceiro lugar da competição. O jogo é um aquecimento para a final França x Croácia, no domingo, mas não está sendo tratado como uma partida sem importância.

Uma vitória da Inglaterra significaria o segundo melhor desempenho da história da seleção em Copas – atrás apenas do título em 1966. Por enquanto, a equipe de Harry Kane e Jordan Pickford igualou o feito alcançado pela geração de Gary Lineker e Paul Gascoigne, quarta colocada no Mundial de 1990. Além disso, a Inglaterra quer se despedir da boa campanha na Rússia superando uma seleção “de peso”. “Não vencemos nenhum dos melhores times até agora e queremos aproveitar essa oportunidade”, apontou o técnico inglês Gareth Southgate.

A Bélgica, por sua vez, busca assegurar o posto de melhor geração da história do país. Caso derrotem a Inglaterra neste sábado, Eden Hazard e companhia terão conseguido a mais destacada campanha de sua seleção em Mundiais, superando o quarto lugar da equipe de Jean-Marie Pfaff e Jan Ceulemans na Copa de 1986.  Segundo a imprensa belga, há ainda uma motivação bem mais mundana. De acordo com o jornal belga Le Soir, a federação do país prometeu um prêmio de 1,4 milhão de reais (313 mil euros) para cada jogador em caso de vitória.

Tabela completa de jogos da Copa do Mundo de 2018

A partida também reserva a disputa pela artilharia da Copa do Mundo: os atacantes Harry Kane e Romelu Lukaku lutarão pela chuteira de ouro do torneio. O inglês lidera a corrida com seis gols, mas não marca desde as oitavas de final. O belga tem quatro gols e também passa por uma “seca”: não marca desde a segunda rodada do Mundial. Os dois centroavantes ainda terão que torcer contra o jovem Kylian Mbappé, que marcou três gols no torneio e joga a final contra a Croácia no próximo domingo.

Em tempo: Inglaterra e Bélgica já se enfrentam nesta Copa, em um jogo pouco memorável da fase de grupos. Já classificadas, as duas equipes entraram em campo com muitos reservas e pouca emoção. Os belgas venceram por 1 a 0 com um belo gol de Adnan Januzaj. A seleção inglesa, inclusive, foi acusada de não se esforçar propositalmente com o objetivo de ficar em segundo lugar no grupo e cair em uma chave mais fácil no mata-mata. Espera-se, neste sábado, uma partida mais animada.

 

Fonte: msn


Voltando de lesão no pé direito e com a expectativa de ser o grande comandante da seleção brasileira em campo, Neymar acabou sendo protagonista na Copa do Mundo por um fator nada positivo. Vítima de diversas faltas dos adversários, o brasileiro sofreu duras críticas por suas reações intensas - e, para muitos, falsas ou exageradas. E virou piada nas redes sociais, que explodiram com memes do jogador do PSG.

+ Vestido como voluntário, presidente da Fifa diz: "Foi a melhor Copa da história"

Após ser alvo de comentários durante todo o Mundial, o tema chegou à entrevista coletiva do presidente da Fifa, Gianni Infantino. Em meio ao balanço do torneio, o mandatário evitou engrossar as críticas ao camisa 10 da Seleção.

- Ele é um grande jogador, esta é a primeira coisa. Quando eu falo de jogadores talentosos, que nos fazem sonhar... Não posso dizer palavras negativas sobre eles. E Neymar é uma dessas lendas de alto nível. Mas claro (silêncio e gargalhada)... Ele vai mostrar para nós mais de suas habilidades, de suas habilidades reais no futebol (risos).

+ Mais um: Van Basten critica Neymar e diz que "simular não é uma boa atitude"
+ Maradona vê Brasil favorito e analisa Neymar: "Ou nos faz rir ou chorar"

 Reações de Neymar após faltas viraram alvo de críticas (Foto: REUTERS/Dylan Martinez)

Reações de Neymar após faltas viraram alvo de críticas (Foto: REUTERS/Dylan Martinez)

Infantino também falou diretamente sobre outro craque que não esteve em seus melhores dias no Mundial: Lionel Messi. O presidente admitiu que "todos esperavam mais" da Argentina, frisando que os hermanos foram eliminados após perderem para a França, qu chegou à final e pode levar o título. E também defendeu o camisa 10.

