Mais que dobra o número de apreensões de drogas no Ceará no primeiro trimestre de 2021.

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) declarou, nesta segunda-feira, 12, que as apreensões de drogas realizadas pelas Polícias do Ceará no primeiro trimestre de 2021 mais que dobraram em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com o informe, 987 kg de derivados da cannabis, crack e cocaína foram apreendidos em ações policiais durante os meses de janeiro, fevereiro e março deste ano, superando em 109% os 472 quilos das mesmas substâncias no trimestre de 2020.

Até agora, março figura como o mês com maior apreensão de entorpecentes feita pelas Polícias cearenses em 2021, com cerca de 455 kg confiscados. Para o combate aos grupos que atuam com o tráfico de entorpecentes no Ceará, a Polícia Civil utiliza dinâmica baseada em inteligência, investigação e na deflagração de operações policiais para capturar os alvos investigados.

Alisson Gomes, titular da Delegacia de Narcóticos (Denarc) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), comenta a relação entre o tráfico e as ações criminosas. “O aumento das apreensões representa os esforços da segurança pública no sentido de coibir o tráfico de entorpecentes, que é o crime combustível de todos os demais delitos, sobretudo os crimes violentos, no momento em que as organizações criminosas promovem essas ações pela disputa territorial do tráfico de drogas”, explica, por meio da assessoria de imprensa.

Em paralelo ao esquema de barreiras sanitárias para a fiscalização do cumprimento das medidas de prevenção contra a Covid-19, as equipes policiais também estiveram atentas à movimentação de suspeitos que transportam cargas com entorpecentes escondidos em veículos automotores. À frente das blitzes nas rodovias estaduais, estavam o Batalhão de Polícia de Trânsito Urbano e Rodoviário Estadual (BPRE) da Polícia Militar do Ceará (PMCE), além de outros batalhões especializados, como CPRaio, CPChoque, Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur) e Batalhão de Polícia de Meio Ambiente (BPMA).

A Perícia Forense, ainda, atuou na análise das drogas apreendidas pelas Polícias Civil e Militar do Ceará. Após realização de procedimento policial em uma delegacia, as amostras dessas apreensões são encaminhadas para o Núcleo de Toxicologia Forense (Nutof) da Coordenadoria de Análises Laboratoriais Forenses (Calf). O Nutof detém uma das maiores demandas da Pefoce, tendo sido responsável pela emissão de 2.408 mil laudos nos últimos três meses e 8.068 laudos ao longo do ano de 2020.

Utilizando métodos físico-químicos, os peritos em toxicologia da Pefoce empregam diversos métodos, desde testes com reagentes a análises mais robustas, tais com cromatógrafos, que auxiliam na análise mais detalhada do material avaliado, incluindo identificação de drogas sintéticas.

De acordo com o balanço divulgado pela SSPDS, as apreensões de entorpecentes feitas pelas forças da segurança em março de 2021 correspondem a 408,52 kg de derivados de cannabis – incluindo maconha e haxixe –, 31,48 kg de cocaína e 14,59 kg de crack. Os índices de maconha e crack foram os maiores do ano até agora.

Os 455 kg apreendidos em março de 2021 é 616% superior à apreensão de 63 kg contabilizada no ano passado. Já em fevereiro deste ano, quando 150 kg de drogas foram retirados das ruas, o aumento foi 127% superior ao ano de 2020, que registrou 66 kg de material apreendido. Ainda, em janeiro de 2021, foram recolhidos 382 kg em todo o Estado, um aumento de 11% em relação ao ano passado, quando foram computados 343 kg no primeiro mês de 2020.

Fonte: opovo

Notícias Relacionadas