Redação do Portal

Redação do Portal

O candidato do PSL à Presidência nas eleições 2018, Jair Bolsonaro, é o destaque da capa da edição desta semana da revista britânica The Economist. No seu artigo principal, a publicação destaca o deputado como "a última ameaça para a América Latina" e considera que um eventual governo Bolsonaro seria "desastroso" para o Brasil e a região.

O texto compara o avanço de Bolsonaro e de suas propostas ao avanço do populismo nos Estados Unidos, com Donald Trump; na Itália, com Matteo Salvini; e nas Filipinas de Rodrigo Duterte. Para a Economist, Bolsonaro soube explorar a combinação de recessão econômica, descrédito com a classe política e aumento da violência urbana com a apresentação de visões conservadoras e uma proposta de economia pró-mercado.

"Os brasileiros não devem se enganar. Bolsonaro tem uma admiração preocupante por ditaduras", diz o texto, que o compara ao ditador chileno Augusto Pinochet. "A América Latina conheceu homens fortes de todo tipo e a maioria dessas experiências foi horrorosa. Provas recentes disso são a Venezuela e a Nicarágua."

A revista lembra ainda que o próximo governo precisará do apoio do Congresso e dificilmente Bolsonaro terá maioria parlamentar. "Para governar, Bolsonaro poderia degradar o processo político ainda mais, potencialmente abrindo caminho para algo ainda pior", diz o texto.

"Em vez de acreditar nas promessas vãs de um político perigoso na esperança de que ele resolva todos os problemas, os brasileiros precisam perceber que a tarefa de consertar sua democracia e reformar sua economia não será rápida nem fácil."

Fonte: Terra


Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (20) mostra aumento de 3 pontos percentuais na rejeição candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad. O índice foi de 26% para 29%, comparado à sondagem divulgada no dia 14. Jair Bolsonaro, do PSL, segue líder de rejeição, com 43%, 1 ponto a menos que tinha no último levantamento.

O cenário atual mostra que, além de transferir votos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também transfere a objeção. Barrado pela Lei da Ficha Limpa, o ex-presidente cedeu o posto a Haddad em 11 de setembro. A última pesquisa que aponta o percentual do eleitorado que não votaria em Lula de jeito nenhum é do Ibope e foi divulgada em 22 de agosto. Na época, Lula tinha 30% de rejeição.

Embora as metodologias sejam diferentes, é possível analisar as duas pesquisas para aferir tendência. Essa sondagem Ibope de agosto já indicava Bolsonaro líder de rejeição.

Hoje, a candidata Marina Silva (Rede) é a segunda mais reprovada, com 32% de rejeição, de acordo com o Datafolha. O índice subiu 2 pontos percentuais em menos de uma semana.

A pergunta feita aos eleitores é: "em quem você não votaria de jeito nenhum?".

Este é o ranking de rejeição dos presidenciáveis:

Jair Bolsonaro (PSL) - 43%

Marina Silva (Rede) - 32%

Fernando Haddad (PT) - 29%

Geraldo Alckmin (PSDB) - 24%

Ciro Gomes (PDT) - 22%

Vera Lúcia (PSTU) - 19%

Cabo Daciolo (Patriota) - 19%

Guilherme Boulos (PSol) - 18%

Henrique Meirelles (MDB) - 17%

Eymael (DC) - 17%

João Goulart Filho (PPL) - 15%

João Amoêdo (Novo) - 15%

Alvaro Dias (Podemos) - 15%

Rejeita todos/não votaria em nenhum - 4%

Votaria em qualquer um/não rejeita nenhum - 2%

Não sabe - 5%

No caso da rejeição, os entrevistados podem responder mais de um nome; com isso a conta não fecha em 100%.

Nesta sondagem, o Datafolha ouviu 8.601 eleitores em 323 municípios brasileiros nos dias 18 e 19.

