Maior da história? Nikão acumula seis títulos e poder de decisão reabre discussão no Athletico

Herói na conquista do bicampeonato da Sul-Americana, o meia-atacante Nikão, 29 anos, já tem seu nome eternizado na história do Athletico. Mais uma vez decisivo, ele marcou um golaço na vitória por 1 a 0 sobre o Bragantino, em Montevidéu, e reacendeu uma discussão: quem é o maior da história do Furacão? NikãoSicupiraAlex Mineiro? Ou outro?

A Sul-Americana 2021 é o sexto título de Nikão com o Athletico. Antes, tinha sido campeão da Sul-Americana de 2018, da Copa do Brasil de 2019, da J. League/Conmebol de 2019 e dos estaduais de 2016 e 2020.

Contratado em 2015, ele fez 309 jogos com a camisa rubro-negra: 49 gols e 47 assistências (contando amistosos). Considerando apenas competições oficiais, são 300 partidas e 47 gols, sendo 21 em jogos mata-mata e 30 quando o time empatava ou perdia por um gol de diferença.

A história de Nikão no Athletico, porém, pode estar perto dos últimos capítulos. O jogador tem contrato só até dezembro e tem propostas de clubes brasileiros e estrangeiros. Nikão despista ao falar do futuro, mas as chances de permanência, atualmente, são pequenas.

Já Sicupira é o maior artilheiro do Furacão, com 158 gols. O também meia-atacante defendeu a camisa atleticana entre 1968 e 1976. O único título foi o Paranaense de 1970, encerrando um jejum de 12 anos.

Ele ainda foi o artilheiro do estadual nas edições de 1970 e 1972. A aposentadoria dos gramados veio cedo, com apenas 31 anos de idade, por conta das dificuldades e faltas de pagamento.

Ídolo do Athletico, Sicupira morreu neste mês, aos 77 anos, por problemas respiratórios.

Informações do site GE

Notícias Relacionadas