Esporte

Esporte 1426

A seleção brasileira desembarcou na manhã deste domingo (8), no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, após ser eliminada nas quartas de final da Copa da Rússia.

Além da comissão técnica, desembarcaram Neymar, Casemiro, Philippe Coutinho, Gabriel Jesus, Douglas Costa, Geromel e Taison. Eles vieram em um voo de São Petersburgo, com escala em Madri. Já os outros jogadores deixaram Kazan por conta própria.

O técnico Tite foi bastante assediado e até aplaudido por alguns torcedores. Ele agradeceu pelo carinho.

O volante Casemiro conversou com o Lance! e amenizou a eliminação.

— Claro que, quando não vence... Não se pode vencer sempre, mas o balanço é positivo. Há dois anos, o Brasil corria o sério risco de não se classificar e, agora, chegou como favorita. Não é o fim de uma Era. Tem de valorizar. Quando não vence, fica aquele sentimento de que poderia ter vencido, mas o balanço é positivo.

Ele ainda complementou.

— Na derrota ou na vitória, tem de avaliar os dois lados. Ainda mais perdendo. Sempre gosto de falar as coisas positivas. Chegamos muito bem na competição, mas sabemos que Mundial é assim, no detalhe.

 

Fonte: R7


Contratado em agosto de 2016 para comandar a seleção belga, Roberto Martínez montou um plano de imersão no futebol do país para absorver rapidamente as peculiaridades, classificar a equipe para a Copa do Mundo e cumprir a exigência de chegar à semifinal, uma fase além das quartas de final atingidas em 2014.

O espanhol escolheu como base física desse “intensivão” a cidade de Waterloo, sede da batalha histórica de 1815 que pôs fim à obsessão de Napoleão Bonaparte, mais célebre general francês de todos os tempos, de dominar a Europa.

França e Bélgica vão duelar nesta terça-feira pelo sonho de dominar o mundo. Do futebol. A semifinal, em São Petersburgo, é o penúltimo passo dessa batalha. Badalado por eliminar o Brasil com uma estratégia ousada de trocar seus atacantes de posição, Martínez entendeu o que precisava fazer graças à residência no local de uma derrota histórica dos franceses.

A opção de morar em Waterloo, próxima à capital Bruxelas, não tem a ver com Napoleão, e sim com Tubize. A 15 quilômetros de sua casa fica a sede esportiva da federação.

É lá que a seleção principal se concentra e as categorias de base treinam com maior frequência. Em sua sala, o técnico observou cerca de 55 jogadores, num processo de filtragem similar ao que Tite fez no Brasil.

– Aqui eu posso usar agasalho – disse Martínez em entrevista ao “El País”, justificando o porquê de estar distante da sede administrativa, em Bruxelas.

Martínez fez aulas diárias dos idiomas locais e elaborou a ideia de visitar todos os clubes profissionais da Bélgica para entender as mesclas culturais que refletem no futebol local, como a divisão entre flamengos e a região de Valônia, que despertou recentes desejos separatistas.

Vira e mexe, a Copa do Mundo mistura futebol e política, esporte e história. A escolha de uma base, a estratégia de ataque, tudo isso levou Martínez à plenitude com o brilhante triunfo sobre um Brasil cheio de elogios da mídia internacional.

Termos que podem ser encontrados também em livros sobre a Batalha de Waterloo, onde hoje é a vizinhança do treinador.

Embora o episódio, um dos mais importantes da humanidade, tenha ficado conhecido assim, historiadores garantem que Napoleão jamais pisou na cidade. Waterloo teria sido o local onde o Duque de Wellington, líder da força britânica que venceu Napoleão, elaborou seu relatório de batalha. A maior parte do combate que teve 48 mil mortos acontecera em Braine-l'Alleud et Plancenoit, quilômetros ao sul.

Vencido, entregue, derrotado, Napoleão foi enviado à ilha de Santa Helena, onde morreria seis anos depois. A notícia da vitória dos Aliados – belgas entre eles – só chegou a Londres três dias depois. Outros tempos.

