Tecnologia 749

Published in Tecnologia Janeiro 23 2018

De acordo com informações reverberadas na comunidade do XDA Developers, a Google estaria trabalhando em uma grande atualização para o Android em 2018. De acordo com Mishaal Rahman, membro da equipe do XDA, a empresa estaria focando em dois novos pilares para o Android 9, supostamente conhecido atualmente como “Pie”.

O primeiro desses tópicos seria o que ele chama de atualizações via “Google Unified Push” (GUP). Isso basicamente consiste em uma versão mais centralizada e avançada do Project Treble, lançado com o Android Oreo 8.0. Esse recurso da mais recente versão do Robô essencialmente permite que as fabricantes de smartphones enviem atualizações profundas para seus smartphones que já estão no mercado aplicando mudanças apenas no segmento do software que precisa ser modificado. Para isso, o SO se tornou mais compartimentalizado, permitindo essas alterações pontuais. Só que a Google não obrigou as fabricantes a adotarem esse recurso, e a maioria delas acabou pulando essa parte do Oreo ao atualizar seus atuais celulares para o novo software.

Atualizações seriam distribuídas diretamente pela Google assim que estivessem disponíveis para os dispositivos compatíveis

O GUP seria uma versão obrigatória do Treble, mas seria um tanto mais drástica. Com o GUP, as atualizações seriam distribuídas diretamente pela Google assim que estivessem disponíveis para os dispositivos compatíveis. Isso significa que os usuários receberiam novo software muito mais rápido e sem intermédio das fabricantes. Não sabemos, contudo, se a Google ainda permitiria modificações na interface por parte de empresas como SamsungLG e por aí vai.

O segundo grande pilar do Android 9 seria uma série de limitações no código do sistema. Em outras palavras, desenvolvedores que gostam de brincar com APIs ocultas, recursos de acessibilidade do sistema e outros elementos mais profundos do Android não conseguiriam mais ter acesso a esses elementos. Isso estaria sendo feito para melhorar a segurança do Android, visto que os serviços de acessibilidade são frequentemente explorados por apps maliciosos para tomar controle de aparelhos sem que os usuários tenham conhecimento.

Comunidade de desenvolvedores teme que a Google comece a tomar atitudes similares às da Apple quanto ao Android

Por conta desse tipo de limitações, a comunidade de desenvolvedores teme que a Google comece a tomar atitudes similares às da Apple quanto ao Android, limitando cada vez mais o sistema até que ele fique bastante fechado. Não se espera, entretanto, que o Robô se torne algo tão “trancado” e conservador quanto o iOS, mas quem gosta de experimentar com o sistema da Google certamente vai sentir o impacto nos próximos anos.

É interessante destacar que, apesar de a Google trabalhar com o Android em cima do kernel do Linux, a empresa não é obrigada a ter um software tão aberto quanto ele é hoje. Ao que parece, a companhia acredita que fazer esse “fechamento” parcial seja uma forma de melhorar a experiência do usuário quanto a atualizações e segurança. Tudo isso, entretanto, pode acabar impactando na capacidade de desenvolvedores e fabricantes personalizarem o software. O que não sabemos no momento é até que ponto isso pode ser um problema.

O que você acha?

Nos diga o que você pensa sobre isso na seção de comentários. A Google está certa ao deixar o Android “mais fechado” se o objetivo for entregar atualizações mais rápidas e mais segurança para o usuário final?

 

 Fonte: TecMundo

Published in Tecnologia Janeiro 23 2018

Facebook lança Marketplace, ferramenta que o transforma em concorrente da OLX

SÃO PAULO – O Facebook anunciou nesta segunda-feira (22) o lançamento oficial da ferramenta Marketplace no Brasil, que já estava disponível em outros 46 países. Ele chega com o objetivo de “oficializar” e facilitar a venda e compra de produtos através da rede social, que já acontecia em seus grupos. 

