Policial

Policial 305

O ex-coordenador do sistema prisional no Ceará suspeito de participação em um esquema criminoso que fornece armas para presidiários foi solto nesta quarta-feira (18), dois dias após a operação que revelou a organização.

O coordenador havia sido preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo. Por conta da operação, o ex-coordenador foi afastado do cargo por determinação da Justiça. Ele pagou fiança de um salário mínimo após audiência de custódia na manhã desta quarta.

O afastamento é de 60 dias. Nesse período, o Ministério Público vai investigar indícios da atuação do grupo; caso confirmado, o MP deve pedir a prisão dos servidores do estado envolvidos no crime.

Servidores afastados

A operação Masmorras Abertas, realizada na segunda-feira, resultou no afastamento de sete servidores dos presídios cearenses suspeitos de atuar no esquema criminosa.

Os servidores afastados são agentes penitenciários e diretores de unidades prisionais. Dois deles foram presos em flagrante por porte ilegal de arma de fogo. As armas foram apreendidas na residência dos suspeitos, quando promotores e policiais cumpriam mandados de busca e apreensão.

Os responsáveis também recebiam dinheiro de presos para mudar os internos de celas, conforme a vontade dos presos.

Em nota, a Secretaria da Justiça do Ceará afirmou que é a "principal interessada" no caso e diz que cumpriu a determinação judicial de afastamento de sete agentes penitenciários suspeitos de atuação na organização criminosa.

Venda de celulares

A operação realizada nesta segunda-feira leva o nome de Masmorras Abertas, em referência ao "fácil acesso" de presos aos celulares, o que lhes permite comunicação com "parceiros do crime e agentes penitenciários".

Os celulares inclusive eram vendidos entre os presos. Um telefone do modelo iPhone valia até R$ 1.000. Os valores eram depositados na conta do vendedor por familiares do preso que comprava o aparelho, conforme o Ministério Público.

 

Fonte: G1-CE


Presos da delegacia metropolitana da cidade Horizonte, na Grande Fortaleza, tentaram fugir na noite deste sábado (14), mas foram contidos pelos policiais civis da unidade.

Os detentos danificaram parcialmente o chão e a parede da cela na tentativa de fuga, de acordo com a secretaria da Segurança do Ceará.

Após a tentativa, todos os presos foram transferidos da delegacia. Equipes da Divisão de Serviços Gerais (Diseg) da delegacia foram acionadas para realizar reparos nas instalações. O atendimento de ocorrências da delegacia durante o plantão não foi interrompido.

 

Fonte: G1-CE


Um homem morreu na tarde desta sexta-feira (13) após tentar roubar a moto de um policial militar, no Bairro Messejana, em Fortaleza. De acordo com a polícia, o suspeito usava no momento do crime uma arma falsa.

O policial que estava de folga percebeu a ação do homem e efetuou um tiro. O homem não resistiu ao ferimento e morreu no local.

Equipes da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) foram acionadas para o local.

 

Fonte: G1-CE


Um trabalhador rural de 62 anos foi preso, na terça-feira (10), suspeito de abusar sexualmente e torturar a enteada de 42 anos que tem Síndrome de Down, em Jataí, na região sudoeste de Goiás. De acordo com a Polícia Civil, idoso, além de bater na mulher, chegou a queimar as pontas dos dedos dela. Esta é a segunda vez que ele é preso pelos mesmos crimes.

Segundo o delegado Agnaldo Coelho Alves, da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), o caso foi descoberto depois que a vítima foi atendida em uma unidade de saúde da cidade.

“Ela foi ao hospital para ser atendida por um problema no pé, que ela já vinha tratando. Durante o atendimento, os médicos suspeitaram que ela estava sendo vítima de abuso sexual e violência, porque tinha várias marcas pelo corpo. A partir disto a polícia foi acionada, e ela veio até a delegacia, relatando que, de fato, havia sido agredida e abusada”, disse ao G1.

O idoso foi preso na tarde de terça-feira, na casa em que mora com a vítima e a mãe dela. Segundo o delegado, o padrasto aproveitava que a esposa tem problemas de locomoção e faz uso de vários remédios controlados, para abusar da enteada sem que ela soubesse.

“A mulher fala que não consegue afirmar se, de fato, a filha era ou não abusada, porque faz uso de medicamentos fortes, e não consegue se locomover. Ele aproveitava e, em locais isolados da casa, praticava atos libidinosos, passando a mão nas partes íntimas dela, e chegando a tortura-la, conforme a vítima relatou em depoimento”, afirmou.

De acordo com o delegado, a vítima foi encaminhada para fazer exames periciais, cujos laudos devem ser concluídos em até 10 dias.

O investigador disse que o idoso pode responder, além de estupro de vulnerável, pelo fato da vítima ser Síndrome de Down, por lesão corporal ou tortura, a depender do resultado do laudo e de outros depoimentos que ainda serão colhidos.

