Esporte

Esporte 1159

 

Dois dos principais times do continente, Flamengo e River Plate estrearam nesta quarta-feira (28), na Copa Libertadores. O jogo sem torcida no Nilton Santos, o Engenhão, tirou um pouco do charme do confronto. Depois de um primeiro tempo ruim, as duas equipes empataram por 2 a 2.

Ainda pelo Grupo 4, o Santa Fé-COL pega o Emelec-EQU, em Medellín, nessa quinta. 

Flamengo e River jogaram sem torcida no Engenhão

Flamengo e River jogaram sem torcida no Engenhão

 

O primeiro tempo só não foi mais assustador que o sorriso de De La Cruz após dividida com Jonas. O uruguaio do River Plate perdeu um dente após dividida com o volante. No mais, Diego Alves e Armani pouco trabalharam.

O gol mesmo saiu só aos 8 minutos do segundo tempo, e de pênalti. Henrique Dourado, claro, cobrou com perfeição e abriu o placar. Mas dois minutos depois, foi a vez do River marcar, com Rodrigo Mora, de cabeça. A defesa rubro-negra reclamou de impedimento.

Com o mando de campo, o Flamengo de Carpegiani partiu para cima dos argentinos. A pressão deu certo e Everton marcou aos 21 minutos, após boa jogada de Lucas Paquetá.

Já nos minutos finais, o River mostrou o quanto sabe jogar a Libertadores. Mayada chutou de longe, no canto de Diego Alves e empatou a partida.

Já pela segunda rodada, o Flamengo pega o Emelec em 14 de março, no Equador. O próximo compromisso do River é só em 5 de abril, contra o Santa Fé, da Colômbia, em Buenos Aires.

FLAMENGO 2 x 2 RIVER PLATE

FLAMENGO - Diego Alves; Pará (Rodinei), Réver, Juan e Renê; Jonas (Romulo), Lucas Paquetá, Diego e Everton Ribeiro; Everton (Willian Arão) e Henrique Dourado. Técnico: Paulo César Carpegiani.

RIVER PLATE - Franco Armani; Montiel, Maidana, Martínez e Saracchi; Ponzio, Zuculini (Mayada) e Enzo Pérez (Scocco), De la Cruz (Quintero); Mora e Lucas Pratto. Técnico: Marcelo Gallardo.

GOLS - Henrique Dourado (pênalti), aos 8, Mora, aos 10, Everton, aos 21, e Mayada, aos 41 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Maidana, Martínez, Diego, Zuculini, Henrique Dourado, Everton, Réver.

ÁRBITRO - Michel Espinoza (Fifa/Peru).

RENDA E PÚBLICO - Não houve.

LOCAL - Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

 

Fonte: R7

 


Neymar chega ao Brasil para cirurgia

Quinta, 01 Março 2018 00:00

Neymar já está no Brasil para passar por uma cirurgia que vai corrigir a fissura no quinto metatarso do pé direito. A operação será conduzida pelo médico da seleção brasileira, Rodrigo Lasmar, com quem o craque viajou de Paris ao Rio de Janeiro na madrugada desta quinta-feira. O voo chegou no Galeão por volta de 7h30, e a previsão é que o procedimento cirúrgico aconteça sábado em Belo Horizonte. O médico francês Gérard Saillant acompanha como representante do PSG.

O tempo previsto de recuperação é de até dois meses, o que possibilitaria ao atacante voltar aos campos em maio, um mês antes da Copa do Mundo - a estreia do Brasil é no dia 17 de junho, contra a Suíça. Pelo PSG, o craque poderia jogar somente as últimas três rodadas do Campeonato Francês e, se o time francês se classificar, a segunda partida das semifinais, no dia 1º de maio, e a decisão da Liga dos Campeões da Europa, marcada para o dia 26.

Neymar vai desfalcar também a Seleção nos amistosos com Rússia e Alemanha, que serão disputados nos dias 23 e 27 de março, em Moscou e Berlim, respectivamente. Diante da lesão do camisa 10 e de problemas físicos com outros jogadores (Fernandinho, Marcelo, Marquinhos), o treinador da Seleção, Tite, decidiu adiar o anúncio dos convocados para os dois amistosos. A lista seria divulgada nesta sexta-feira, mas só será informada no dia 12.