Em relação aos grupos, a principal diferença do Marketplace é a possibilidade de buscar anúncios de usuários que estão mais próximos de você usando o sistema de geolocalização do smartphone do usuário. Também é possível buscar pelo produto específico que desejam através da ferramenta.

A rede social não será a responsável pela intermediação das compras: ainda é necessário que o comprador e vendedor negociem como será feito o pagamento. Também não é cobrado nenhum tipo de taxa por anúncio ou compra através da ferramenta.

Será possível acessar o Marketplace somente através do smartphone do Facebook, no ícone posicionado na barra inferior do aplicativo da rede social. “Para usá-lo, clique no ícone do Marketplace. É fácil de encontrar o que você está procurando: utilize o campo de pesquisa e filtre seus resultados por local, categoria ou preço. Para vender algum produto, tire uma foto, descreva seu item, coloque seu preço e pronto”, explicou o Facebook em comunicado.

InfoMoney

O lançamento da plataforma posiciona o Facebook como concorrente do Mercado Livre e OLX no Brasil, já que ambos os sites oferecem recursos semelhantes de compra e venda.

Segundo a empresa, a ferramenta será disponibilizada “gradualmente” para os brasileiros a partir desta segunda.

Quer investir melhor seu dinheiro? Clique aqui e abra já sua conta na XP Investimentos.

 

 Fonte: msn

Published in Tecnologia Janeiro 22 2018

Amazon abriu as portas hoje (22) de um de seus projetos mais ousados. Trata-se do Amazon Go, uma mistura de mercearia com loja de conveniências que tem como principal destaque a ausência de funcionários que façam a cobrança dos produtos ou caixas registradoras.

Tudo o que você precisa fazer para entrar é baixar o app do estabelecimento e aproximar o smartphone da catraca com o código de barras em exibição para liberar acesso. Em seguida, só tirar os produtos da prateleira, guardá-los e sair do local. Todos os itens que você pegou são armazenados em um carrinho virtual e cobrados como se você tivesse feito uma compra online no site da Amazon.

Tecnologias como visão computacional embutida nas várias câmeras espalhadas pelo local, sensores e deep learning ajudam o sistema da loja a aprender hábitos de consumo, guardar seus itens favoritos e ficar de olho para evitar malandragens. Funcionários da Amazon cuidam do estoque, da preparação de alimentos frescos e ficam de prontidão para tirar dúvidas e ajudar iniciantes.

Link do Video: https://youtu.be/NrmMk1Myrxc 

 

A primeira unidade fica em Seattle, nos Estados Unidos, e estava em testes desde dezembro de 2016, sendo utilizada apenas por funcionários da companhia. Aparentemente, tudo deu certo nesse período de avaliação — exceto por um pequeno contratempo em que mais de 20 pessoas entraram no mercado ao mesmo tempo, confundindo o sistema por um instante.

Fonte: TecMundo

Published in Tecnologia Janeiro 22 2018

O Facebook alertou na segunda-feira (22) que não pode oferecer nenhuma garantia de que as mídias sociais são boas para a democracia, mas ressaltou que está fazendo o possível para impedir a alegada intromissão da Rússia ou de outros em eleições.

O compartilhamento de notícias falsas ou enganosas nas mídias sociais tornou-se um problema global, depois de acusações de que a Rússia tentou influenciar votos nos Estados Unidos, Grã-Bretanha e França. Moscou nega as alegações.

O Facebook, a maior rede social do mundo, com mais de 2 bilhões de usuários, abordou o papel das redes sociais na democracia em postagens do professor Cass Sunstein da Universidade de Harvard e de um funcionário que trabalha no assunto.

— Gostaria de garantir que os aspectos positivos sejam destinados a superar os negativos, mas não posso —, escreveu Samidh Chakrabarti, gerente de produto do Facebook, em sua postagem.

O Facebook, acrescentou, tem um “dever moral de entender como essas tecnologias estão sendo usadas e o que pode ser feito para tornar as comunidades como o Facebook representativas, civis e confiáveis quanto possível”.