Seja qual for o vencedor da batalha da bola, o finalista de uma Copa do Mundo de estratégias, triunfantes e placares inesperados, a notícia estará no ar em tempo real, tão logo soe o apito final do árbitro, inclusive aqui, no GloboEsporte.com.

 

Fonte: globoesporte


O comentarista da Globo Casagrande publicou um texto na revista "GQ" em que critica a atitude de Neymar e pediu para o principal jogador da seleção brasileira chamar a responsabilidade para si.

"Falar via Instagram é fácil e pouco significa. Num país como o Brasil, onde a desigualdade é enorme e o futebol é um dos poucos escapes da população, esperança e frustração caminham lado a lado, seja na torcida do clube de coração ou da seleção. Quem quer liderar, precisa estar presente também nas horas difíceis e saber se portar diante das cobranças", escreveu Casagrande.

Ele continuou: "Aos 26 anos, ele está muito mais preparado do que antes, mas distante do que deveria estar. Falar ao seu povo após uma derrota dolorida, mas honrada, era o mínimo. Muitos o fizeram com a dignidade esperada. Casos de Paulinho, Marcelo, Renato Augusto, Miranda. Outros, é verdade, falharam como ele. Messi é o principal mau exemplo neste sentido. Cristiano Ronaldo, evitou o oba oba das vitórias, e apareceu na hora da derrota".

Posso dizer que é o momento mais triste da minha carreira, a dor é muito grande porque sabíamos que poderíamos chegar, sabíamos que tínhamos condições de irmos mais além, de fazer história .. mas não foi dessa vez. Difícil encontrar forças pra querer voltar a jogar futebol, mas tenho certeza que Deus me dará força suficiente pra enfrentar qualquer coisa, por isso nunca deixarei de te agradecer Deus, até mesmo na derrota... porque eu sei que o teu caminho é muito melhor do que o meu  Muito feliz em fazer parte desse time, estou orgulhoso de todos, interromperam nosso sonho mas não tiraram da nossa cabeça e nem dos nossos corações  @nogueirafoto

Uma publicação partilhada por  (@neymarjr) a 7 de Jul, 2018 às 7:24 PDT

 

Fonte: msn


O Palmeiras recusou mais uma oferta do Shandong Luneng, da China, por Dudu. O time asiático ofereceu 12 milhões de euros (R$ 55 milhões) ao Verdão, mas o clube não quis conversar por conta do acordo feito com o atacante quando renovaram o contrato, em março. A diretoria alviverde, inclusive, comunicou ao estafe do camisa 7 que não irá negociá-lo nesta janela.

Contratado em 2015, o atacante estava bastante seduzido a aceitar esta proposta, considerada a maior que ele recebeu desde que chegou ao Verdão. Mas a dificuldade para encontrar jogadores no mercado e a saída de Keno fizeram com quem o Palmeiras batesse o pé por sua permanência.

O presidente Maurício Galiotte foi quem conversou com os empresários do jogadores e encabeçou o trabalho para que Dudu não fosse embora agora. No começo do ano, já havia sido recusada uma oferta do Changchun Yatai, também da China. Por isso, o atacante recebeu um aumento e renovou o contrato até 2022.

A única possibilidade para vender o atleta era o Palmeiras encontrar uma reposição à altura no mercado. Com poucas opções na Série A e valores altos fora do Brasil, o clube sabia que as possibilidades eram escassas de achar alguém para substituir um dos principais atletas de seu elenco. 

Já com mais de R$ 90 milhões em vendas nesta janela, a diretoria não considerava necessário se desfazer de outra peça, ainda mais por estar com um grupo enxuto. Para o ataque, Roger Machado tem à disposição, além de Dudu: Borja (que volta a jogar em agosto), Willian, Deyverson e Artur.