 Fonte: MSN


Alvaro Dias, candidato do Podemos à Presidência, disse em entrevista ao G1 e à CBN, nesta quinta-feira (20), que voto útil é "assinar atestado de burrice". "Isso deseduca o cidadão. Sou favorável ao voto facultativo. [...] Me perdoem os defensores do voto útil. É assinar um atestado de burrice, é óbvio que o eleitor tem que escolher o melhor, e não o menos pior para evitar o péssimo", afirmou.

Ao questionar o candidato sobre o voto útil, os jornalistas lembraram que alguns adversários, como Geraldo Alckmin (PSDB), falam em suas propagandas com eleitores de partidos como o Podemos. Hoje Alvaro Dias tem 3% das intenções de voto, segundo a pesquisa Datafolha. Para Dias, o eleitor ainda não decidiu o voto, o que só deve ocorrer na última semana de campanha: "Falta informação".

Dias afirmou que há "contradição" entre as pesquisas qualitativas e quantitativas, porque o eleitor é contrário à corrupção, mas até pouco tempo atrás colocava em primeiro lugar um candidato que está preso e, em seguida, outro que "nunca abriu mão de privilégios".

Sem citar nomes, o candidato disse que, por falta de informação, o voto anti-PT é de "outro candidato, que estava lá segurando a placa do Lula no plenário do Congresso esse tempo todo, que estava nos partidos aliados à sombra do poder. Nunca fazendo oposição. Nunca combatendo corrupção nesses anos todos".

Parte 1: Alvaro Dias fala sobre pesquisa eleitoral e voto útil

Alvaro Dias foi o 11º e último presidenciável a participar da série de entrevistas do G1 e da CBN com os candidatos. Eles foram entrevistados pelos jornalistas Cláudia Croitor e Renato Franzini, do G1, Milton Jung e Débora Freitas, da CBN, e pelo comentarista Gerson Camarotti, do G1 e da CBN.

No dia 3, o deputado Cabo Daciolo, candidato a presidente pelo Patriota, não compareceu à entrevista marcada na rádio CBN, em São Paulo. Jair Bolsonaro, do PSL, não pôde comparecer ao estúdio da CBN no dia 12, onde ocorreria a entrevista, porque continua internado em um hospital se recuperando de um atentado.

Alvaro Dias é formado em história pela Universidade Estadual de Londrina. Foi eleito para seu primeiro cargo público em 1968, como vereador de Londrina. Ao longo de quase 50 anos de vida política, Alvaro Dias foi vereador, deputado estadual, deputado federal, governador do Paraná e senador. Atualmente está no quarto mandato como senador, que termina em 2022.

Trocas de partido e coligação com PSC

O candidato também falou por que trocou oito vezes de partido ao longo da sua carreira política. "Eu mudei várias vezes de siglas, esse foi o meu itinerário, o itinerário de um contestador, de um rebelde de alguém que é inquieto, inconformado, revoltado com o sistema vigente", disse Alvaro Dias. Ele afirmou que fez as trocas para não "mudar as convicções".

Ele foi questionado sobre coligação com o PSC, um partido cujo presidente, o Pastor Everaldo, foi acusado de envolvimento na Lava Jato. Segundo delação da Odebrecht, o pastor recebeu R$ 6 milhões, em forma de caixa dois, para favorecer o então candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, durante debate eleitoral em 2014. Na época da denúncia, Everaldo negou que tenha atuado para atender pedidos da Odebrecht. Ele negou também ter recebido qualquer doação ilegal.

Dias respondeu que, no "campo da ética, cada um responde por si". "Não houve julgamento, houve uma delação, não houve julgamento. É evidente que um partido político traz para a coligação um pouco do seu tempo de televisão, e é isso que se busca quando se faz uma coligação. Mas, em relação à questão ética, não há a transferência de responsabilidade."

Imposto de Renda

Alvaro Dias também falou sobre suas propostas em relação à carga tributária. "A reforma tributária tem que ser simplificadora. E nós temos que tributar mais na renda e menos no consumo. Aí vamos eliminar seis impostos." Segundo ele, a tributação maior sobre o consumo penaliza os mais pobres.

