Redação do Portal

Redação do Portal

O lateral-esquerdo Marcelo participou normalmente do último treino da seleção, em Sochi, nesta quarta-feira (4), antes da viagem da delegação para Kazan, onde o Brasil enfrentará a Bélgica, na sexta, às 15 horas (horádio de Brasília), pelas quartas de final da Copa do Mundo. O jogador está à disposição do técnico Tite, mas ainda não foi definido como titular.

Felipe Luis também poderá iniciar a partida, caso o titular ainda não esteja completamente recuperado.

Capitão da equipe na partida contra a Sérvia, na última rodada da fase de grupos, Marcelo deixou o gramado aos 10 minutos do primeiro tempo, após sofrer um espasmo na musculatura que envolve a coluna durante uma arrancada. O titular foi substituído por Felipe Luis naquela partida.

Marcelo também não atuou na vitória por 2 a 0 contra o México, pelas oitavas de final do Mundial. Segundo o treinador Tite, o lateral ainda não tinha condições para jogar os 90 minutos e, por isso, a comissão técnica decidiu preservá-lo.

O jornalista Robson Morelli, editor de esportes do "Estadão", entende que Marcelo é a melhor opção para o embate com os belgas pela experiência e qualidade no ataque. No entanto, o atleta precisa estar em plenas condições físicas para render o máximo de seu potencial.Fechar anúncio

"Marcelo é o melhor da posição há anos. Sabe o que é decidir títulos pela experiência no Real Madrid. Marca menos do que Felipe Luís, mas cria mais no ataque. Combina muito bem com Neymar na esquerda. Vinha sendo o melhor passador do Brasil. É mais inventivo com a bola. Mas só deve jogar se estiver 100%", ponderou o jornalista.

"Felipe Luís avança menos. Marca bem e sabe que sua função é essa. O time ganha no setor defensivo e perde no ataque. Com ele. Tite pode liberar mais Paulinho e até Coutinho", complementou Robson Morelli.

O blogueiro do R7 Silvio Lancellotti também aposta na presença de Marcelo para enfrentar o habilidoso selecionado belga — equipe com o ataque mais positivo da Copa (12 gols). Para o jornalista, a presença do lateral do Real Madrid proporcionará mais preocupações aos adversários.

"Marcelo é mais impetuoso, vibrante, agressivo, finaliza bem e assusta os adversários — embora, muitas vezes, também preocupe os companheiros e os torcedores. Felipe é mais frio, contido e, por isso, não compromete a paciência dos colegas e dos fãs. O problema é que não exige tanta atenção dos seus rivais", analisou Lancellotti.

 

Fonte: R7


O ministro do Trabalho Helton Yomura foi afastado do cargo na manhã desta quinta-feira (5). Yomura é um dos alvos da terceira fase da operação Registro Espúrio, deflagrada pela PF (Polícia Federal) na manhã de hoje. A operação investiga uma organização criminosa que atua na concessão fraudulenta de registros sindicais junto ao Ministério do Trabalho. 

A PF (Polícia Federal) e a PGR (Procuradoria-Geral da República) pediram ao STF que Yomura fosse afastado da pasta. O ministro Edson Fachin é o relator do caso na Corte e aceitou o pedido. 

Os policiais cumprem 10 mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária, cumpridos em Brasília (DF) e no Rio de Janeiro (RJ). Os mandados foram expedidos pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

Fechar anúncio

Yomura é apadrinhado político do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) e de sua filha, a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), nome que havia sido indicado pelo presidente Michel Temer para assumir a pasta. Pai e filha foram alvos das primeiras fases da Registro Espúrio. Além do ministro, o deputado federal Nelton Marquezelli é um dos alvos da operação. 

R7 procurou a assessoria de imprensa do ministro, mas ainda não obteve um posicionamento oficial sobre o afastamento.  

Segundo a PF (Polícia Federal), as investigações da primeira e segunda fases da operação indicam a participação de servidores do Ministério do Trabalho. A polícia afirma que determinados cargos da pasta foram "preenchidos com indivíduos comprometidos com os interesses do grupo criminoso, permitindo a manutenção das ações ilícitas praticadas na pasta".