Diante do constante assédio de equipes do exterior pelo ídolo, o Palmeiras sabe que no fim do ano deve ser procurado novamente. Ele, inclusive, trocou de agente no começo do ano e é representado por André Cury, que conta com bom trânsito nos principais mercados da Europa e é próximo de Alexandre Mattos, diretor de futebol do clube.

Como não treinou no sábado e provavelmente já fosse reserva, Dudu não deve atuar no amistoso contra a Liga Alajuelense, da Costa Rica, às 14h (de Brasília) deste domingo. Ainda assim, ele segue fazendo parte do grupo de Roger.

Fonte: msn


Dana White entregou o prêmio para Ronda Rousey - Diego Ribas

A cerimônia anual de inclusão de novos membros do Hall da Fama do UFC contou com seis novos nomes na lista de imortais do esporte. Divididos em quatro categorias, eles foram anunciados nesta quinta-feira (5) na cidade de Las Vegas (EUA), em evento realizado no Hotel Cassino Palms, que contou com uma plateia recheada de celebridades do mundo das lutas. E o destaque ficou por conta de Ronda Rousey.

Ex-campeã dos pesos-galos (61 kg), a judoca, que agora faz parte do plantel de atletas da WWE (liga americana de telecatch), foi anunciada como membro da 'Era Moderna', que corresponde aos competidores que fizeram história após a unificação das regras do MMA. Última a subir no palco, Ronda contou com o discurso de Dana White para sua introdução, a primeira de mulher da história.

"Em minha defesa, quando eu disse que mulheres nunca lutariam no UFC, eu ainda não conhecia Ronda Rousey. Ele começou mudando minha mente, mas acabou mudando o mundo. 
Ela provou que mulheres poderiam lutar como homens, vender ingressos, liderar cards e lotar arenas", afirmou o cartola, sob aplausos da plateia.

"Não sou a primeira pessoa com a habilidade de fazer isso. Mas eu estou aqui porque sou a primeira que você parou para ver. Que você colocou energia para apoiar. 
Juntos, construímos essa divisão, esse esporte, essa revolução. Definimos o que é ser forte, sexy, mudamos o sentido de 'lute como uma garota'. Você dividiu histórias comigo que tocaram meu coração. Você me inspirou. Quero que você se sinta bonito mesmo quando você não se sente assim. 

Quando for assim, quero que você prove que eles estão errados. Toda vez que estou lá fora, entro no cage, quero fazer você feliz. Foi uma honra dividir isso com você. A única razão por isso importar é porque você estava assistindo", descreveu a atleta, acompanhada do marido Travis Browne.

Na mesma noite, o brasileiro Maurício 'Shogun' foi anunciado ao lado de Dan Henderson como membro da lista de 'Lutas' do Hall da Fama, que se refere aos maiores combates da história da organização que, por diversos motivos, ajudaram a construir e divulgar o evento.

O duelo em questão foi realizado em novembro de 2011 e contou com a vitória do americano por decisão unânime dos jurados após uma verdadeira guerra de cinco rounds. Anos depois, na revanche, Henderson venceu de novo, desta vez por nocaute.

Entre os 'Pioneiros', Matt Serra garantiu seu lugar. Ex-campeão dos meio-médios (77 kg), o faixa-preta de jiu-jitsu de Renzo Gracie garantiu seu posto após vencer a quarta edição do TUF, conquistar sua chance de disputar o cinturão do UFC e nocautear Georges St-Pierre, feito único até hoje.

Entre os 'Contribuidores', Bruce Connal e Art Davie também escreveram seu nome na história do esporte. O primeiro foi o principal produtor do UFC por mais de 15 anos antes de falecer. Art, por sua vez, foi um dos criadores do maior evento de MMA do mundo ao lado de Rorion Gracie.

 

Fonte: msn


O lateral-esquerdo Marcelo participou normalmente do último treino da seleção, em Sochi, nesta quarta-feira (4), antes da viagem da delegação para Kazan, onde o Brasil enfrentará a Bélgica, na sexta, às 15 horas (horádio de Brasília), pelas quartas de final da Copa do Mundo. O jogador está à disposição do técnico Tite, mas ainda não foi definido como titular.

