Tecnologia 979

Published in Tecnologia Junho 14 2018

SALVADOR NOGUEIRA - O rover Opportunity pode estar enfrentando sua situação mais crítica desde que pousou em Marte, quase 15 anos atrás. Uma tempestade global de poeira se espalha pelo planeta vermelho, e na terça-feira (12) a Nasa confirmou que perdeu contato com o rover.

Presume-se que as condições na região onde o veículo opera, o chamado Vale da Perseverança, se tornaram tão severas que a bateria interna caiu abaixo de 24 volts. Quando isso acontece, o computador de bordo entra num estado operacional de emergência, desligando todos os subsistemas menos um relógio interno.

Com isso, a única tarefa do jipe é se "acordar" de tempos em tempos para checar o nível da bateria, que é recarregada pelos paineis solares -mas só quando há luz solar disponível, o que no momento se torna uma virtual impossibilidade por conta da tempestade de areia.

O fenômeno atmosférico começou em 30 de maio e já recobre um quarto da superfície de Marte. O último contato que o controle da missão teve com o Opportunity foi no último domingo, quando a situação já era crítica.

A Nasa realiza nesta quarta uma teleconferência para detalhar a situação do Opportunity e contar como seus orbitadores em Marte estudam a tempestade e seus efeitos. O maior problema é que o jipe se mantenha sem energia e isso prejudique o aquecimento interno de seus circuitos. No domingo, a temperatura interna era de -29 °C. A tempestade de poeira tende a reduzir a amplitude da variação de temperatura na superfície marciana ao longo do dia, o que é uma boa notícia, mas talvez insuficiente para manter o rover saudável.

O Opportunity e seu irmão gêmeo Spirit chegaram a Marte em 2004. A missão dos dois originalmente devia durar 90 dias. O Spirit operou até 2010. E o Opportunity, depois de percorrer mais que uma maratona em solo marciano, pode agora estar enfrentando seu ocaso. Além deles, opera atualmente em Marte o jipe Curiosity, que é mais resiliente contra tempestades de areia, por ser alimentado por uma bateria de plutônio, em vez de energia solar. Com informações da Folhapress. 

 

Fonte: msn

Published in Tecnologia Junho 13 2018

O encontro entre os líderes dos Estados Unidos e da Coreia do Norte, o presidente Donald Trump e Kim Jong-un, durante uma cúpula em Singapura atraiu a atenção do mundo todo por se tratar de um evento histórico e de importância política imensa.

Porém, reunidos para tratar sobre a produção e uso de armas nucleares, os chefes de estado passaram por situações consideravelmente estranhas, como o envolvimento por parte do excêntrico ex-jogador de basquete Dennis Rodman na mediação do encontro. Mais estranho ainda foi a exibição de um vídeo no formato de um trailer cinematográfico de um filme inventado que contaria a história da reunião entres os líderes como um acontecimento que teria o potencial de salvar o mundo.

Confira: https://youtu.be/A838gS8nwas

É isso mesmo: uma das “atrações” do encontro, ou talvez uma ferramenta para aliviar a tensão do momento, foi a exibição desse estranho trailer que pode ser visto, inclusive, como parte do vídeo oficial do encontro publicado no canal oficial da Casa Branca no YouTube (que foi editado para, agora, conter apenas a coletiva de imprensa de Trump, mas que foi devidamente registrado por outros canais e ainda pode ser visto).

Convenhamos que a diplomacia norte-americana sempre teve um lado, digamos, estranho, e mostrar poder – ou tentar fazer amizade – usando um trailer de um filme falso é no mínimo curioso. Vamos torcer para que Kim Jong-un goste de filmes hollywoodianos e entenda a mensagem que o trailer passa: que só a paz entre os governos dos dois países vai permitir deixar o mundo um pouco mais tranquilo com sua própria segurança.

 

Fonte: TecMundo

Published in Tecnologia Junho 13 2018

Todo motorista de Uber deixa bem claro que odeia passageiros bêbados. Ao que parece, a empresa Uber também não é lá muito fã. Um pedido de patente registrado em 2016 e divulgado esta semana mostrou que a empresa está desenvolvendo uma inteligência artificial capaz de ler o padrão de comportamento do usuário – e, possivelmente, identificar passageiros alcoolizados. De acordo com o resumo protolocado pela empresa, o propósito seria outro: a IA tem o objetivo de entender comportamentos incomuns de maneira geral entre os usuários, o que pode colaborar na segurança dos passageiros e motoristas.

A ideia é que o sistema use e compare informações como a sua localização, a precisão com a qual você digita (e quantos erros tipográficos você comete) e até mesmo o ângulo em que segura o celular. Esses dados vão servir como base para identificar o que eles chamam de “atividade de usuário não característica”. Quando isso acontecer, a empresa poderá enviar uma mensagem ao motorista informando que o passageiro está “diferente” – muito provavelmente, embriagado.

Também faz parte do projeto que a IA consiga reconhecer incidentes de segurança ou conflitos antes da viagem. Assim, a Uber poderá tomar atitudes, como, por exemplo, alterar os pontos de embarque e desembarque para áreas melhor iluminadas e de fácil acesso. No caso de um passageiro embriagado, o sistema também poderia tomar a liberdade de encaminhar a corrida para um motorista que tenha experiência e saiba lidar com situações adversas.