Chakrabarti expressou arrependimento do Facebook sobre as eleições dos EUA de 2016, quando, segundo a empresa, os agentes russos criaram 80 mil postagens que chegaram a cerca de 126 milhões de pessoas ao longo de dois anos.

A empresa deveria ter feito melhor, ele escreveu, acrescentando que o Facebook está compensando o tempo perdido, desativando contas suspeitas, tornando os anúncios eleitorais visíveis para além do público-alvo e exigindo que aqueles que publicam esses anúncios confirmem suas identidades.

 

 Fonte: R7

Published in Tecnologia Janeiro 22 2018

A busca por uma pílula contraceptiva para homens é mais ou menos como o Charlie Brown de “Peanuts” tentando chutar a bola de futebol americano: um ato aparentemente realizável, mas ele é sempre interrompido pela Lucy (ou, no caso do contraceptivo masculino, por resultados decepcionantes de estudos) no último segundo.

Recentemente, em 2016, um grande teste clínico de um contraceptivo injetável foi interrompido depois que homens reportaram sofrer mais efeitos colaterais do que o esperado, incluindo sérios problemas emocionais e alterações de humor – um voluntário chegou a cometer suicídio durante o estudo. Dada a dificuldade presente neste campo, apresentamos com cauteloso otimismo um novo estudo: os autores de uma pesquisa publicada no Journal of Medicinal Chemistry dizem ter encontrado um potencial contraceptivo masculino, um composto presente no extrato de uma planta que caçadores da África há muito tempo usam para criar veneno para as pontas de suas flechas.

O extrato, conhecido como ouabain, inibe uma enzima chamada Na/K-ATPase que ajuda células a bombear sódio para fora e potássio para dentro por sua membrana. Apesar desse bombeamento de sódio e potássio ser encontrado em virtualmente qualquer tipo de célula, o efeito da ouabain é mais aparente em células cardíacas. Nestas células, inibir a enzima faz com que elas (e o coração) desacelerem. Por séculos isso fez da ouabain uma boa opção de arma letal.

Mas a ouabain também inibe o bombeamento de sódio e potássio em células de esperma maduro, o que os transforma em péssimos nadadores. Nossos corpos produzem uma versão natural da ouabain (em doses muito menores das encontradas nas flechas dos caçadores), e homens com alto nível do composto tendem a ter menor fertilidade, afirmam estudos. Isso faz da ouabain um atraente candidato a contraceptivo masculino, exceto pela possibilidade dele parar o seu coração caso você consuma muito do composto.

Para solucionar este problema, os pesquisadores alteraram a estrutura química da ouabain e criaram três compostos que parecem inibir o bombeamento apenas das células do esperma. Eles testaram o composto mais promissor em ratos vivos, e descobriram que ele tornava os animais inférteis em apenas três dias. Melhor ainda, é o fato que o composto não causou nenhum efeito colateral notável. E sua maneira particular para reduzir a fertilidade faz do composto um contraceptivo ideal.

“Ele apenas inibe a mobilidade do esperma e não interfere no desenvolvimento”, explica Gunda Georg, autora sênior do estudo e chefe do Departamento de Medicina Química na Universidade de Minnesota, em um email. “Portanto, é um agente muito seletivo”.

Mas é claro, como admite Georg e sua equipe, a descoberta é apenas prova de um conceito. Ainda há muitas questões sobre o composto criado pelos cientistas, sendo uma delas por quanto tempo o efeito do contraceptivo duraria em pessoas. A resposta ditaria então um cronograma de dosagem. Georg diz que sua equipe já está cuidando dos próximos passos e planeja experimentar a criação em testes de animais em acasalamento, que eles esperam completar ainda este ano. E se tudo correr bem – de novo, um grande “se” no mundo dos contraceptivos masculinos – eles esperavam começar os testes clínicos dentro dos próximos cinco anos.

Fonte: msn

Página 1 de 84

Commentários

Share on Myspace

Compartilhar

COMPARTILHAR
  • jc.png
  • marcio.jpg
  • moto2.jpg
  • parceiros2017.gif
  • real2.jpg