“Pelos relatos, de forma visual, já podemos notar que, de fato, houve agressão. Ele a agredia com frequência, em local isolado, ele batia muito nela. O fato mais grave foi, além dos atos libidinosos praticados ao longo de todo esse tempo, chegar a queimar os dedos dela”, revelou.

Segundo o delegado, até as 12h desta quarta-feira (11), tenhum advogado havia se apresentado para defender o idoso.

Reincidência

Esta é a segunda vez que o idoso é preso por agredir e abusar sexualmente a enteada. Segundo a Polícia Civil, a primeira vez ocorreu em 2015, quando foi decretada a prisão temporária e ele ficou preso por 30 dias. Conforme o delegado, na época a vítima e a mãe chegaram a se mudar para Rio Verde, na região sudoeste do estado, para ficar longe do agressor.

Segundo Alves, os crime voltaram a ser praticados no início deste ano, quando o idoso foi até a cidade e buscou a mulher e a enteada para voltarem a morar junto com ele.

“Elas tinham ido morar na casa do irmão. Tivemos o cuidado de, na época, fazer com que ele ficasse longe da mulher. Notamos que o fato de já responder por um prime, de já ter sido preso uma vez, não o intimidou e o fez continuar a praticar estas atrocidades que foram relatadas”, contou.

Em 2015 o caso chegou até a polícia depois de uma denúncia anônima feita ao Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência, que procurou o Ministério Público, que, por sua vez, levou a situação à Deam.

 

Fonte: Murillo Velasco, G1 GO

 


Um jovem de 22 anos foi morto a facadas pelo próprio pai após os dois se desentenderem dentro de casa, em Goiânia, informou a Polícia Civil. A vítima foi identificada como Alerrandro Franco de Souza Batista. O motivo da discussão não foi informado. O G1 não conseguiu localizar a defesa do pai.

O crime aconteceu na tarde desta terça-feira (10), no residencial Solar Bougainville. O jovem chegou a ser socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Buriti Sereno, mas não resistiu aos ferimentos e morreu durante cirurgia.

O pai dele, Antônio Batista de Souza, foi preso horas depois pela Polícia Militar. O homem teria fugido de casa logo após o crime, mas voltado depois. De acordo com a corporação, ele arrumava as malas e se preparava para fugir quando foi localizado. Ele tentou pular muros, mas foi contido.

O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia e será remetido à Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH). Segundo a assessoria da Polícia Civil, ainda não foi definido o delegado que assumirá o caso.

O Instituto Médico Legal (IML) informou que o corpo de Alerrandro foi liberado às 2h desta quarta-feira (11).

 

Fonte: Raquel Morais, G1 GO

 


Dois adolescentes, de 16 e 17 anos, e um rapaz de 19 anos foram detidos no fim da tarde desta terça-feira (10) por porte ilegal de arma de fogo. Segundo a Polícia Militar, o trio é suspeito de atirar contra dois funcionários da Companhia Energética de Brasília (CEB) no momento em que eles cortavam a energia em uma casa na QNP 28, em Ceilândia.

A CEB confirmou o ocorrido e informou ao G1 que os trabalhadores da empresa não se feriram. No local, a PM encontrou uma pistola calibre 28, de fabricação artesanal, e duas balas. Questionados sobre a posse da arma, os suspeitos afirmaram que a pistola era "uma propriedade dos três".

Os jovens apreendidos foram levados à Delegacia da Criança e do Adolescente, e o rapaz de 19 anos foi encaminhado à 23ª Delegacia de Polícia.

A PM verificou que os três detidos tinham passagens por roubo e tráfico. Os funcionários da CEB não registraram boletim de ocorrência na Polícia Civil.

 

Fonte: G1-DF


A Polícia Civil do Ceará reabriu as investigações do assassinato de Gaia Molinari. O corpo da turista italiana foi encontrado em 25 de dezembro de 2014, em uma trilha na localidade de Serrote, em Jijoca de Jericoacoara, no Ceará.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, novas diligências foram iniciadas neste mês de março na tentativa de elucidar o homicídio. Desde que o caso foi reaberto, nove pessoas já foram ouvidas.

A delegada responsável pelo caso, Socorro Portela, reuniu-se na última semana com investigadores, profissionais da Perícia Forense e do Ministério Público. Os trabalhos de retorno ao inquérito incluíram a revisão de indícios colhidos durante a primeira investigação.

A reunião abordou detalhes sobre a perícia do local do crime e assuntos relacionados à necropsia realizada no corpo da vítima. "O próximo passo é ouvir novamente os policiais militares que realizaram o primeiro atendimento ao local de crime. Além disso, estamos em continuidade às apurações nos municípios de Jijoca de Jericoacoara, Cruz e também em Sobral", colocou Socorro Portela.

As investigações incluem novos exames de DNA, incluindo em um estilingue encontrado no local do crime.

Informações e denúncias sobre o caso podem ser feitas por meio do Disque Denúncia, no telefone 181 ou pelo WhatsApp da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas, (85) 9.8439-2914. O sigilo do informante é garantido.