  (Foto: infoesporte)

Fonte: globoesporte


Quando o assunto é Emerson Sheik e Copa Libertadores, a lembrança para o torcedor do Corinthians é óbvia. A última memória que o atacante havia deixado no clube pela competição, contudo, não foram os gols na final contra o Boca Juniors em 2012, mas sim uma expulsão em clássico contra o São Paulo em 2015. Na quarta, exatos 1.071 dias depois, ele retornou ao torneio.

Foram apenas 26 minutos em campo no empate em 0 a 0 com o Millonarios, na estreia alvinegra em 2018. Segundo números do Trumedia, banco de dados exclusivo dos canais ESPN, Sheik deu só 11 toques na bola, com quatro passes certos, mas foi suficiente para ganhar elogios. Fábio Carille, por exemplo, gostou do que viu e comemorou a estratégia traçada para o veterano.

“O Sheik sabemos o que pode dar, ficou um bom tempo parado, por isso colocamos aos poucos nos jogos. Os jogos-treinos que fizemos foram para ele principalmente e hoje entrou muito bem e nos ajudou a conquistar esse ponto”, avaliou o técnico, em entrevista coletiva, na Colômbia.

Desde a chegada de Sheik, jogador mais velho a vestir a camisa do Corinthians, aos 39 anos, a comissão técnica tem mostrado preocupação com o atacante, já que seu contrato é curto, somente até julho. Para ele ganhar ritmo mais rápido, os reservas já fizeram três jogos-treinos desde o início da temporada, contra Nacional-SP, Atlético-PR e Red Bull-SP, todos com a presença do atacante.

Na estreia na Libertadores, Sheik entrou aos 24 minutos do segundo tempo, no lugar de Mateus Vital. Em seu melhor momento em campo, tabelou com Jadson, que ficou em boa condição para marcar, mas acabou chutando para fora. “Estou feliz porque entrei hoje e até recebi alguns elogios”, disse o veterano em entrevista ao “Sportv”, também após o duelo em Bogotá.

Satisfeito com o desempenho, Sheik também reconheceu que tem um carinho especial pelo torneio sul-americano. “Eu gosto da Libertadores e de jogos difíceis. Não só Libertadores, mas também regional e nacional. Eu gosto desses jogos", afirmou ele, que se acostumou com o protagonismo com a camisa alvinegra e hoje vive situação diferente, como coadjuvante do elenco.

“O importante é cada atleta entender que tem que dar sua parcela de contribuição, lembrando que nos títulos do Corinthians não tinha nenhuma estrela. Quando o atleta tiver oportunidade de entrar, tem que colaborar”, avaliou.

Dos tempos de maior protagonismo, Sheik foi um dos heróis do único título corintiano da Libertadores, com os dois gols da vitória por 2 a 0 sobre o Boca na final de 2012. No total, o jogador tem 29 partidas no torneio sul-americano, em cinco edições diferentes – 2012, 2013, 2015 e agora 2018 pelo Corinthians e apenas 2011 (com somente dois jogos) pelo Fluminense.

Até esta quarta, a última aparição de Sheik na Libertadores havia sido em 22 de abril de 2015, contra o São Paulo no Morumbi, na última rodada da fase de grupos. Ele acabou expulso com apenas 19 minutos de bola rolando, em lance bobo, após passar o pé em Rafael Tolói. Como pegou três jogos de suspensão e o Corinthians foi eliminado já nas oitavas de final, o atacante não jogou mais.

 

Fonte: msn


Campeão da Taça Guanabara — primeiro turno do Campeonato Carioca — há duas semanas e goleado por 4 a 0 em clássico contra o Fluminense na rodada passada da Taça Rio (segundo turno), o Flamengo vai estrear na Copa Libertadores com a missão de espantar qualquer desconfiança. Nesta quarta-feira (28), às 21h45, disputa a primeira rodada do torneio continental em duelo contra o tradicional River Plate, da Argentina, no estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, com portões fechados. Os dois times integram o Grupo 4, ao lado de Emelec (Equador) e Independiente Santa Fe (Colômbia).