Nem tudo são rosas. Alguns especialistas se mostraram preocupados com certos aspectos do projeto. Se o motorista saberá que o passageiro está embriagado, isso não facilitará alguém mal intencionado a atacar pessoas vulneráveis? A corrida ficará mais cara para quem está em “atividade não característica”? Ainda não há respostas satisfatórias para essas questões.

A empresa, por sua vez, se mostra na defensiva. Em comunicado à imprensa, Uber disse que está sempre explorando novas maneiras de melhorar a experiência dos usuários, mas que registrar uma patente não significa que ela irá de fato colocar a ideia em prática.

A reputação da Uber acaba dando peso às preocupações: em 2017, foi divulgado que a empresa tentou esconder por um ano um vazamento de dados que afetou 57 milhões de contas. A empresa pagou aos hackers US$ 100.000 para que apagassem as informações dos usuários. Não seria agradável se descobríssemos que hackers podem adivinhar quando estamos de porre.

 

Fonte: msn

Published in Tecnologia Junho 12 2018

O número de homens que caem em golpes no WhatsApp é até três vezes maior que o número de mulheres, segundo o relatório do 3º Relatório da Segurança Digital no Brasil, estudo trimestral do dfndr lab, laboratório de segurança da PSafe.

Como mostra o estudo, entre janeiro e março de 2018, os homens acessaram 29.166.764 links maliciosos via WhatsApp. O número é cerca de 3.5 vezes maior que o total de links acessados por mulheres, que clicaram em 8.277.316 endereços maliciosos no mesmo período.

Os homens caem em muitos golpes com pornografia e futebol

Vale notar que o phishing é o tipo de ataque cibernético que deixa mais vítimas. Segundo Emilio Simoni, Diretor do dfndr lab, "isto acontece porque, através do WhatsApp, app mais usado pelos brasileiros, os golpes viralizam rapidamente, atingindo um grande número de pessoas".

Phishing é um dos métodos de ataque mais antigos, já que "metade do trabalho" é enganar o usuário de computador ou smartphone. Como uma "pescaria", o cibercriminoso envia um texto indicando que você ganhou algum prêmio ou dinheiro (ou está devendo algum valor) e, normalmente, um link acompanhante para você resolver a situação. O phishing também pode ser caracterizado como sites falsos que pedem dados de visitantes. A armadilha acontece quando você entra nesse link e insere os seus dados sensíveis — normalmente, há um site falso do banco/ecommerce para ludibriar a vítima —, como nome completo, telefone, CPF e números de contas bancárias.

Segundo a Psafe, os homens constumam cair em golpes que trazem assuntos como futebol ou conteúdo adulto. Enquanto isso, as mulheres são mais suscetíveis a publicidade suspeita do que homens.

info

Infográfico

 

Fonte: TecMundo

Published in Tecnologia Junho 12 2018

Se você está estudando e se especializando em diagnósticos médicos, seu futuro pode estar comprometido. É isso o que pensa o especialista em aprendizado de máquina da Nvidia, Marcus Peixoto.

A previsão alarmada de Peixoto tem fundamento. A visitantes da sede da empresa fabricante de GPUs, no Vale do Silício, ele explicou que "o mercado está sofrendo uma profunda transformação e você terá um concorrente desleal: o computador".

A humanidade está investindo em inteligência artificial há muitas décadas, mas nos últimos anos as tecnologias de redes neurais e aprendizado de máquina se desenvolveram tão rapidamente que é impossível não questionar quais serão as atividades que os robôs vão dominar, deixando os humanos no chinelo. Com capacidade de analisar padrões e lidar com quantidades de informação que nem mesmo o mais privilegiado dos cérebros humanos poderia controlar e relacionar, as máquinas vieram para ficar quando o assunto é a prestação de serviços, inclusive na área da saúde e diagnóstico.

Para determinar qual é a doença que acomete um paciente, os profissionais de saúde se valem de exames clínicos. Sejam análises laboratoriais, como os exames de sangue e outros tecidos corporais, ou exames de imagem, como ressonâncias magnéticas, tomografias computadorizadas ou mesmo raios-X, esses dados exigem que os profissionais da saúde relacionem as informações, processo que pode ser complicado ou até mesmo lento, enquanto um paciente sofre e tem suas condições de saúde agravadas.

Segundo os profissionais da Nvidia, o aprendizado de máquina pode automatizar as análises e aumentar a precisão dos diagnósticos a ponto de substituir cerca de 80% dos humanos que atualmente trabalham na área dentro dos próximos anos.

 

Fonte: msn

Página 2 de 109

Commentários

Share on Myspace

Compartilhar

COMPARTILHAR

Previsão do Tempo em Mauriti-CE

Agenda Cultural do Cariri

  • bosco.jpg
  • master.jpg
  • 13.jpg
  • 15.jpg
  • 25.jpg
  • 42.jpg
  • damiao2.jpg
  • lora.jpg
  • lovyle.jpg
  • marcio.jpg
  • moto2.jpg
  • net.jpg
  • real2.jpg