Homicídio

O corpo da turista italiana Gaia Molinari, de 25 anos, foi encontrado na praia de Jericoacoara com marcas de violência e estrangulamento no dia 25 de dezembro de 2014. Segundo as investigações, Gaia teria sido morta no dia anterior, 24 de dezembro. Até agora ninguém foi responsabilizado pelo assassinato da turista.

Uma outra turista, natural do Rio de Janeiro, que estava acompanhando Gaia na viagem, foi interrogada. Miriam França teve prisão temporária decretada em 29 de dezembro de 2014. Ela ficou detida na Delegacia de Capturas, em Fortaleza.

 

Fonte: G1-CE


Presos da Cadeia Pública de Jaguaruana se rebelaram contra internos da unidade acusados de estupro. De acordo com a Secretaria da Justiça (Sejus), policiais militares intervieram e contiveram os detentos enquanto aguardavam a chegada dos agentes do Grupo de Ações Penitenciárias (GAP).

Alguns internos ficaram feridos e foram levados ao hospital para atendimento. De acordo com a Sejus, eles já retornaram à unidade e passam bem.

“A situação está contida. Não houve reféns na ação”, diz a nota da Sejus. A secretaria classificou o ocorrido como “princípio de motim”, e não divulgou os prejuízos causados pelo motim.

 

Fonte: G1-CE


A polícia apreendeu um adolescente suspeito de participar de uma facção criminosa que expulsou moradores das próprias casas no Bairro Conjunto Palmeiras, periferia de Fortaleza. Com o jovem, a polícia encontrou um revólver calibre 38, droga e munição.

Conforme a polícia, o adolescente estava envolvido nos crimes com outros sete suspeitos. O grupo ordenou que os moradores saíssem das casas sob ameaça de morte.

A polícia foi acionada e realizou buscas pelo bairro. Os suspeitos fugiram por um matagal, mas o adolescente foi capturado. Os demais conseguiram fugir.

O jovem foi transferido para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), onde permanece detido.

 

Fonte: G1-CE


 

Cinco dos oito acusados pelo assassinato de Dandara dos Santos foram sentenciados na madrugada desta sexta-feira (6). Todos os réus julgados foram condenados com as qualificadoras de motivo torpe (homofobia), meio cruel e sem chance de defesa para a vítima.

As penas, contudo, foram individualizadas, de acordo com a participação de cada um no crime. Francisco José Monteiro de Oliveira Junior foi condenado a 21 anos em regime fechado por ter atirado em Dandara. Jean Victor Silva Oliveira teve pena de 16 anos por usar a tábua no espancamento.

Rafael Alves da Silva Paiva também foi condenado a 16 anos, mas por ter agredido a vítima com chutes. Francisco Gabriel dos Reis cumprirá pena de 16 anos por ter agredido Dandara com chineladas. Por fim, Isaías da Silva Camurça foi punido com 14 anos e 6 meses por ter proferido palavas e frases ofensivas durante o ataque.

As defesas de Jean e Rafael vão recorrer da decisão, por entenderem que a pena foi elevada, justificando que a agressão causada por eles não foi determinante para a morte de Dandara.

O julgamento teve início às 9h46 desta quinta-feira (5) e durou 14 horas e 45 minutos até a leitura da sentença, terminando por volta da 0h30 desta sexta-feira (6). O processo aconteceu no 1º Salão do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua, em Fortaleza.

Dandara dos Santos foi agredida com socos, chutes e golpes de pau e pedra em fevereiro de 2017, em Fortaleza.

Os acusados foram condenados por crime triplamente qualificado: sem chance de defesa à vítima, motivo torpe e crueldade. Enquanto espancavam Dandara, um dos acusados filmou o crime com um celular, imagem que foi compartilhada em redes sociais.

Eles confessaram participação na agressão contra Dandara, mas negaram a intenção de matá-la.

Dos 12 acusados de participar do crime, quatro são menores que cumprem medida socioeducativa. Dois estão foragidos. Um deles, Júlio Cesar Braga, conseguiu ser retirado do julgamento por falta de provas. Outros cinco foram julgados nesta quinta.

Ação de ativistas

Um grupo de ativistas que defendem gays e travestis realizou um protesto em frente ao Fórum Clóvis Beviláqua, onde ocorreu o julgamento. Alisson Silva, que faz parte do Grupo Integrante do Coletivo Polo Trans, reforça que é importe os grupos coletivos participarem dos julgamentos e de protestos.

“Para gente que somos dos coletivos dos grupos de resistência e temos como pauta essas questões LGBTs, para gente é muito importante está presente poder ver a Justiça sendo feita”.

 Fonte: G1-CE


Página 5 de 22

Commentários

Share on Myspace

Compartilhar

COMPARTILHAR

Previsão do Tempo em Mauriti-CE

Agenda Cultural do Cariri

  • felix.jpg
  • juazeiro.jpg
  • 13.jpg
  • 15.jpg
  • 25.jpg
  • 42.jpg
  • damiao2.jpg
  • lora.jpg
  • lovyle.jpg
  • marcio.jpg
  • moto2.jpg
  • net.jpg