Dias prometeu ainda isentar de Imposto de Renda quem ganha até R$ 5 mil por mês. "São oito milhões de brasileiros, isso significará uma redução no caixa de governo de R$ 1,5 bilhão. Mas que terá compensação com receita maior para o Estado brasileiro." Sobre aumento da receita, Dias citou o corte de isenções de impostos, por exemplo, para planos de saúde.

Alvaro Dias responde a perguntas do 'pinga-fogo'

·        É a favor da prisão após condenação em segunda instância?

Sou autor de um projeto que legitima constitucionalmente ou que coloca na constituição a prisão em segunda instância exatamente para evitar esse debate.

·        Vai limitar a entrada de venezuelanos?

Olha, primeiramente combateria o regime venezuelano. Eu seria implacável contra essa ditadura corrupta, sanguinária e violenta que esmaga o seu povo na pobreza. Agora, eu tenho que ser humano, então é claro que eu acolheria com humanidade e espírito cristão aqueles que foram expulsos de lá.

·        Vai manter o Mais Médico?

Vou substituir por uma carreira típica de estado de médico federal para atender nessas localidades distantes. Não vamos mandar dinheiro para Cuba.

·        É a favor das cotas nos concursos públicos?

Sou a favor de cotas para área social.

·        Vai instituir mensalidades nas universidades federais?

Eu fui responsável pela gratuidade do ensino nas universidades federais do Paraná.

·        Vai rever o teto de gastos?

O teto de gastos explodiu, nós vamos aplicar um limitador emergencial de despesas.

·        Vai manter o subsídio ao diesel?

O subsídio ao diesel será discutido em outro parâmetro. Com a reforma tributária, nós vamos reduzir a carga tributária, com isso nós vamos reduzir o preço dos produtos dos preços consumidos, inclusive o diesel.

·        É favorável à taxação de igrejas?

Não.

·        É a favor da união civil de pessoas do mesmo sexo?

O Supremo Tribunal Federal já consagrou a jurisprudência e eu apoio.

·        É a favor da intervenção militar na segurança nos estados, como aconteceu no Rio de Janeiro?

Não, é incompetência. É a confissão de impotência e de incompetência. O Exército não existe para isso.

 Fonte: G1


expulsão de Cristiano Ronaldo ainda no primeiro tempo do confronto entre Juventus e Valencia revoltou não só o craque luso, mas toda a equipe da Juventus. Após a partida, diversos atletas se manifestaram sobre o incidente em que Cristiano supostamente tenta puxar o cabelo de Murillo -mas o meia Emre Can causou polêmica ao criticar a decisão do árbitro, sendo acusado de sexismo.

- Isso era para cartão vermelho? Eu ouvi que ele disse ter sido por um puxão de cabelo. Nós não somos mulheres, estamos jogando futebol. Se você dá um cartão vermelho para isso, você deve ser expulso por qualquer falta. Com 100% de certeza, isso não é para cartão vermelho - disse Emre Can ao canal alemão "DAZN".

A declaração rapidamente ganhou críticas nas redes sociais, com seguidores apontando que o alemão foi infeliz ao fazer uma afirmação sexista. O jogador não voltou a se manifestar após a polêmica.

"Emre Can recorrendo ao sexismo para defender Ronaldo"

"Total sexismo. Que vergonha, Emre Can"

A Juventus agora vive a expectativa sobre um possível desfalque de Cristiano Ronaldo em partidas importantes da fase de grupos da Liga dos Campeões. A princípio, já é certa a ausência de CR7 no duelo contra o Young Boys, no dia 2 de outubro, por conta da suspensão automática devido ao cartão vermelho. Entretanto, a Uefa pode aumentar a pena.

No dia 27 deste mês, o Comitê Disciplinar de Ética e Controle da entidade europeia se reunirá para analisar lances da rodada da Champions e pode impor um gancho maior a Cristiano Ronaldo. Caso o incidente com Murillo seja apontado como "conduta violenta", CR7 pode ser suspenso por até três partidas - o que o deixaria de fora das duas partidas contra o Manchester United, na Inglaterra, no dia 23 de outubro, e em Turim, em 7 de novembro.