 

Fonte: R7


Estrela da seleção croata, Luka Modric é o tema de todas as entrevistas coletivas da equipe até mesmo quando não está presente. Capitão e líder do grupo que pode igualar a histórica geração de 98, que chegou numa semifinal de Copa, o camisa 10 já foi duas vezes o homem do jogo neste Mundial, nas vitórias contra a Argentina, por 3 a 0, e Nigéria, por 2 a 0.

Com tanta badalação concentrada em Modric, os outros jogadores croatas já estão acostumados. Eles parecem até um pouco incomodados com as várias perguntas sobre o astro.

- Toda vez ouvimos as mesmas perguntas e nós respondemos as mesmas coisas. Sabemos o que ele significa, aqui e no Real Madrid, ele é nosso capitão, nos lidera. Eu não sei se ele é o melhor jogador do Mundial, mas é um dos melhores. Há várias outras partidas. O mais importante é conseguir o melhor resultado - diz o atacante Perisic sobre o meia, que já tem dois gols na Copa.

Luka Modric comemora a classificação da Croácia para as quartas de final (Foto: REUTERS/Carlos Barria)

Luka Modric comemora a classificação da Croácia para as quartas de final (Foto: REUTERS/Carlos Barria)

Modric também mostra sua importância nos números. Ele é o jogador que atuou mais tempo pela Croácia nesta Copa. Foram 386 minutos, sendo substituído apenas uma vez, na partida contra a Islândia, na qual o técnico Zlatko Dalic poupou vários jogadores. O camisa 10 também é um dos que mais correm em campo. Contra a Dinamarca, por exemplo, ele percorreu mais de 12 quilômetros.

- Ele é nosso líder e capitão. Para nós, ele é muito importante – complementou Rebic.

Na última partida, contra a Dinamarca, nas oitavas, Modric teve a chance de acabar com o jogo na prorrogação, com uma cobrança de pênalti, mas o goleiro Schmeichel defendeu. Pouco depois, na disputa de pênaltis, o astro da equipe chamou a responsabilidade e converteu.

- Ele é o nosso capitão, mostrou liderança e pediu para bater. Esta é a diferença entre um jogador normal e um que tem classe mundial. Na decisão, ele mostrou coragem e cobrou. Se tiver outra oportunidade, ele vai chutar – garantiu o técnico croata Zlatko Dalic.

 

Fonte: globoesporte


Através de uma publicação em suas histórias no Instagram, a Asus revelou que os ZenFones 5 chegarão ao Brasil em agosto. A imagem postada mostra o número 5 convertido na letra "S" como em agosto, fazendo referência ao material publicitário que a marca já usa para sua nova geração de smartphones fora do país.

Considerando toda a família de ZenFones 5, temos pelo menos três aparelhos principais: ZenFone 55 Selfie e 5Z. Ainda não sabemos quais deles serão vendidos oficialmente por aqui. Mas, se formos tomar como exemplo a geração passada, talvez o mais poderoso ZenFone 5Z não chegue ao nosso mercado, uma vez que o ZenFone 4 Pro também não deu as caras.

 asus zenfone 5

A Asus ainda não comentou nada oficialmente sobre uma data específica para o lançamento desses aparelhos no nosso país, e não sabemos se eles serão simplesmente apresentados no mês de agosto ou se de fato começam a ser vendidos no mês que vem.

Seja como for, esses aparelhos foram apresentados oficialmente pela empresa em janeiro deste ano, durante a MWC 2018. Dessa maneira, podemos dizer que a Asus está uns seis meses atrasada e correndo risco de ser prejudicada pelo lançamento do LG G7 ThinQ, que tem design similar e está mais fresco na memória do consumidor.

 

Fonte: TecMundo


Sandro Fernandes usou o Twitter, nesta quarta-feira (4), para fazer um desabafo. Após assumir sua homossexualidade ao vivo em uma transmissão da Globo, o jornalista lamentou a repercussão negativa do caso.

 “Triste mundo em que citar o meu namorado belga na TV, dentro do contexto do jogo Brasil contra a Bélgica, cause tanto auê e comoção”, escreveu o profissional em sua página.