A partida será realizada sem público, conforme determinação da Conmebol. O Flamengo foi punido com multa de 300 mil dólares (perto de R$ 940 mil) e perda de dois mandos de campo na Libertadores por conta da confusão na final da Copa Sul-Americana do ano passado. Na ocasião, perdeu o título para o Independiente e seus torcedores invadiram e quebraram o estádio do Maracanã.

Mesmo com estádio vazio, a direção rubro-negra reforçou o esquema de segurança nos portões do estádio para evitar eventuais conflitos na chegada da delegação adversária. Como pediu, através da imprensa, para que sua torcida evite provocações no hotel dos argentinos. Isso aconteceu na final da Copa Sul-Americana, quando houve muito barulho à noite, com rojões e música alta para tirar o sono dos jogadores.

Sem o apoio da torcida, fator considerado de extrema importância na competição, o Flamengo vai ter que se garantir na base da qualidade técnica e tática. Para o duelo, o técnico Paulo César Carpegiani não vai contar com o volante Cuéllar, que cumprirá o primeiro de dois jogos de suspensão pela expulsão na decisão da Copa Sul-Americana. Jonas deve ficar com a vaga.

Mas o time vai completo, mesmo porque os titulares foram poupados no clássico disputado na Arena Pantanal, em Cuiabá, no sábado passado. Como já é semifinalista do Campeonato Carioca, a direção do clube priorizou a participação na Libertadores. Só o goleiro Diego Alves atuou e ainda levou quatro gols do Fluminense.

Apesar de o adversário estar vivendo um mau momento na temporada, o treinador flamenguista não aceita que rotulem o lado brasileiro como favorito. "O River Plate é um dos grandes times do futebol mundial e enfrentá-lo é sempre certeza de um jogo complicado e muito bem disputado", afirmou Paulo César Carpegiani.

A fase do River Plate é complicada. O time é o 21.º colocado do Campeonato Argentino, com apenas 19 pontos somados em 17 partidas. Diante do cenário preocupante, o técnico Marcelo Gallardo tem feito mistério em relação à escalação que mandará a campo no estádio do Engenhão.

Entre os nomes mais conhecidos do elenco está o atacante argentino Lucas Pratto, que até o ano passado defendia o São Paulo. Ele não está confirmado, mas briga com Rodrigo Mora para ficar com a vaga ao lado de Scoco. Também existe a possibilidade de que Marcelo Gallardo opte por uma formação mais ofensiva e escale os três juntos.

 

Fonte: R7


O clássico Ba-Vi saiu dos gramados e virou pauta do Tribunal de Justiça Desportiva da Bahia nesta terça-feira. Em sessão que foi iniciada no fim da tarde e durou aproximadamente quatro horas, foram analisados os envolvidos na confusão do clássico Ba-Vi do último dia 18, válido pela sexta rodada do Campeonato Baiano. O Vitória, que teve oito atletas denunciados, além do técnico Vagner Mancini e do supervisor, Mário Silva, foi multado em R$ 100 mil. A exclusão do Baianão, e o consequente rebaixamento para a segunda divisão do estadual, previstos no Artigo 205 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) e no Artigo 69 do Código Disciplinar da Fifa, foram descartados pela 1ª Comissão Disciplinar.

A punição mais severa recaiu sobre o zagueiro Kanu: dez jogos de suspensão no Campeonato Baiano. Denunciados por agressão, Denilson, Yago, Rhayner, Edson e Becão pegaram oito jogos de gancho. Vinícius levou dois por provocar torcedores rivais ao comemorar o gol. Mancini, Ramon, Bruno Bispo, André Lima e Mário Silva foram absolvidos da denúncia de ter provocado intencionalmente o fim da partida. O clássico foi encerrado aos 34 minutos do segundo tempo com a expulsão de Bruno Bispo, o que deixou o Vitória em número de atletas insuficiente para seguir em campo.