 Fonte: Globo Esporte


Os últimos dias foram de cobranças e pressão interna no Flamengo. Apesar do ambiente em ebulição na Gávea, Maurício Barbieri foi mantido pela cúpula que comanda o futebol do clube e segue tendo a confiança para seguir o trabalho. Nesta quinta-feira, ele concedeu entrevista coletiva antes do treino no Ninho do Urubu. O treinador diz que tanto ele quanto os jogadores estão prontos para lidar com o momento mais delicado.

- O Flamengo tem pressão em qualquer circunstância e momento. Todo profissional aqui tem que estar preparado para lidar com isso. Desde o início é assim. Estamos fazendo o trabalho da melhor maneira possível. A vontade de entregar o trabalho da melhor forma possível é muito maior do que qualquer pressão (...) A pressão é inerente em um clube do tamanho do Fla. Quem está aqui tem que estar apto para conviver com isso. O meu objetivo e dos jogadores é entregar os resultados que a torcida espera - disse o treinador.

Barbieri também falou sobre os questionamentos que vem recebido desde que o time passou a oscilar na temporada. Reforçou a confiança que tem do grupo de jogadores. Ao ser questionado se voltaria a ser auxiliar em caso de mudanças no futebol do clube, ressaltou que se sente preparado para o cargo que exerce atualmente.

- Qualquer profissional que trabalhe num clube desse tamanho tem que estar preparado para pressão. Desde o início fui cobrado por resultados, e estou aqui porque entreguei. Temos a confiança dos jogadores (...) Hoje sou treinador do Flamengo e me sinto preparado para treinar o time e ajudar a reencontrar o caminho que desejamos - completou.

O jogo mais importante da temporada do Flamengo será na próxima quarta-feira, quando encara o Corinthians pelo jogo de volta da semifinal da Copa do Brasil - na partida de ida, resultado terminou em 0 a 0 no Maracanã. Antes, a equipe tenta uma retomada no Brasileirão, domingo, diante do Atlético-MG, no Rio. A equipe está a cinco pontos do líder São Paulo.

- Falamos muito dessa semana para trabalhar. Vinhamos de uma sequencia grande de jogos. Usamos o início da recuperar jogadores. Foi preciso. Agora foram 3 dias de trabalho. Durante o treino tentamos fazer com que os jogadores reproduzam os movimentos de forma natural. Momento importante para recuperar coisas que estávamos fazendo bem e melhorar outras - ressaltou o técnico.

Mais trechos da coletiva:

Desfalque de Diego e Paquetá adiantado
Estamos buscando soluções. Não tenho nada definido. Sabemos que não teremos o Diego, jogador fundamental. Mas temos jogadores no elenco capazes de suprir essa ausência. A equipe precisa ser forte coletivamente (...) Diego é uma liderança que vai fazer falta. Estamos avaliando soluções. Pode ser o Matheus Sávio. Outra opção é adiantar o Lucas (Paquetá).

Pressão por demissão
Minha preocupação hoje é preparar o time para o jogo contra o Atlético-MG, que é um adversário difícil. Depois do jogo não posso responder o que vai acontecer.

Sobre ter ''tamanho'' para o cargo
É sempre complicado responder de forma generalizada. Entendo a opinião das pessoas. Na rua os torcedores me elogiam e me incentivam.

Forma que o time vem jogando
A posse de bola do Flamengo é efetiva. São raros os jogos que o adversário finaliza mais. Temos sido agressivos, mas pouco eficientes. Contra o Vasco, o Arão teve a possiblidade de gol no fim. Se faz, tenho certeza que o assunto seria diferente hoje.

Vitinho
O Vinicius vinha suprindo bem a saída do Everton. O Vitinho jogou nessa função no Botafogo, com características diferentes. Ele me diz que se sente confortável. Vem crescendo de produção. Ele sabe que não está conseguindo ser efetivo e está trabalhando.