- Messi, grandíssimo como sempre. Fez um golaço aqui. Pode fazer mais? Não pode fazer mais? Quando a Argentina ganhava por 2 a 1 contra a França, poderiam ter se fechado atrás e talvez Messi pudesse ter mostrado suas qualidades. Mas Messi não se pode discutir. Nos faz sonhar há dez anos e vai continuar nos fazendo sonhar.

 

Fonte: globoesporte


O Palmeiras acertou a venda do atacante Róger Guedes ao Shandong Luneng, da China. O jogador estava emprestado ao Atlético Mineiro até o fim do ano e rescindiu seu contrato na tarde desta quinta-feira.

Em nota oficial, o clube mineiro explicou que tinha direito a 5% do valor total da venda, mas que ficará com 27% após uma "dura negociação". A diretoria do Atlético Mineiro informou que 27% correspondem a 2,5 milhões de euros, o que significa que o valor total da venda foi 9,2 milhões de euros (mais de R$ 41 milhões).

O Palmeiras, dono de 25% dos direitos, e o Criciúma, que detém os outros 75%, ainda não se manifestaram sobre a divisão do valor.

 

 

Fonte: R7


Em sua última entrevista coletiva antes da final da Copa do Mundo, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, exaltou a Rússia, a organização e apontou esta como a maior Copa de todos os tempos. Ele falou nesta sexta-feira em Moscou, no estádio Lujniki, onde será disputada a final entre França e Croácia no próximo domingo às 12h (horário de Brasília). Infantino chegou para a entrevista vestido como um voluntário, com um casaco vermelho.

- Queria parabenizar ao povo russo, ao presidente Vladimir Putin, a todos os torcedores, que certamente fizeram desta a maior Copa de todos os tempos. A partir de agora, a Rússia sobe a outro patamar como país do futebol - afirmou Infantino.

Infantino disse que a organização funcionou em todas as cidades e destacou a participação dos torcedores, sublinhando a dos sul-americanos. Neste momento, porém, não citou os brasileiros, apenas colombianos, peruanos e argentinos. Exaltou também a atitudes dos senegaleses e japoneses, que apareceram recolhendo dos estádios após as partidas. O presidente da Fifa também destacou a final inédita.

- Certamente uma final de grande nível, entre uma equipe que nunca esteve e nunca conquistou o título e outra que luta pelo bicampeonato. E ainda reeditando a semifinal de 1998. Será uma grande final - afirmou.

Essa foi a primeira Copa de Infantino como presidente da Fifa. Ele assumiu em fevereiro de 2016, sucedendo o francês Joseph Blatter, que está suspenso por conta de escândalos de corrupção.

 

Fonte: msn


Assuntos badalados durante toda a Copa do Mundo, as faltas sofridas por Neymar e as reações intensas do craque geraram críticas de mais uma referência do futebol mundial: o ex-craque Van Basten. Ídolo holandês, o ex-jogador do Milan fez uma crítica direta ao brasileiro - que acabou virando meme nas redes sociais por rolar em campo.

- Eu acho que simular não é uma boa atitude. Eu acho que você tem que ter espírito e isso não vai te ajudar. Eu acho que ele pessoalmente deveria entender essa situação - disse Van Basten, que faz parte do grupo de estudos técnicos da Fifa.

+ Peter Schmeichel diz que atuação de Neymar é "lamentável" e faz apelo à Fifa
+ Maradona vê Brasil favorito e analisa Neymar: "Ou nos faz rir ou chorar"

Presente na mesma entrevista coletiva em que Van Basten falou de Neymar, Carlos Alberto Parreira saiu em defesa do craque brasileiro - que, apesar de ficar marcado por supostas simulações e reações exageradas, costuma, de fato, ser caçado pelos adversários.

- Ele é muito agredido tambem. Ele atrai essa mídia toda contra ele. O importante é que ele pode nos ajudar - pontuou o ex-treinador.

 

Fonte: globoesporte


País que conseguiu sua independência da antiga Iugoslávia em 1991, a Croácia fez sua estreia em Copas do Mundo em 1998, na França, quando surpreendeu e chegou à semifinal.