Felipe Luis também poderá iniciar a partida, caso o titular ainda não esteja completamente recuperado.

Capitão da equipe na partida contra a Sérvia, na última rodada da fase de grupos, Marcelo deixou o gramado aos 10 minutos do primeiro tempo, após sofrer um espasmo na musculatura que envolve a coluna durante uma arrancada. O titular foi substituído por Felipe Luis naquela partida.

Marcelo também não atuou na vitória por 2 a 0 contra o México, pelas oitavas de final do Mundial. Segundo o treinador Tite, o lateral ainda não tinha condições para jogar os 90 minutos e, por isso, a comissão técnica decidiu preservá-lo.

O jornalista Robson Morelli, editor de esportes do "Estadão", entende que Marcelo é a melhor opção para o embate com os belgas pela experiência e qualidade no ataque. No entanto, o atleta precisa estar em plenas condições físicas para render o máximo de seu potencial.Fechar anúncio

"Marcelo é o melhor da posição há anos. Sabe o que é decidir títulos pela experiência no Real Madrid. Marca menos do que Felipe Luís, mas cria mais no ataque. Combina muito bem com Neymar na esquerda. Vinha sendo o melhor passador do Brasil. É mais inventivo com a bola. Mas só deve jogar se estiver 100%", ponderou o jornalista.

"Felipe Luís avança menos. Marca bem e sabe que sua função é essa. O time ganha no setor defensivo e perde no ataque. Com ele. Tite pode liberar mais Paulinho e até Coutinho", complementou Robson Morelli.

O blogueiro do R7 Silvio Lancellotti também aposta na presença de Marcelo para enfrentar o habilidoso selecionado belga — equipe com o ataque mais positivo da Copa (12 gols). Para o jornalista, a presença do lateral do Real Madrid proporcionará mais preocupações aos adversários.

"Marcelo é mais impetuoso, vibrante, agressivo, finaliza bem e assusta os adversários — embora, muitas vezes, também preocupe os companheiros e os torcedores. Felipe é mais frio, contido e, por isso, não compromete a paciência dos colegas e dos fãs. O problema é que não exige tanta atenção dos seus rivais", analisou Lancellotti.

 

Fonte: R7


Estrela da seleção croata, Luka Modric é o tema de todas as entrevistas coletivas da equipe até mesmo quando não está presente. Capitão e líder do grupo que pode igualar a histórica geração de 98, que chegou numa semifinal de Copa, o camisa 10 já foi duas vezes o homem do jogo neste Mundial, nas vitórias contra a Argentina, por 3 a 0, e Nigéria, por 2 a 0.

Com tanta badalação concentrada em Modric, os outros jogadores croatas já estão acostumados. Eles parecem até um pouco incomodados com as várias perguntas sobre o astro.

- Toda vez ouvimos as mesmas perguntas e nós respondemos as mesmas coisas. Sabemos o que ele significa, aqui e no Real Madrid, ele é nosso capitão, nos lidera. Eu não sei se ele é o melhor jogador do Mundial, mas é um dos melhores. Há várias outras partidas. O mais importante é conseguir o melhor resultado - diz o atacante Perisic sobre o meia, que já tem dois gols na Copa.

Luka Modric comemora a classificação da Croácia para as quartas de final (Foto: REUTERS/Carlos Barria)

Luka Modric comemora a classificação da Croácia para as quartas de final (Foto: REUTERS/Carlos Barria)

Modric também mostra sua importância nos números. Ele é o jogador que atuou mais tempo pela Croácia nesta Copa. Foram 386 minutos, sendo substituído apenas uma vez, na partida contra a Islândia, na qual o técnico Zlatko Dalic poupou vários jogadores. O camisa 10 também é um dos que mais correm em campo. Contra a Dinamarca, por exemplo, ele percorreu mais de 12 quilômetros.

- Ele é nosso líder e capitão. Para nós, ele é muito importante – complementou Rebic.