Situação no Brasileirão
Gostaria que a distância para fosse menor ou estivéssemos na liderança. Temos que encontrar a consistência para ter sequência de vitórias. Temos sido inconstantes. O campeonato é equilibrado. Certeza que vamos encostar ou passar os líderes mais à frente.

 

Fonte: Globo Esporte


"Atitude covarde". Assim Dedé definiu a decisão do árbitro Eber Aquino, do Paraguai, de expulsá-lo após o choque com o goleiro do Boca Juniors na partida de quarta-feira, primeiro duelo nas quartas de final da Libertadores.

O zagueiro do Cruzeiro publicou uma longa mensagem no Instagram, e ainda durante a madrugada respondeu a mensagens que recebeu no Twitter do Luverdense e do comentarista Caio Ribeiro, da TV Globo.

O Cruzeiro, também nas redes sociais, agradeceu às manifestações em repúdio ao cartão vermelho recebido por Dedé, especialmente a do Santos, que foi punido pela Conmebol por escalar irregularmente um jogador - o Boca Juniors também escalou um atleta de maneira irregular, o atacante Ábila, e não foi punido pela entidade.

 

 Zagueiro agradeceu, no Twitter, as manifestações do comentarista da TV Globo, Caio Ribeiro, e da Luverdense — Foto: Reprodução / Twitter

Zagueiro agradeceu, no Twitter, as manifestações do comentarista da TV Globo, Caio Ribeiro, e da Luverdense — Foto: Reprodução / Twitter

 Cruzeiro respondeu a mensagem publicada pelo Santos sobre o erro ocorrido no jogo do time mineiro contra o Boca Juniors — Foto: Reprodução/Twitter

Cruzeiro respondeu a mensagem publicada pelo Santos sobre o erro ocorrido no jogo do time mineiro contra o Boca Juniors — Foto: Reprodução/Twitter

 Fonte: Globo Esporte


Um tenente-coronel da Polícia Militar baleou um suspeito ao reagir a uma tentativa de assalto na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, na tarde desta quarta-feira (19). O homem ainda não identificado foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros, mas morreu no local. 

O caso ocorreu na avenida das Américas. Testemunhas disseram que o suspeito estava sozinho em uma moto e tinha um revólver. 

O PM reformado afirmou ter reagido a uma tentativa de roubo e que chegou a trocar tiros com o suspeito, segundo a Polícia Civil.

Ele disse ainda que trabalhou na Diretoria de Pessoal e hoje seria o primeiro dia de aposentadoria.

 

Fonte: R7

 


A enfermeira Géssica de Sá Soto, espancada durante uma festa em Nova Venécia, no Norte do Estado, em outubro do ano passado, foi denunciada pelo Ministério Público do Espírito Santo (MPES) por ter tentado incriminar um ex-namorado no caso da agressão. De acordo com o Ministério Público, Géssica fez a falsa denúncia por vingança e também para conseguir uma indenização por parte do rapaz.

Na denúncia, o MPES destaca que a enfermeira chegou a oferecer vantagens para uma testemunha, para que ela prestasse declarações que incriminassem o rapaz. A testemunha procurou a Promotoria de Justiça Criminal de Nova Venécia e contou que Géssica dizia que, com o dinheiro da indenização, ela pagaria uma viagem para as duas.

Em novembro do ano passado, o MPES requereu à Justiça medida protetiva de afastamento em desfavor de Géssica, para que ela não mais entrasse em contato com as testemunhas. Ao longo das apurações, o Ministério Público constatou que Géssica “demonstrava ter muita raiva do rapaz”.

Agressão

Géssica foi espancada durante uma confraternização de um time de futebol de Nova Venécia, no dia 15 de outubro do ano passado. Ela teve o maxilar quebrado, perdeu sete dentes e teve o rosto desfigurado após a agressão. Ela foi levada para o Hospital Roberto Silvares, em São Mateus, onde ficou internada.