Naquele mundial, o atacante Suker foi o artilheiro da competição com 6 gols e o time croata acabou eliminado pela França na semifinal ao perder por 2 a 1, de virada. 

Na disputa do 3º lugar, a Croácia venceu a Holanda por 2 a 1 e conquistou seu melhor resultado em Copas até o início do Mundial da Rússia, em 2018.

Curiosamente, nos mundiais seguintes que disputou, a Croácia não conseguiu bons resultados. Em 2002 e em 2006, não passou da primeira fase. Em 2010, na África do Sul, a seleção croata nem conseguiu classificação nas Eliminatórias. Já em 2014, na Copa realizada no Brasil, a Croácia também foi eliminada na primeira fase, após estrear com derrota para o Brasil — ficou atrás do México no grupo que tinha ainda a seleção de Camarões. 

Em Eurocopas, a Croácia participou de cinco edições desde 1996, chegando às quartas de final em 1996 e 2008 e parando na primeira fase em 2004 e 2012. Em 2000, o país não participou da edição realizada na Bélgica e na Holanda. Já na última edição, em 2016, na França, a Croácia foi eliminada por Portugal por 1 a 0, na prorrogação.

 

Fonte: R7


Mano Menezes aprovou o desempenho do Cruzeiro no empate em amsitoso por 2 a 2 com o Corinthians, na noite desta quarta-feira, em Itaquera. Diferentemente do último encontro com os paulistas, em que foi derrotado por 2 a 0 no Mineirão, o time celeste mostrou mais criatividade e poder de finalização em São Paulo.

- Não sou de reclamar. A vida de técnico é resolver problemas, não criá-los. Sou pago para isso, estou aqui para resolver. Acho que o ataque funcionou bem hoje (nesta quarta-feira, contra o Corinthians), criamos muitas oportunidades, fizemos dois gols, poderíamos ter feito mais com David de cabeça e Ariel na última bola. Mas o mais importante de tudo é o comprometimento de todos para resolver os problemas que temos - elogiou Mano Menezes.

Sem Fred e Sassá, que se recuperam de cirurgias, o Cruzeiro buscou mais um centroavante para disputar vaga no time com Raniel. O argentino Hernán Barcos foi anunciado como novo reforço na tarde desta terça-feira e deverá desembarcar em Belo Horizonte na sexta-feira para realização de exames médicos e assinatura do contrato.

- Agora o Raniel já está de volta, temos uma novidade agora, um novo centroavante que vem para ajudar a equipe na última etapa, naquela de colocar a bola para dentro, mas acredito muito em trabalho. A medida que o trabalho começa a ser bem executado por todos, inclusive pelos jogadores todos, as coisas funcionam. De um jeito ou de outro. Como já vivenciamos no Cruzeiro em outros momentos - complementou o treinador.

Na segunda-feira, o clube mineiro recebe o Atlético-PR, no Mineirão, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. Na ida, a Raposa venceu por 2 a 1 na Arena da Baixada.

 

Fonte: msn


A França venceu a Bélgica por 1 a 0 nesta terça-feira (10), em São Petersburgo, e se tornou a primeira finalista da Copa de 2018. O zagueiro Umtiti, do Barcelona, fez o gol que colocou os franceses na terceira final de Mundial da história do país.

Os franceses aguardam pela disputa entre Croácia e Inglaterra, nesta quarta, às 15 horas (horário de Brasília), no estádio Luzniki, em Moscou, para conhecerem o adversário na finalíssima do Mundial.

O jogo que definirá o campeão mundial está marcado para o próximo domingo, às 12 horas, também no estádio Luzniki, na capital da Rússia.

O jogo

A França começou com o domínio da bola, mas não criou jogadas agudas nos primeiros movimentos do jogo. Já a Bélgica assustou aos 6 minutos, quando Hazard atacou pela esquerda, passou pelo lateral Pavard e cruzou com perigo. O zagueiro Umtiti quase fez contra ao tentar afastar a bola.

Aos 11 minutos, Mbappé apareceu pela primeira vez no jogo. O craque tentou passar para Giroud na área, mas a bola veio alta demais e o camisa 10 da França não conseguiu executar o passe perfeito.