Alvo de ataques homofóbicos, o repórter ressaltou que as críticas maldosas são problemas sociais. “Isso tudo apenas prova que ainda precisamos avançar muito no quesito representatividade de minorias”, acrescentou.

Os seguidores aproveitaram o post para deixar mensagens de apoio. “Fique bem! Não há nada de errado nisso”, disse uma. “Resistência!”, pediu outra. Já uma terceira disparou: “As pessoas são muito ignorantes”.

Sandro Fernandes, vale ressaltar, foi um dos enviados da emissora carioca para cobrir a Copa do Mundo, na Rússia. O país é considerado um dos mais intolerantes quando se trata da comunidade LGBT.

 

Fonte: msn


Uma reanálise de um fóssil de três milhões de anos de idade sugere que o Australopithecus afarensis, um antigo hominídeo, tinha filhos que eram tão capazes sobre dois pés quanto nas árvores — uma descoberta importante que está jogando nova luz sobre esse estágio importante da evolução hominídea.

Um minúsculo pé fossilizado menor do que um polegar humano revela algumas das capacidades físicas do Australopithecus afarensis e seus possíveis comportamentos, de acordo com uma nova pesquisa publicada nesta quarta-feira (4), na Science Advances.

• Crânio de quase dois mil anos, de vítima de erupção em Pompeia, é encontrado intacto
• Esta pessoa tentou fugir da erupção em Pompeia, mas seu final foi igualmente trágico

Cientistas sabiam há muito tempo, ou pelo menos suspeitavam, que o Australopithecusafarensis, um hominídeo antigo semelhante a um macaco que existe em nossa árvore genealógica, seja diretamente ou por meio de espécies próximas relacionadas, caminhava sob dois pés.

Na verdade, alguns cientistas até sugeriram que esses grandes macacos antigos eram exclusivamente bípedes, renunciando completamente sua ancestralidade arbórea em favor da caminhada. O novo estudo, liderado por Jeremy DeSilva, da Dartmouth College, mostra que crianças Australopithecus afarensis eram capazes de ficar de pé e caminhar perpendicularmente. No entanto, é importante apontar que esses jovens hominídeos ainda mantiveram a capacidade de escalar — um atributo físico importante que pode tê-los ajudado a se agarrar a suas mães, subir em árvores e escapar de predadores.
                                                                
                                                                                                          © Fornecido por F451 Midi Ltda.


Em 2002, Zeresenay Alemseged, professor de biologia de organismo e anatomia na Universidade de Chicago e coautor do novo estudo, encontrou os restos parcialmente fossilizados de uma criança fêmea, que tinha cerca de dois anos e meio quando morreu, na região de Dikika, na Etiópia. A criança de Dikika, também conhecida como "Selam", consiste em um crânio, uma coluna vertebral quase completa, com costelas, ossos do ombro, partes dos braços e pernas e o pé, que é considerado o mais completo de uma criança antiga já descoberto.

"A maior parte do registro fóssil consiste em adultos — é incomum encontrar restos fossilizados de crianças, e isso nos dá uma visão maravilhosa do crescimento e desenvolvimento de nossos ancestrais", disse DeSilva ao Gizmodo.

O fóssil foi identificado como pertencente ao Australopithecus afarensis (a mesma espécie do famoso fóssil de Lucy) e data de 3,32 milhões de anos atrás. O estudo divulgado hoje melhora a análise inicial de 2006, já que muitas partes do esqueleto, incluindo o pé parcial, estavam envoltas em sedimentos. Muitos desses ossos foram expostos, permitindo uma análise mais aprofundada do espécime jovem.

A análise do pé da criança de Dikika sugere que ela já possuía a estrutura óssea necessária para ficar em pé e andar — uma conclusão consistente com o que os antropólogos já descobriram com pegadas encontradas em Laetoli, na Tanzânia, e no fóssil de Lucy, um Australopithecus afarensis encontrado em Hadar, na Etiópia. Mas o pé também exibe algumas características distintamente semelhantes a macacos — características que teriam permitido que a criança se agarrasse à sua mãe enquanto ela subia pelas árvores, ou quando a mãe fugisse em busca de segurança.