CONFIRA ABAIXO AS PUNIÇÕES DE CADA UM

Vitória

Por envolvimento na briga:
Kanu: suspenso por 10 jogos do Campeonato Baiano; absolvido da acusação de ameaça.
Denilson: suspenso por oito jogos do Campeonato Baiano.
Rhayner: suspenso por oito jogos do Campeonato Baiano.
Yago: suspenso por oito jogos do Campeonato Baiano.
Fernando Miguel: absolvido.

Por encerrar a partida propositalmente:
Ramon: absolvido.
André Lima: absolvido.
Vagner Mancini: absolvido.
Mário Silva: absolvido.
Bruno Bispo: absolvido.

Bahia

Por envolvimento na briga:
- Edson:
 suspenso por oito jogos do Campeonato Baiano.
Rodrigo Becão: suspenso por oito jogos do Campeonato Baiano.
Lucas Fonseca: absolvido.
Vinícius: suspenso por dois jogos do Campeonato Baiano.

Mancini nega orientação, e Procuradoria promete recurso

Durante o julgamento, Vagner Mancini voltou a negar ter passado instruções para Ramon para que Bruno Bispo recebesse o segundo cartão amarelo. Segundo o treinador, a conversa com o zagueiro foi para que o time ganhasse tempo em campo.

- O que aconteceu, o que tenho visto pelas imagens, no momento faço sinal para o Fernando e ele cai. Falo com Ramon sobre tempo de jogo e a necessidade do Fernando ganhar tempo na partida. Tinha três substituições. O Ramon vai até ele e conversa com ele. Fernando levanta na hora. Era para ganhar tempo inteligentemente. O diálogo entre eu e Ramon é este. Tudo o que está sendo mostrado não condiz com a verdade.

O treinador, no entanto, declarou não se recordar exatamente da frase que pronunciou para Ramon.

- [A frase] Exata é difícil. Passo informações ao longo do jogo. Recentemente vi uma pesquisa que o atleta toma duas mil decisões em 90 minutos. Faço parte do jogo. Não é fácil precisar. Mas com certeza não foi “pede para o Bruno tomar o segundo amarelo”.

O procurador Ruy João afirmou que irá ingressar com um recurso para tentar aumentar a pena dos denunciados. Ele se mostrou insatisfeito com a absolvição de Mancini, Bruno Bispo, Ramon, Mário Silva e do Vitória.

- As penas foram muito leves, que não representam o anseio nem da Procuradoria nem da sociedade e muito menos de desportistas que gozam de respeito e que procuram buscar a ética no futebol. (...) É uma decorrência de lei. A exclusão é necessária, porque assim determina a lei. Não se pode admitir casuísmos em julgamentos dessa natureza. E foi o que ocorreu aqui neste tribunal. Nesta comissão – defendeu.

Presente no julgamento, o vice-presidente do Bahia, Vitor Ferraz, também criticou a decisão da 1ª Comissão Disciplinar.

- A mensagem que o TJD passa para a sociedade esportiva. Não se pode admitir jamais que aquilo que é mais sagrado no esporte, que é justamente o fairplay, o espírito competitivo, o jogo limpo, seja maculado e não tenha uma punição à altura. A mensagem é, sim, de reflexão – afirmou.

As suspensões são válidas apenas para jogos do Campeonato Baiano. Caso alguma das partes entre com recurso, um novo julgamento será marcado e a pauta será avaliada pelo pleno do TJD-BA. A previsão é que uma sessão ocorra no dia 13 de março.

 

Fonte: globoesporte


 

Uma cláusula no contrato entre Neymar e Paris Saint-Germain garante ao clube a decisão final sobre tratamentos médicos que o jogador fizer durante o período de vigência do acordo, até 2022. O atacante e a equipe francesa discordam sobre a necessidade de uma cirurgia para tratar da lesão que ele teve no último domingo (25).

Neymar sofreu contusão durante a partida contra o Olympique de Marseille, pelo Campeonato Francês. Exame realizado nesta segunda-feira (26) detectou entorse no tornozelo direito e fissura no quinto metatarso do pé.