Na última partida, contra a Dinamarca, nas oitavas, Modric teve a chance de acabar com o jogo na prorrogação, com uma cobrança de pênalti, mas o goleiro Schmeichel defendeu. Pouco depois, na disputa de pênaltis, o astro da equipe chamou a responsabilidade e converteu.

- Ele é o nosso capitão, mostrou liderança e pediu para bater. Esta é a diferença entre um jogador normal e um que tem classe mundial. Na decisão, ele mostrou coragem e cobrou. Se tiver outra oportunidade, ele vai chutar – garantiu o técnico croata Zlatko Dalic.

 

Fonte: globoesporte


Aproveitando a pausa da Copa do Mundo, o Palmeiras venceu mais um amistoso. Depois de bater o Arabe Unido por 2 a 0, o time alviverde repetiu o placar nesta quarta-feira, na Colômbia, diante do Independiente de Medellin.

Bruno Henrique abriu o placar aos 17 minutos do primeiro tempo. Na etapa final, aos 18 minutos, foi a vez de Deyverson balançar as redes e dar números finais à partida.

No domingo, o Palmeiras joga na Costa Rica contra o Liga Alajuelense no último amistoso antes de voltar à ativa no Brasileiro, dia 19 de julho, no clássico contra o Santos.

 

Fonte: msn


A Inglaterra venceu a Colômbia nos pênaltis (4 a 3), após empate em 1 a 1 no tempo regulamentar, nesta terça-feira (3), na Arena Spartak, em Moscou, e garantiu a última vaga nas quartas de final da Copa do Mundo.

O duelo foi tenso e teve muitas faltas duras. Kane (artilheiro da Copa, agora com seis gols) abriu o placar em uma cobrança de pênalti e Yerri Mina salvou a Colômbia da derrota no tempo normal, aos 48 do segundo tempo, com um gol de cabeça.

Os ingleses enfrentarão a Suécia, no próximo sábado, às 11 horas, em Samara, pelas quartas de final do Mundial de 2018.

O jogo

A partida marcou duas escolas distintas de futebol que parecem retomar a boa fase. Colombianos e ingleses têm equipes renovadas, com jogadores jovens e que podem recuperar o prestígio das suas seleções, especialmente no caso dos europeus, campeões mundiais em 1966 e que, Copa após Copa, chegam como uma das favoritas, mas não conseguem confirmar as expectativas dos torcedores.

A Colômbia teve uma baixa importante: o meia James Rodríguez, craque do time e artilheiro da Copa do Brasil (2014), não se recuperou de uma lesão e ficou de fora da partida. O atacante Miguel Borja, do Palmeiras, também não foi relacionado nem mesmo para o banco de reservas.

Aos 5 minutos, a Inglaterra teve a primeira boa oportunidade em uma falta na lateral-direita da área colombiana. O zagueiro Yerri Mina tentou o carrinho, mas colocou o braço na bola. Young cobrou direto, mas o goleiro Ospina socou para fora da área. No rebote, Mina tirou o perigo e cedeu o escanteio para os ingleses.

A Inglaterra chegou de novo, aos 8 minutos, com Sterling em mais uma bola na área, mas Mina conseguiu interceptar novamente.

Os colombianos tentaram puxar um contra-ataque pela direita, aos 8 minutos. O meia Quinteros passou para Arias, mas o lateral se atrapalhou e perdeu a disputa para Lingard. 

Aos 13 minutos, o atacante Sterling, do Manchester City, ficou de frente para o gol e disparou, mas a defesa da Colômbia rebateu novamente.

Nos primeiros 15 minutos, o jogo estava muito intenso e veloz. As duas equipes se lançaram em busca do gol. Foi um dos melhores inícios das oitavas de final.

O artilheiro da Copa, Harry Kane, apareceu pela primeira vez no jogo aos 16 minutos. Delle Ali tabelou pela direita com Trippier, que foi à linha de fundo e cruzou para Kane. O atacante cabeceou quase sem ângulo, mas com perigo para o gol de Ospina.