Depois, os belgas assustaram novamente com Hazard pela esquerda, aos 16 minutos. O camisa 10 recebeu de De Bruyne na área e bateu cruzado. O chyute passou perto do gol de Lloris.

Perto dos 20 minutos, a partida ficava mais aberta e intensa. As duas equipes passaram a criar mais jogadas ofensivas. A Bélgica ficava mais com a bola (56% a 44%) e a França parecia ter optado pelo contra-ataque.

Entretanto, aos 18 minutos, Matuidi aproveitou uma sobra na intermediária e soltou uma bomba para o gol. O goleiro Courtois estava atento e defendeu com segurança.

No lance seguinte, Hazard recebeu mais uma vez pela esquerda, puxou para dentro e bateu, a bola desviou na cabeça de Varane e saiu pela linha de fundo. Foi um ataque de perigo.

Pouco depois, aos 22 minutos, a Bélgica cobrou um escanteio pela direita, a defesa francesa desviou de cabeça, Fellaini tentou dominar e ajeitou sem querer para Alderweireld, que bateu de virada. Lloris fez uma grande defesa e impediu a abertudra do placar.

A Bélgica parecia ter mais obtido mais volume nas ações ofensivas. Aos 28 minutos, o meia De Bruyne cruzou da esquerda, a bola ia passando pela zaga da França e chegaria em Lukaku, na pequena área. Umtiti conseguiu cortar antes que o vice-artilheiro da Copa tivesse a chance de fazer o gol.

Logo depois, Grizemann cobrou falta na intermediária com um toque para Pavard na direita. O lateral francês jogou na área para o atacante Giroud que, de costas, cabeceou. A bola passou à esquerda de Courtois, que só acompanhou.

Aos 34, Mbappé recebeu lançamento na área e tocou de primeira para Giroud, mas ele falhou feio na finalização e perdeu uma grande chance de colocar a França à frente no placar. Dois minutos depois, Griezmann arrancou pelo meio em um contra-ataque que parecia promissor, mas foi afoito e bateu fraco para o gol.

A França teve outra boa chance aos 39 minutos. Mbappé entrou na área pela direita, enganou a zaga e deu um belo passe para Pavard, que  chutou na saída de Courtois. O goleiro belga tirou com os pés e impediu o gol francês.

Os franceses criaram outra boa jogada com o meio-campista Pogba, que foi derrubado perto do bico direito da área, aos 44. Griezmann foi para a cobrança e acertou a barreira.

Em seguida, já nos acréscimos, De Bruyne cruzou da direita, Umtiti falhou na tentativa de cortar e a bola sobrou para Lukaku. Porém, o lance foi muito rápido e o atacante não conseguiu finalizar.

Segundo tempo

Mal o árbitro uruguaio Andrés Cunha apitou o início da segunda etapa e a Bélgica já partiu para cima da França. De Bruyne invadiu a área pela direita, mas foi travado pela defesa.

Os belgas, que terminaram o primeiro tempo com 58% de posse de bola, pareciam ter mais disposição ofensiva nos primeiros minutos da etapa final. Aos 3 minutos, Lukaku foi acionado na área e finalizou de cabeça, mas a bola foi para linha de fundo.

Três minutos mais tarde, o meio-campista Matuidi passou para Giroud, já na área. O centroavante girou para o gol, mas a bola foi desviada. Na cobrança de escanteio, Umtiti se antecipou à marcação de Fellaini e venceu o goleiro Courtois com uma cabeçada certeira: 1 a 0 para os franceses.

O jovem Mbappé deu um lindo passe de letra na entrada área para Giroud, aos 11 minutos, mas o atacante foi travado pelo zagueiro belga na hora do chute.

O camisa 10 da França fez outra grande jogada pelo lado direito do ataque, passou por Fellaini e foi para a linha de fundo, mas foi desarmado.

Em desvantagem, os belgas tiveram que acelarar mais jogo. Aos 15 minutos, o técnico espanhol Roberto Martínez tirou o meio-campista Dembelé e colocou em campo o atacante Dries Mertens, que atua no Napoli.

