Ceará começa vacinação contra gripe com 313,6 mil doses

vacinação contra a gripe começou nesta segunda-feira, 12, em todo o Brasil. O Ceará tem 313,6 mil doses para começar a campanha, o que corresponde a 28% do total necessário para a primeira fase. A campanha é dividida em três fases, sendo que a primeira vai até 10 de maio.

Conforme Ricristhi Gonçalves, coordenadora de vigilância epidemiológica e prevenção em saúde da  Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), os imunizantes estão sendo recebidos semanalmente, e distribuídos aos poucos pelo Estado aos municípios.

A expectativa é vacinar até o fim da campanha pelo menos 90% da população prioritária, o equivalente a mais de 2 milhões de pessoas no Ceará. Em 2020, o Estado vacinou, ao todo, 97% do público-alvo.

“Geralmente, as campanhas de vacinação contra a gripe no Ceará são muito bem sucedidas. Importante também entender que a influenza pode gerar casos graves e até óbitos. Isso é uma pressão no momento de Covid-19, então é importante vacinar. Tivemos um impacto muito positivo na vacinação do ano passado, com relação a redução de casos de influenza ou de gripe”, ressalta. 

Neste primeiro momento, serão vacinados crianças a partir de seis meses a menores de seis anos, gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias depois do parto), povos indígenas (crianças de 6 meses a 18 anos) e trabalhadores da saúde. Não é preciso de cadastro para a vacinação da gripe. Basta ir ao posto com documento com foto e algum comprovante da condição no grupo prioritário.

Vacinação em postos separados

Ainda de acordo com Ricristhi Gonçalves, da Sesa, os municípios devem fazer a vacinação contra a gripe em postos de saúde separados daqueles nos quais está ocorrendo a imunização contra a Covid-19.

“A gente só dá as orientações ao município, mas ele que operacionaliza. A gente só pede que separe, que coloque em locais abertos, que não permita aglomeração”, explica.

Intervalo entre vacinas

As duas campanhas, Covid-19 e gripe, acontecem agora de forma simultânea, mas a proteção contra o coronavírus é mais urgente. Ricristhi lembra que é preciso um intervalo de pelo menos 14 dias entre uma vacina e outra.

“A campanha da Covid-19 é sempre a prioridade porque a gente tá numa pandemia. Então, se você pertence a um grupo prioritário, dê prioridade à vacinação de Covid-19”, pede. Outra recomendação é que pessoas com sintomas de infecção pelo coronavírus não devem receber o imunizante da gripe. É preciso aguardar um período de pelo menos 30 dias para recuperação clínica total, e só então é adequado receber a vacina.

Etapas da vacinação contra a gripe

1ª etapa: 12/4 até 10/5 – crianças (6 meses até 6 anos), gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores de saúde.

2ª etapa: 11/5 até 8/6 – idosos com 60 anos ou mais e professores.

3ª etapa: 9/6 até 9/7 – pessoas com comorbidades ou deficiências permanentes, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo rodoviário, trabalhadores portuários, membros das forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema prisional, jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

Fonte: opovo

Notícias Relacionadas