Para estar 100% na Copa da Rússia, em junho, o atacante brasileiro quer passar por cirurgia no pé direito, que o tiraria de campo pelo PSG por pouco mais de dois meses.Há sete meses, o clube francês pagou 222 milhões de euros (R$ 879,5 milhões em valores atuais) para ter o ex-santista. 

O brasileiro está fora do jogo de volta das oitavas independentemente se optar pela cirurgia ou por um tratamento mais consevador. Mas se não operar e o Paris Saint-Germain se classificar, poderia voltar a tempo de disputar as quartas de final, marcadas para começar em 2 de abril. Com a cirurgia, Neymar poderia atuar apenas se sua equipe chegasse à final do torneio, em 26 de maio, em Kiev.

A reportagem apurou que o PSG está descontente com a informação sobre a possível cirurgia do jogador ter sido publicada nesta terça para a imprensa brasileira.

A decisão do atacante foi publicada primeiramente no site Globoesporte.com. Os franceses interpretam a divulgação da notícia como uma forma de pressão. O brasileiro foi contratado como maior esperança para que a equipe, que pertence a empresa ligada à família real do Qatar, conquiste o maior objetivo: ser campeão europeu.

"A informação de que Neymar vai operar é falsa", afirmou o técnico do PSG, Unai Emery, em entrevista coletiva na terça (27).

"Falei com o médico nesta manhã, e ele me explicou o que os exames revelaram. Também falei sobre o assunto com o Antero (Henrique, diretor esportivo), com o presidente e com o próprio jogador", disse.

Procurado, o PSG informou que o clube não vai se manifestar por enquanto. A assessoria de Neymar disse que aguarda um posicionamento oficial do clube francês sobre a cirurgia.

"O PSG já sabe que não vai contar com o Neymar nos próximos jogos, que não vai contar com o Neymar por seis semanas no mínimo, porque esse tratamento vai durar de seis a oito semanas. Isso já está definido, independentemente de cirurgia ou não. O tratamento convencional também vai demorar de seis a oito semanas, e só o que precisamos fazer é o que não pode causar uma nova fratura lá na frente, que possa prejudica-lo", afirmou o pai de Neymar, em entrevista para a ESPN Brasil. 

Após ver a notícia ser publicada nesta terça (27), o médico da seleção brasileira, Rodrigo Lasmar, que estava em Sochi (Rússia) em um evento da Fifa, se dirigiu a Paris para auxiliar os médicos franceses.

"Eu venho falando com o departamento médico do PSG desde o dia da lesão. As informações corretas serão dadas por eles, estamos juntos nessa. A partir desta quarta, depois que eu examinar o jogador, a partir disso tomamos uma decisão", afirmou Lasmar.

"A cirurgia vai depender do tipo de fratura, precisamos avaliar isso e fazer um diagnóstico mais claro depois que fizer todos os exames, aí, sim, teremos uma indicação", completou o médico da CBF.

100% PARA A COPA

Médicos ouvidos pela reportagem indicam uma cirurgia como decisão mais indicada para garantir Neymar no Mundial, em junho. Eles afirmam, porém, que em casos mais comuns, um tratamento conservador ser o mais utilizado.

"Se tratando de um atleta de alto nível, com situação de disputa de Copa do Mundo nos próximos três meses, em que ele necessita total confiança para fazer todas as atividades de rotação e movimentos de lateralidade, está se levantando a possibilidade de fixação com parafuso, que teoricamente diminui a chance de não ter a consolidação desse osso", disse José Luiz Runco, médico da CBF por 16 anos, entre 1998 e 2014.

"Em casos que você quer uma reabilitação mais rápida, um retorno mais rápido ao esporte, a cirurgia é o indicado. Com a colocação do pino, ele vai aproximar o fragmento, o que o deixa com maior contato e favorece a cicatrização", afirma o ortopedista Ronaldo Nazaré, chefe do departamento médico da CBF no fim da década de 1980 e médico do Cruzeiro por 30 anos. Com informações da Folhapress. 

