Ceará atinge melhor marca em apreensão de arma de fogo nos últimos três anos

Em 2021, o Ceará registrou apreensão de 1.486 armas de fogo nos primeiros três meses do ano, janeiro a março. A quantidade é a melhor em três anos, ficando atrás apenas das 1.798 armas apreendidas no primeiro trimestre de 2018. Em comparação ao mesmo período no ano passado, em que foram apreendidas 1.215 armas, o Estado teve alta de 22,3%. Já em 2019, o total foi 1.394. O acumulado em 2021 inclui 522 apreensões em janeiro, 450 em fevereiro e 514 contabilizadas em março.

O levantamento foi feito pela Gerência de Estatística e Geoprocessamento (Geesp) da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp), órgão vinculado à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS) divulgado nesta quinta-feira, 8.

Durante as apreensões no Estado, seis unidades do Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio) da Polícia Militar do Ceará (PMCE) espalhadas pelo território cearense foram responsáveis pelas atividades. Na marca registrada em 2021, o CPRaio apreendeu 453 armas, contabilizando 30,5% do total de apreensões.

O comandante do CPRaio, tenente-coronel Kilderlan Sousa, analisa que as armas de fogo e os homicídios têm uma forte ligação. “É importante registrar que as armas de fogo no Brasil são um dos principais vetores de violência… Os dados apontam que as armas são o principal instrumento de agressão utilizado para o cometimento de mortes violentas no Brasil. Esses números impressionam e, por consequência, direcionam o policiamento diário empregado nas ruas de todo o território cearense com foco na apreensão da arma de fogo e na prevenção de crimes correlatos”, informa.

De acordo com o delegado Harley Filho, diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a redução da oferta de armas de fogo nas mãos de criminosos impacta diretamente na queda dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI). “É de suma importância a apreensão de armas de fogo no contexto da redução dos índices de homicídios, pois é notório que grande parte dos assassinatos praticados no Estado são perpetrados com o uso de armas de fogo. Com isso, se constata uma ação contundente da Polícia para intensificar as ações voltadas à apreensão das armas de fogo”, explica.

Fonte: opovo

Notícias Relacionadas