Em seu primeiro lance no jogo, Mertens foi à linha de fundo e fez um cruzamento perigoso. A zaga cortou e De Bruyne aproveitou o rebote, mas pegou mal na bola. Aos 20, Fellaini ganhou de Pogba pelo alto e cabeceou para o gol. A bola passou perto da trave esquerda de Lloris.

Confira tudo sobre Copa 2018 no R7 Esportes

A Bélgica deu uma blitz na área francesa, aos 25 minutos, mas perdeu o lance e o lateral Alderweireld ainda recebeu o cartão amarelo por matar o contra-ataque que seria puxado pelo Matuidi.

Aos 31, De Bruyne ajeitou de fora da área e bateu muito forte, porém alto demais. O lance deixou claro que o nervosismo pela inferioridade no placar já atrapalhava a Bélgica.

Cinco minutos depois, Eden Hazard fez grande jogada pela direita e foi derrubado na entrada da área por Giroud. O árbitro uruguaio não marcou a falta e foi muito vaiado pela torcida que acompanhava a partida nas arquibancadas do estádio de São Petersburgo.

Logo em seguida, aos 36 minutos, Witsel aproveitou o corte de Varane em mais uma jogada de Hazard e emendou com uma pancada no gol de Lloris, que defendeu.

O meio-campista Matuidi se contundiu em um choque com Hazard, foi atendido, mas não conseguiu se recuperar e foi substituído por Tolisso, que atua pelo Bayern de Munique, aos 41 minutos.

O jogo ficou ainda mais nervoso e os belgas buscavam o ataque de todas as formas. Aos 43, Kanté fez falta em Hazard e recebeu o cartão amarelo. Na cobrança, houve confusão na área, mas a França afastou o perigo.

A França seguia apenas administrando o resultado e buscando o contra-ataque, como aos 49, com Griezmann. Porém, o goleiro Courtois defendeu bem o chute do atacante francês. Tolisso também tentou, mas Courtois pegou de novo aos 50 minutos.

A Bélgica tentou até o fim, mas não conseguiu chegar à final pela primeira vez em sua história. Os franceses chegam novamente à decisão de uma Copa do Mundo — as outras duas ocorreram em 1998 e 2006.

Ficha técnica:
10/7 - Estádio de São Petersburgo (São Petersburgo)
FRANÇA 1 x 0 BÉLGICA
Árbitro:
 Andrés Cunha (Uruguai); Gols: Umtiti, aos 6 minutos do 2º tempo.Cartões amarelos: Kanté, Mbappé (França); Eden Hazard, Alderweireld, Vertonghen (Bélgica).
FRANÇA: Lloris; Pavard, Varane, Umtiti e Hernández; Pogba, Kanté, Matuidi (Tolisso, aos 41 do 2º), Mbappé e Griezmann; Giroud (Nzonzi, aos 38 do 2º). Técnico: Didier Dechamps.
BÉLGICA: Courtois; Alderweireld, Kompany e Vertonghen; Chadli (Batshuayi, aos 45 do 2º), Dembelé (Mertens, aos 15 do 2º), Witsel, Fellaini (Carrasco, aos 35 do 2º) e Kevin De Bruyne; Lukaku e Eden Hazard. Técnico: Roberto Martínez.

 

Fonte: R7


Já ouviu falar em Promissora Geração Croata? Nem vai ouvir. E, no entanto, eles estão aqui, na semifinal de uma Copa do Mundo pela segunda vez em vinte anos.

É até fácil explicar a presença da Inglaterra na semifinal da Copa: tem a liga mais rica do mundo, que atrai os melhores atletas e técnicos, o que obriga federação e clubes a investir na base para formar bons jogadores para concorrer com os estrangeiros. Da fartura extrai-se o talento que forma a seleção de Gareth Southgate.

Explicar o sucesso da Croácia é tarefa bem mais difícil.

Um país abalado por guerras recentes, com seu maior astro envolvido num caso de corrupção e com apenas 4 milhões de habitantes (contra 53 milhões da Inglaterra) chegou pela segunda vez em 20 anos a uma semifinal de Copa.

Inglaterra e Croácia decidem nesta quarta-feira, as 15h, no Estádio Lujniki, em Moscou quem enfrenta a França na final da Copa do Mundo.