"Esse pé é muito semelhante ao de um humano e indica que a criança de Dikika caminhava sobre as duas pernas", DeSilva disse ao Gizmodo. "Entretanto, o osso na base do nosso dedão — chamado de cuneiforme medial — tem uma conexão para o dedão que é mais curvada e levemente mais angulada do que se encontra nos humanos hoje em dia. Tal superfície curvada permitiria o movimento desse dedão — que macacos modernos usam para agarrar. Concluímos, a partir disso e de estudos antigos sobre os ombros da criança de Dikika, que ela seria capaz de escalar e também de se agarrar à sua mãe durante viagens."

Como apontam os pesquisadores, as características físicas da criança de Dikika sugerem que ela provavelmente era uma melhor escaladora do que os adultos e que ela, assim como outras crianças Australopithecus afarensis, passava mais tempo em árvores do que seus pais.

"Elas eram menores, provavelmente mais brincalhonas, e também tinham que para as árvores para se livrar de predadores mais frequentemente do que os adultos", disse DeSilva. "Achamos que isso ajuda a explicar as diferenças que vemos entre os ossos da criança de Dikika e os ossos mais semelhantes aos de humanos dos adultos."

Ou como escrevem os autores no estudo:

A criança de Dikika tinha tamanho parecido ao de um chimpanzé de idade comparável e era, provavelmente, ainda dependente de — e talvez frequentemente ativamente carregado por — adultos. Considerando os custos energéticos de se carregar crianças, tanto adultos quanto as crianças podem ter se beneficiado dos traços de escalada presentes no pé juvenil do Australopithecus afarensis.


Portanto, à medida que o Australopithecus evoluía a capacidade de caminhar de pé, essa espécie, e particularmente seus filhos, ainda manteve a capacidade de escalar árvores. Essas capacidades duplas eram, provavelmente, uma adaptação muito boa em um ecossistema africano repleto de predadores perigosos.

Inferir comportamentos de fósseis é um exercício precário, portanto, essas são, na melhor das hipóteses, suposições com algum embasamento. Mais fósseis são necessários, mas isso está se provando ser um item escasso para este período de tempo. Como observado, a criança de Dikika viveu cerca de 3,32 milhões de anos atrás, e seu fóssil foi comparado ao de Lucy, que tem cerca de 3,2 milhões de anos, e às pegadas de Laetoli, que têm cerca de 3,6 milhões de anos.

"Aos seus leitores, essas datas podem soar como se estivessem no mesmo grupo. Mas, na verdade, a criança de Dikika viveu 120 mil anos antes de Lucy; e Lucy viveu 400 mil anos depois de que essas pegadas foram feitas", disse DeSilva. "Fósseis são raros, e esses prazos são tão vastos que, provavelmente, estamos deixando passar muita coisa que acontecia naquela época! Porém, você trabalha com o que tem, fazendo ajustes conforme novos fósseis são inevitavelmente descobertos."

Fonte: msn


Os três desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) recusaram dois pedidos de suspeição da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) contra o juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato no Paraná. A defesa do ex-presidente argumentava que Moro não poderia julgar Lula por ter participado em um evento do Lide, empresa que faz parte do Grupo Doria, de propriedade de João Doria (PSDB), ex-prefeito e pré-candidato ao governo de São Paulo.

As duas ações em questão são aquelas que investigam se Lula obteve vantagens indevidas com a reforma de um sítio que supostamente seria dele em Atibaia (SP) e na propriedade de imóveis em São Bernardo do Campo (SP). O relator dos processos, desembargador João Pedro Gebran Neto, rejeitou a hipótese de que os eventos possuam conotações politico-eleitorais.

“A participação de eventos com ou sem a presença de agentes políticos não macula a isenção do juiz, em especial porque possuem natureza meramente acadêmica, informativa ou cerimonial, sendo notório que em tais aparições não há pronunciamentos específicos a respeito de processos em andamento”, afirmou Gebran.

O evento em questão foi o Lide Brazilian Investment Forum, promovido pela empresa em maio deste ano, em Nova York. Segundo o Lide, o objetivo é “reunir empresários e investidores nacionais e internacionais para debater relações bilaterais entre Brasil e Estados Unidos”. Além de Moro, que falou sobre “Fortalecimento das instituições para o crescimento do Brasil”,  outro palestrante foi o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB). Doria se afastou da gestão do Lide quando foi eleito prefeito de São Paulo, em outubro de 2016.