A Colõmbia conseguiu uma boa trama e assustou a Inglaterra aos 22 minutos da primeira etapa. O atacante Cuadrado dominou na intermediária e bateu para o gol. O chute desviou nos zagueiros e sobrou para o artilheiro Falcao García, que por pouco não dominou. Depois, o lateral-esquerdo Mojica isolou. Seria um ótimo ataque.

Os ingleses continuavam pressionando e buscavam as bolas aéreas. Aos 31 minutos, Sterling avançou pelo meio e tentou romper a barreira colombiana na entrada da área, mas foi travado.

Três minutos mais tarde, Cuadrado e McGuire trocaram empurrões na linha de fundo já sem bola. O árbitro norte-americano Mark Geiger chamou a atenção dos dois, mas sem puni-los com cartão amarelo.

Hary Kane, que estava procurando buscar mais o jogo, foi derrubado na entrada da área. Enquanto Trippier se preparava para bater, Barrios deu uma cabeçada no peito de Henderson na barreira e houve um início de confusão.

O zagueiro colombiano recebeu o cartão amarelo pela agressão. O lateral-direito inglês bateu mal e desperdiçou uma chance de abrir o placar.

Logo depois, Mina e Sterling se agarraram na meia-lua da área colombiana. O zagueiro caiu no gramado para demonstrar que havia sido agredido, mas a arbitragem apenas conversou com ambos e recolocou a bola em jogo.

O duelo estava muito disputado e tenso também. A Colômbia não estava em uma grande noite. A Inglaterra foi melhor no primeiro tempo.

Antes do apito final, o meia Quinteros recebeu pela direita e bateu de canhota para a primeira de Pickford no primeiro tempo. O goleiro inglês encaixou a bola sem dificuldade.

Segundo tempo

Na segunda etapa, os jogadores das duas equipes voltaram com o mesmo apetite. Nos primeiros minutos, o panorama era o mesmo do primeiro tempo: a Inglaterra pressioando e a Colômbia tentando alguns contra-ataques.

Aos 8 minutos, Arias fez falta dura em Kane e recebeu o cartão amarelo. Na cobrança, Young colocaria na cabeça de McGuire, mas Davinson Sánhez desviou para a linha de fundo.

Na cobrança de escanteio, Carlos Sánchez agarrou Kane dentro da área e na cara do árbitro norte-americano, que marcou pênalti. Houve mais confusão antes da batida do pênalti. Henderson se estranhou novamente com Mina, mas somente o inglês foi punido com um cartão amarelo.

Quatro minutos depois, o artilheiro Harry Kane cobrou a penalidade e abriu o placar. O atacante bateu no meio do gol, mas Ospina caía para a direita e não conseguiu defender: 1 a 0.

Após a saíde de bola, o zagueiro Stones parou Falcao García com falta na intermediária e, ao tentar se desvenciliar do adversário, atingiu a cabeça do colombiano com o bico da chuteira. Mas nenhum cartão foi dado.

Na sequência, o lateral Ashley Young cruzou na área para Dele Alli, que desviou de cabeça com muito perigo. A bola passou perto da trave superior de Ospina.Fechar anúncio

Aos 17 minutos, o técnico José Pekerman colocou Carlos Bacca em campo para aumentar o poderio ofensivo da Colômbia em busca do empate. Dois minutos mais tarde, o atacante deu uma entrada no inglês e também recebeu o cartão amarelo.

A partida ficou muito catimbada e violenta na segunda etapa. Os jogadores estavam muito nervosos e partiram para as divididas ainda mais duras, algumas desleais. Lingard agarrou Carlos Sánchez, aos 24 minutos, e se tornou mais um a ser advertido pelo cartão amarelo.

Aos 37, a Colômbia teve a grande chance de empatar a partida em um contra-ataque iniciado por Bacca. O atacante passou na direita para Cuadrado, mas o jogador da Juventus chutou errado e perdeu o gol.