Dois suspeitos de participar das agressões foram denunciados à Justiça, pelo Ministério Público Estadual, pelo crime de tentativa de homicídio. Já o ex-namorado de Géssica não foi indiciado, uma vez que a investigação da Polícia Civil não constatou a participação dele no fato.

 

Fonte: R7

 


As Forças Armadas fazem nesta quinta-feira (20) uma operação conjunta com a Polícia Militar na comunidade do Jacarezinho, na zona norte do Rio de Janeiro. A ação, que envolve cerca de 420 militares, envolve um cerco à região, a remoção de barricadas, revista de pessoas e de veículos e checagem de antecedentes criminais.

De acordo com o Comando Militar do Leste, do Exército, também participam da operação 90 policiais militares. Eles verificam denúncias de atividades criminosas, em especial as relacionadas à venda de drogas ilícitas. Mandados judiciais poderão ser cumpridos durante a ação.

Algumas vias e acessos à região poderão ser interditados, de acordo com o Comando Militar.

 

Fonte: R7

 


Simone está em Orlando, nos Estados Unidos, na companhia do filho, Henry, e do marido, Kaká Diniz, após anunciar uma pausa nos shows para que a irmã, Simaria, diagnosticada com tuberculose ganglionar, retome o tratamento contra a doença.

E, nesta terça-feira (18), visitou um dos parques mais populares, o Universal Studios, onde foi bastante solicitada para fotos.

"Estou me sentindo no Brasil, onde eu ando aqui aparece um brasileiro e fala 'Simone, uma foto'. Eu falo: 'Tá bom, é nós!", divertiu-se a "coleguinha".

'Vamos tirar foto', responde à fã

Depois, ela mostrou no Instagram Stories um pedido para selfie. "Pode ser, coleguinha?, questiona uma admiradora. "Foto?", responde Simone, recebendo a resposta positiva. "Vamos tirar foto!", exclamou. Ao posar com uma fã mirim, também mostrou as duas em suas redes. "Olha, é gente!", brincou.

Cantora e marido curtiram México a dois: 'Repouso'

Recentemente, Simone e Kaká viajaram sem o filho para Cancún, no México. A sertaneja contou que a viagem foi motivada pela intensa agenda de shows sem a irmã.

"Amores, deixa eu falar um negócio para vocês que eu não tinha falado: essa semana eu fiz um tratamento no meu dente e resolvi tirar um repouso. Além disso, vocês sabem que eu vinha há quase quatro meses trabalhando à espera da volta da Simaria, então juntou tudo. Vou dar uma descansada para recarregar as energias depois desse trabalho todo, depois de tudo", explicou.

Simone quer perder 5kg mas descarta corpo magro: 'Mais cheinha'

Elogiada na web sempre que aparece com o corpo em evidência, Simone falou seu peso nas redes sociais e explicou que pretende emagrecer.

"Subi na balancinha ontem e ainda nada. Quando engravidei do Henry, pesava 57 kg e engordei 20 kg. Como não tive leite, ele teve que tomar da lata e, com isso, me dificultou ainda mais a emagrecer, porque a amamentação ajuda a mulher a perder peso. Cheguei aos 74 kg, com 1,52 cm, e fiquei nos 64 kg. Vivo nele!", relatou a artista, destacando que pretende manter a silhueta curvilínea: "Quando engordo um pouco vou aos 65, 66, 67 kg, só que é muito pro meu tamanho. Então, 59, 58 kg eu ficaria feliz. Permaneceria com esse shape de gordinha, mas não ficaria magrinha como vocês já me viram, porque é muito feia! Eu prefiro mais cheinha, me acho mais bonita".

 Fonte: R7


Página 4 de 495

Commentários

Share on Myspace

Compartilhar

COMPARTILHAR

Previsão do Tempo em Mauriti-CE

Agenda Cultural do Cariri

  • felix.jpg
  • juazeiro.jpg
  • 13.jpg
  • 25.jpg
  • 42.jpg
  • damiao2.jpg
  • lora.jpg
  • lovyle.jpg
  • moto2.jpg
  • net.jpg