 

Fonte: msn

 


A comissão técnica da Seleção Brasileira adiou o anúncio dos convocados para os amistosos contra Rússia e Alemanha para o dia 12 de março, às 11h (de Brasília), na sede da CBF. Inicialmente, a lista seria divulgada nesta sexta-feira, dia 2.

Segundo Edu Gaspar, coordenador de Seleções, a medida foi tomada devido à necessidade de um tempo maior de observação de atletas clinicamente impossibilitados de atuar neste momento.

- Temos uma situação diferente de outras convocações. São pelo menos cinco jogadores que necessitam de uma observação médica e física mais elaborada, para que possamos convocar embasados e com as informações necessárias.

O adiamento da divulgação da lista vem logo após a confirmação de uma fissura no quinto metatarso do pé direito de Neymar, que pode passar por cirurgia para a colocação de um pino. Caso passe pelo procedimento, ele ficaria cerca de dois meses fora, voltando apenas em maio, um mês antes da Copa do Mundo.

Além de acompanhar a situação desses atletas, a comissão técnica da Seleção Brasileira terá mais tempo de realizar observações técnicas.

– Transferindo a data iremos ganhar de dois a três jogos de cada atleta observado para nossa avaliação. Como sempre, buscaremos o máximo de informações possíveis para uma convocação sem grandes problemas - finalizou Edu Gaspar.

O Brasil enfrenta a Rússia em Moscou, no dia 23 de março. Logo depois, o adversário será a Alemanha, em Berlim, no dia 27.

 

Fonte: msn 


O Atlético Mineiro segue com seu desempenho cambaleante nesta temporada de 2018. Neste domingo (25), o time comandado pelo ainda interino Thiago Larghi sofreu para empatar com o Tupi por 1 a 1, no estádio Mário Helênio, em Juiz de Fora (MG), pela oitava rodada do Campeonato Mineiro. A igualdade no placar só veio com o gol do meia equatoriano Cazares, aos 41 minutos do segundo tempo.

O empate suado fora de casa manteve o Atlético Mineiro na terceira colocação. Tem 12 pontos, mas com a companhia de Tombense e Patrocinense — o time de Belo Horizonte leva vantagem no saldo de gols.

O vice-líder é o América-MG, com 14, e a ponta, já com a vaga nas quartas de final garantida de forma antecipada, é do Cruzeiro, com 22.

Na briga para ficar entre os oito melhores e avançar às quartas de final, o Tupi desperdiçou a chance de ficar mais tranquilo na tabela de classificação. O empate em casa deixa o clube de Juiz de Fora em 7º lugar com 10 pontos, apenas um na frente de Villa Nova, URT e Caldense, que estão imediatamente abaixo.

Neste meio de semana, o Atlético Mineiro volta as suas atenções para o início da terceira fase da Copa do Brasil. Pela rodada de ida, nesta quarta-feira, às 21h45, enfrenta o Figueirense, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. Pela nona rodada do Estadual, no domingo, às 11 horas, no estádio Independência, em Belo Horizonte, fará o clássico contra o Cruzeiro. O Tupi jogará no sábado, às 16 horas, novamente em casa, contra o Boa.

Publicidade

Fechar anúncio

Em campo, o Atlético Mineiro começou melhor e antes dos 10 minutos teve três chances para marcar o gol - duas com o centroavante Ricardo Oliveira e uma com o atacante Roger Guedes. Mas foi o Tupi que conseguiu balançar as redes primeiro. Em jogada na intermediária, aos 16, Vitinho pegou uma bola espirrada, arriscou um chute cruzado e rasteiro de perna esquerda e bola entrou no canto esquerdo do goleiro Victor.

Com o gol, o Tupi desestabilizou o rival e conseguiu trocar passes no meio de campo para achar espaços. O Atlético Mineiro, apesar de ter a bola por mais tempo, sofria até para finalizar. Só no segundo tempo que as coisas para os atleticanos melhoraram e algumas chances foram criadas, mas nada que incomodasse tanto o goleiro Vilar.