Os colombianos se lançaram ao ataque nos minutos finais. Aos 40 minutos, Falcao García se atirou sobre o zagueiro inglês para tentar a cabeçada, mas a bola subiu demais.

Falcao ainda tentou com um chute de longa distância, mas a bola saiu sem força e Pickford pegou com tranquilidade. Depois, Uribe arriscou de fora da área e obrigou o goleiro inglês a fazer uma defesa sensacional.

A Colômbia partiu desesperada para o ataque e chegou ao empate de forma emocionante, já nos acréscimos do segundo tempo, mais uma vez com o zagueiro Yerri Mina. Aos 48, o ex-palmeirense subiu muito para vencer a zaga inglesa depois de cobrança de escanteio.

O defensor, que chegou ao terceiro gol na Copa, salvou o país da desclassificação e levou o jogo para a prorrogação.

Prorrogação

A Colômbia começou a prorrogação em cima dos ingleses, talvez ainda influenciada pelo empate heróico. Aos 5 minutos, o lateral Mojica chutou rasteiro e Pickford saiu bem do gol, evitando a chegada de Bacca.

O time inglês parecia ter sentido o gol sofrido a pouquíssmos minutos de garantir a classificação para a próxima etapa da Copa.

Os colombianos criaram ótimas jogadas e dominaram a primeira parte da prorrogação. Aos 13 minutos, Falcao subiu bem de cabeça, ganhou da zaga, mas a bola saiu pela linha de fundo.

No primeiro lance da segunda etapa do tempo extra, o inglês Vardy aproveitou uma sobre na área e bateu firme. O goleiro Ospina pegou com segurança, mas a arbitragem assinalou impedimento. A Inglaterra voltou mais disposta.

Aos 6 minutos, Kane tocou para Vardy na esquerda. O atacante cruzou, mas a bola passou pela área sem que nenhum inglês aproveitasse a zaga colombiana afastou o perigo. Em seguida, Rose surgiu na área, bateu cruzado e quase fez o segundo gol da Inglaterra.

Três minutos mais tarde, Vardy chegou à linha de fundo pela direita, cruzou, a bola passou por Lingard e Barrios conseguiu cortar para escanteio. Na cobrança de escanteio, Dier subiu sozinho, mas cabeceou alto demais.

A Colômbia tentou sair do sufoco com uma bola cruzada para Falcao Garcia, aos 12 minutos. Mas o lançamento foi alto demais. Os colombianos queriam escanteio sob alegação que a bola havia resvalado na cabeça de Dier. Mas a arbitragem deu apenas tiro de meta.

A Inglaterra voltou a pressionar. Rose cobrou falta da esquerda, McGuire subiu, mas Ospina tirou de soco. Depois, Trippier cobrou lateral na área, mas a defesa da Colômbia afastou. Apesar do esforço de ambos os times, a tão sonhada vaga seria decidida nas cobranças de penalidades.

Pênaltis

Os capitães Falcao Garcia e Harry Kane definiram quem bateria primeiro. E os colombianos iniciaram a série com o próprio Falcao.

O artilheiro colombiano partiu para a cobrança, chutou no meio do gol e converteu: 1 a 0.

Harry Kane iniciou a série para a Inglaterra e também marcou: 1 a 1.

Cuadrado foi o segundo cobrador da Colômbia e fez: 2 a 1.

Rashford foi o encarregado da segunda cobrança inglesa: 2 a 2.

Muriel bateu o terceiro pênalti da Colômbia: 3 a 2.

Henderson foi designado para a terceira cobrança da Inglaterra, mas Ospina defendeu: 3 a 2.

Uribe bateu o quarto pênalti para a Colômbia e acertou o travessão: 3 a 2.

Trippier fez a quarta cobrança inglesa e marcou: 3 a 3.

Carlos Bacca, experiente atacante, foi o autor da quinta cobrança da Colômbia e perdeu: 3 a 3.

Dier na cobrança: 4 a 3. Inglaterra nas quartas de final da Copa do Mundo!