Também em Nova York, Moro e Doria se encontraram em outro evento, quando o juiz da Lava Jato recebeu o prêmio de “Pessoa do Ano” da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos. O ex-prefeito esteve presente por ter sido o vencedor da premiação em 2017. Pela tradição do evento, o vencedor de um ano entrega o prêmio para o sucessor, só que a foto dos dois com as respectivas esposas rendeu críticas de petistas a Moro, que acusam de ser tendencioso com o ex-presidente Lula.

 

Fonte: msn


Aproveitando a pausa da Copa do Mundo, o Palmeiras venceu mais um amistoso. Depois de bater o Arabe Unido por 2 a 0, o time alviverde repetiu o placar nesta quarta-feira, na Colômbia, diante do Independiente de Medellin.

Bruno Henrique abriu o placar aos 17 minutos do primeiro tempo. Na etapa final, aos 18 minutos, foi a vez de Deyverson balançar as redes e dar números finais à partida.

No domingo, o Palmeiras joga na Costa Rica contra o Liga Alajuelense no último amistoso antes de voltar à ativa no Brasileiro, dia 19 de julho, no clássico contra o Santos.

 

Fonte: msn


O Prefeito Municipal, Lielson Macêdo Landim, e o Vice prefeito, Abraão Sampaio, ao lado da Primeira dama do Estado Onélia Leite de Santana, inauguram hoje, quarta-feira, 04, às 19 horas, a Praça da Criança em Milagres. O Equipamento recebeu serviços de reforma para instalação de uma brinquedopraça e equipamentos de ginástica ao ar livre.

Com a iniciativa da Secretaria Municipal do Trabalho e Assistência Social, através da titular da pasta, Soraya Bezerra, e da Primeira dama, Elisângela Crisostomo, o município foi um dos primeiros a ser contemplado com as ações do Programa Mais Infância Ceará. O novo e moderno espaço é voltado para crianças de 2 a 12 anos.  

O espaço cercado da brinquedopraça conta com brinquedos como playground, gira-gira, escalada, balanço duplo, casinha de boneca, cavalinho e duas gangorras, além de rampas e piso tátil para auxiliar o trajeto de pessoas com deficiência, mobilidade reduzida e idosos. A contrapartida das prefeituras é garantir a praça em bom estado de conservação, arborização do local e manutenção dos brinquedos.

Já os equipamentos de ginástica de baixo impacto são aparelhos de alongamento direcionados principalmente à terceira idade e pessoas com deficiência. A academia ao ar livre é ideal para a prática de exercícios físicos e a interação entre os moradores. A ação faz parte do projeto Ceará Acessível e tem a proposta de transformar os espaços públicos em lugares de convivência.

Assessoria de Comunicação

 


O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, liberou R$ 300 mil para a área da saúde em Mauriti, proveniente de emenda parlamentar de autoria do deputado federal Danilo Forte (PSDB-CE). O recurso irá custear despesas da Rede de Atenção Básica.

"Estamos auxiliando a gestão municipal no financiamento da saúde, na aquisição de material hospitalar e compra de medicamentos para a população. Comemoramos essa ótima notícia e reforçamos o compromisso de trabalhar pela melhoria da qualidade de vida das famílias de Mauriti. A saúde não pode esperar”, diz Forte.

A emenda de execução obrigatória foi apresentada pelo parlamentar ao Orçamento Geral da União de 2018. O recurso já foi depositado na conta do Fundo Municipal de Saúde de Mauriti.

 


Página 9 de 427

Commentários

Share on Myspace

Compartilhar

COMPARTILHAR

Previsão do Tempo em Mauriti-CE

Agenda Cultural do Cariri

  • bosco.jpg
  • master.jpg
  • 13.jpg
  • 15.jpg
  • 25.jpg
  • 42.jpg
  • damiao2.jpg
  • lora.jpg
  • lovyle.jpg
  • marcio.jpg
  • moto2.jpg
  • net.jpg
  • real2.jpg