Na tática do contra-ataque, o Tupi assustou o Atlético Mineiro e quase marcou o segundo, mas Victor teve tempo de fazer a defesa em chute de Léo Costa. Já o time atleticano melhorou com as mudanças de Thiago Larghi, que promoveu as entradas de Luan, Cazares e Otero. E o castigo para os donos da casa veio aos 43 minutos, com o meia equatoriano acertando um chute de longe no canto direito de Vilar.

 

Fonte: R7


A tendência é de que Dorival Júnior permaneça como técnico do São Paulo. Essa é a informação deste domingo à noite, após o empate sem gols do Tricolor com a Ferroviária, no Morumbi.

Haverá uma reunião na manhã desta segunda-feira para discutir o assunto. A previsão é de que participem o executivo Raí, o coordenador Ricardo Rocha, o superintendente de relações institucionais Lugano e o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

Diferentes pessoas com as quais o GloboEsporte.com conversou acreditam que Dorival vai dirigir o time no duelo de quarta-feira, contra o CRB, no Morumbi, pela terceira fase da Copa do Brasil.

Embora a pressão seja grande e haja críticas internas, por exemplo, às substituições realizadas, a diretoria pensa em blindar o treinador. Neste domingo, houve coro de "burro" vindo dos torcedores nas arquibancadas do Morumbi.

Na entrevista depois do empate, o técnico ouviu diversas perguntas a respeito do seu futuro e fez um desabafo:

– A pressão é contínua. Parece prazeroso ver mudança de treinador no Brasil.

Apesar dos recentes resultados ruins (duas derrotas e um empate), Dorival acredita que vai colocar o São Paulo nas fases decisivas das competições. O técnico espera ter tempo para trabalhar e ser cobrado no momento certo.

– Em cima da cultura do futebol brasileiro, eu já teria saído. Uma ou duas derrotas são suficientes para queimar um profissional. Confio na diretoria, independentemente da atitude que tomem. Desde que cheguei ao São Paulo, as coisas mudaram muito. Hoje temos um time confiável. Os resultados não mostram o potencial que a equipe tem.

– Fizemos dois jogos a mais por causa da Copa do Brasil. Seriam duas semanas importantíssimas para mim. Mesmo assim, estamos levando. Estamos em zona de classificação no Paulista e avançando na Copa do Brasil. É uma sequência bem complicada. Quarta-feira, novamente estaremos em campo. Confiaram no nosso trabalho no momento mais difícil.

Depois do empate, jogadores como Petros, Rodrigo Caio e Hudson saíram em defesa de Dorival no São Paulo.

 

Fonte: globoesporte


Neymar torceu o tornozelo direito em vitória do PSG sobre o Olympique de Marselha e saiu de campo chorando, mas o atacante não teve fratura detectada em exame feito na noite deste domingo. A ultrassonografia feita no American Hospital de Paris não detectou dano ósseo. Nesta segunda-feira, o brasileiro passará por exames para saber se houve uma possível lesão no ligamento.

Mais cedo, em entrevista coletiva, Unai Emery se mostrou otimista na presença de Neymar contra o Real Madrid, no próximo dia 6. O técnico já esperava a ausência de fratura.

– Se eu tivesse que me pronunciar sobre o jogo do Real esta noite, eu diria que Neymar pode estar presente. Os primeiros exames no vestiário dizem ser uma entorse. Outros exames serão feitas para termos mais precisão. Nós estamos otimistas - disse.

O PSG volta a campo na próxima quarta-feira e o adversário será novamente o Olympique de Marselha, mas desta vez pelas quartas de final da Copa da França. O duelo entre as duas equipes acontecerá outra vez no Parc des Princes. Neymar é ausência certa.

 

Fonte: msn


Página 8 de 83

Commentários

Share on Myspace

Compartilhar

COMPARTILHAR

Previsão do Tempo em Mauriti-CE

Agenda Cultural do Cariri

  • ok.jpg
  • 13.jpg
  • 15.jpg
  • 25.jpg
  • 42.jpg
  • damiao2.jpg
  • lora.jpg
  • lovyle.jpg
  • marcio.jpg
  • moto2.jpg
  • net.jpg
  • real2.jpg