De acordo com o site Transfermarkt, os 10 clubes que formam a primeira divisão do Campeonato Croata têm um valor de mercado de 158 milhões de euros. Somados, os vinte clubes que integram a Premier League valem 7,6 bilhões de euros. Quase cinquenta vezes mais. Só o Burnely FC tem mais dinheiro que toda a liga croata.

– Se nós formos comparar o resultado que alcançamos aqui com a estrutura que temos no nosso país, é algo impossível de conceber – disse o técnico croata Zlatko Dalic, numa entrevista coletiva na véspera da partida com a Inglaterra.

A última vez que um clube crotada saiu da fase de grupos da Liga dos Campeões foi em 1994. A Croácia ocupa apenas o 16º lugar no coeficiente da Uefa, que define a quantidade de vagas que cada país tem nos torneios continentais. A Inglaterra está em terceiro, depois de Espanha e Alemanha. A Croácia fica atrás de vários países que não estão na Copa do Mundo, como Ucrânia, Turquia, República Checa, Holanda, Grêcia e Áustria

A vocação do futebol croata é como a de um país sul-americano: formar jogadores para vendê-los cedo. Não é acaso que 21 dos 23 atletas convocados para a Copa do Mundo defendam clubes de outros países. Entre os semifinalistas do Mundial, é a seleção que tem jogadores espalhados por mais países: há croatas em dez ligas.

Modric, 32 anos, hoje estrela do Real Madrid, trocou o Dinamo de Zagreb pelo Totttenham aos 22. Kovacic foi para a Inter de Milão aos 19. Ivan Rakitic nunca jogou profissionalmente no país – cresceu na Suíça e jogou na Alemanha antes de brilhar por Sevilla e Barcelona. Todo o contrário ocorre com a seleção inglesa, formada por 23 jogadores feitos em casa.

 Modric foi eleito em três oportunidades melhor do jogo na Rússia (Foto: Kai Pfaffenbach / Reuters)

Modric foi eleito em três oportunidades melhor do jogo na Rússia (Foto: Kai Pfaffenbach / Reuters)

– Já é um grande feito para nós [chegar na semifinal]. Alguns países como Argentina, Brasil e Alemanha já estão de férias e nós estamos aqui. Derrotar a Inglaterra seria um feito. Se tivéssemos o dinheiro da Inglaterra, quem sabe qual seria nosso destino – comentou Dalic.

Do outro lado, a Inglaterra finalmente colhe os resultados de duas frentes: o poder de sua liga e os investimentos feitos pela federação nas categorias de base.

– Temos jogadores que ganharam títulos por seus clubes, que jogaram finais. Jesse [Lingard] e Marcus [Rashford] já ganharam um título europeu [a Liga Europa com o Manchester United] mesmo sendo muito jovens. Eles estão preparados para grandes testes. O técnico pode ajudar, mas é importante que a experiência venha dos jogadores – disse o técnico da Inglaterra, Gareth Southgate, que treinou a seleção sub-21 antes de assumir o time principal.

Apesar de toda a diferença entre as estruturas de futebol de cada país, Inglaterra e Croácia apresentaram estilos de jogo e números bem parecidos nesta Copa do Mundo, o que torna o duelo desta quarta-feira imprevisível.

Em 5 jogos na Copa

Gols feitos

Croácia - 10

Inglaterra - 11

Gols sofridos

Croácia - 4

Inglaterra - 4

Finalizações na direção do gol

Croácia - 19

Inglaterra - 19

Posse de bola

Croácia - 55%

Inglaterra 54%

Passes por jogo

Croácia - 547

Inglaterra - 533

Precisão nos passes

Croácia - 83%

Inglaterra - 87%

 

Fonte: globoesporte


Página 7 de 102

Commentários

Share on Myspace

Compartilhar

COMPARTILHAR

Previsão do Tempo em Mauriti-CE

Agenda Cultural do Cariri

  • felix.jpg
  • juazeiro.jpg
  • 13.jpg
  • 15.jpg
  • 25.jpg
  • 42.jpg
  • damiao2.jpg
  • lora.jpg
  • lovyle.jpg
  • marcio.jpg
  • moto2.jpg
  • net.jpg