Ficha técnica:
3/7 - Arena Spartak (Moscou)
COLÔMBIA 1 x 1 INGLATERRA (3 a 4 nos pênaltis)
Árbitro:
 Mark Geiger (EUA); Gols: Harry Kane, aos 12 minutos do 2º tempo, Yerri Mina, aos 48 do 2º; Cartões Amarelos: Henderson (Inglaterra); Barrios, Arias, Falcao García, Bacca, Cuadrado (Colômbia)
COLÔMBIA: Ospina; Arias (Zapata, aos 11 do 2º tempo da prorrogação), Davinson Sánchez, Yerry Mina e Mojica; Barrios, Carlos Sánchez (Uribe, aos 34 do 2º) e Lerma (Carlos Bacca, aos 17 do 2º), Cuadrado, Quintero (Muriel, aos 43 do 2º) e Falcão Garcia. Técnico: José Pekerman.
INGLATERRA: Pickford; Walker (Rashford, aos 8 do 2º da prorrogação), Stones e  McGuire; Trippier, Delle Ali (Dier, aos 36 do 2º), Henderson, Lingard e Young (Rose, aos 12 da prorrogação);  Kane e Sterling (Vardy, aos 43 do 2º). Técnico:Gareth Southgate.

 

Fonte: R7


Ronaldo Fenômeno declarou nesta quarta-feira em Moscou que o reinado de Messi e Cristiano Ronaldo está perto de acabar. Para o pentacampeão, o jogador que brilhar nas fases decisivas da Copa do Mundo será eleito o melhor do mundo. Nos últimos 10 anos, o argentino e o português mononpolizaram a premiação – cada um ganhou cinco troféus.

– Apesar de os dois terem feito uma temporada espetacular, tanto o Messi quando o Cristiano Ronaldo, eu ainda assim acho que o jogador que se destacar nessa fase final da Copa do Mundo, tem uma chance muito maior de ganhar. Neste ano esse reinado pode acabar. Quem for campeão e for decisivo para sua seleção vai ganhar o prêmio. A Copa do Mundo faz toda a diferença. Em 2002 eu não joguei tanto, mas ganhei a Copa do Mundo e o prêmio– disse Ronaldo, citando a terceira vez em que ganhou o troféu de melhor do mundo.

Tanto Argentina quanto Portugal foram eliminados nas oitavas de final da Copa da Rússia. E,ntre as oito seleções que se classificaram para as quartas, Ronaldo aponta o Brasil como favorito ao título e, consequentemente, Neymar como candidato ao prêmio de melhor do mundo, que será entregue em Londres no dia 24 de setembro.

– Meu palpite seria o Neymar, que vem melhorando muito na Copa do Mundo. Depois de três meses sem jogar ele está tendo uma evolução muito boa. Nos momentos decisivos ele está melhorando sua performance. Ele pode ser o grande destaque pelo Brasil e consequentemente tirar o reinado de Messi e Cristiano Ronaldo.

Numa entrevista coletiva realizada em Moscou para promover a premiação, o alemão Lotthar Matthäus, campeão do mundo em 1990, declarou que o brasileiro Titte é o melhor técnico do mundo em 2018.

– Eu gosto do técnico brasileiro, Tite, porque ele conseguiu um equilíbrio entre o estilo brasileiro e o europeu. Ele treina jogadores que estão nas grandes ligas europeias, na Inglaterra, na Itália, na Alemanha. Ele conseguiu misturar essas características e as raízes brasileiras. Eles sabem se defender bem e atacar bem.

 

Fonte: globoesporte


Página 8 de 102

Commentários

Share on Myspace

Compartilhar

COMPARTILHAR

Previsão do Tempo em Mauriti-CE

Agenda Cultural do Cariri

  • felix.jpg
  • juazeiro.jpg
  • 13.jpg
  • 15.jpg
  • 25.jpg
  • 42.jpg
  • damiao2.jpg
  • lora.jpg
  • lovyle.jpg
  • marcio.jpg
  • moto2.jpg
  • net.jpg